quarta-feira, 28 de junho de 2017

Crítica | Pretty Little Liars - 7x20: Till DeAth do Us Part (Series Finale)


Le grand finale.

Quem diria que depois de anos, enfim chegaríamos ao último episódio de Pretty Little Liars?! Minha história com essas mentirosinhas começou bem lá atrás, em 2010, pois já conhecia e era fã da Lucy; então a combinação de suspense e ela parecia ótima. E foi! Tivemos inúmeros momentos de raiva por conta da enrolação na série? Sim, mas foram oito anos a acompanhando, por isso é impossível dizer que não sentiremos saudades desse "universo", por mais que o alívio de que todos esses nós que se deram por anos foi finalizado.

E não poderíamos deixar de começar logo pelo que todos estávamos esperando: -A.D. Confirmando o que muitos já suspeitavam, o grande vilão era, na verdade, Alex Drake, gêmea de Spencer. Simplesmente adorei a revelação! Como eu disse, não era 100% de surpresa pois já era algo discutido pelo fandom há tempos, mas convenhamos que a série já estava saturada e ninguém ali faria mais sentido - exceto Caleb, que seria chocante, mas Marlene não tem essa coragem. Toda a sequência em torno da revelação e seus motivos foram bem mais consistentes do que a de Charlotte, por exemplo; além de mostrar o que todos nós já sabíamos: Troian é uma atriz incrível e conseguiu dar cara própria à Alex, principalmente com aquele sotaque inglês. E para piorar a situação de Spencer, Alex acabou se apaixonando por Toby, o que a fez querer ainda mais a vida da maninha e me fazer rir, pois Spencer pegou os namorados da Melissa e agora Alex pegou o seu. O karma é mesmo uma vadia!

Ruim para os Spoby shippers, que foram desiludidos ao descobrirem que todas as cenas românticas deles nessa leva de episódios era com a Alex. Mas não precisam chorar, pois no final ficou implícito que os dois estão juntos. Sempre preferi Wrencer, mas como já tinha consciência que eles nunca ficariam juntos e nessa 7B passei a gostar do Toby como personagem, achei ok o final dos dois. Seria muita maldade da Marlene juntar todos os casais menos eles. E já citando o finado Wren, descobrimos que ele tinha um caso com a Alex e era apaixonadinho por ela. Infelizmente, não cabem dois em um coração e ela se livrou dele. Eu gostava muito do personagem e adorei ver ele envolvido na trama principal, por mais que ele tenha virado um vilão e se dado mal no final.

Já Aria, conseguiu partir meu coração em mil pedaços ao revelar que era estéril. Sério, Marlene? No último episódio? Não poderiam ter inventado qualquer outra coisa? Pelo menos o endgame Ezria aconteceu, pois por mais que o Ezra tenha sido um babaca de marca maior nessa 7B, no fundo todos queríamos ver o casal que amamos desde a cena do bar sendo felizes. A cerimônia foi linda, mas senti falta do Mike, que sequer foi citado no episódio. O personagem foi importante em vários momentos da série, não merecia ter sido esquecido no final.

Além de Ezria, Emison também conseguiram seu final feliz e agora são mães de gêmeas - o termo "gêmeos na família são mais propensos a se repetirem" nunca foi tão literal. Foi bonito o pedido de casamento e fico feliz que elas tenham ficado juntas, mas o que realmente me deixou com a cara na poeira foram as meninas serem filhas do Wren, resposta que eu pensei que tinha sido esquecida, mas que casou-se com o plot principal. E finalizando o quarteto dos casais, apesar de passarem o episódio todo brigando, Haleb também ficaram juntos no fim e esperando um filho. Então quando os crushs falarem "vamos fazer um bebê", cuidado pois pode acontecer mesmo! Foi bom ver as últimas Hannices da Hanna, como ela querendo ir para a lua de mel de Ezria e deitada naquela posição para engravidar, porque só Deus sabe o quanto vou sentir falta desses momentos!

Outra parte que me fez amar esse episódio foi poder ver as Liars mães tendo um último momento juntos, por mais que Pam não tenha sido incluída nas cenas. O que foi a série fazendo ironia com o fato de não responder como elas saíram do porão, lá na 6ª temporada? Impagável! Só espero que a Veronica tenha se livrado de vez do Peter pois o roteiro não deixou isso claro, mas um ícone como ela não merece terminar os dias na companhia daquele verme. Por fim, tivemos Monão sambando em todos nós que apostávamos em sua morte e terminou não só com um figurante alguém, como tendo suas próprias bonecas humanas: Mary e Alex. Uma vez viciada em jogos, sempre viciada em jogos!

E isso foi tudo, pessoal! No mais, só quero agradecer a todos que me acompanharam durante esses anos nas reviews de PLL - desde o finalzinho da 4ª temporada que sou o responsável por ela aqui no Meu Mundo Alternativo. Nossa jornada em Rosewood (e até mesmo em Ravenswood, entendedores entenderão) não foi totalmente perfeita, mas foi única e especial. Espero que os atores estejam logo em outras produções e quem sabe não nos encontramos novamente no futuro para comentarmos alguma? E nunca se esqueçam que duas pessoas só podem guardar um segredo se uma delas estiver morta... Brincadeira!

PS: Uma salva de palmas para Jenna e aquele cavalo, os personagens mais inteligentes da série!

PS 2: Que o grito que a whozinha do grupo da Addison ouviu tenha sido o dela morrendo, porque ninguém vai perder tempo com spin-off dessa menina. O único spin que aceito é um das Liars mães.

-A
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário