quarta-feira, 15 de março de 2017

Crítica | Grey's Anatomy - 13x15: Civil War



Uma guerra que simplesmente não faz sentido.

Eu sinceramente não sei mais o que esperar de Grey's Anatomy, ou melhor, eu não sei mais o que esperar da parte criativa do show. Diante da pior temporada já realizada os roteiristas parecem não constatarem esse fato e persistem em mostrar mais do mesmo: erros e mais erros. Eu estava pensando seriamente em começar realizar reviews duplas a partir de agora porque não cabe mais eu vir aqui e escrever semanalmente sobre tramas mal construídas e defasadas em argumentos nulos. Vamos ver até onde aguentarei xingar Grey's e espero que vocês me acompanhem nessa maré de muita má sorte.

Depois de um episódio mediano duas semanas atrás, que muito se sobressaiu aos outros, este Civil War apenas reafirma as mesmas falhas que o roteiro já vinha apresentando. Shonda por alguma razão decidiu que trabalharia em cima de conflitos nos mais diferenciados núcleos, até aí tudo bem, mas o problema é que de "guerra civil" tivemos apenas o nome do capítulo, pois na verdade foi fácil nos sentirmos assistindo um programa do João Kleber. Toda essa guera, independente de qual, sendo a principal ainda a briga de egos entre Eliza e Richard, não funcionou porque nada parecia realmente fazer algum sentido. Todos os personagens estavam brigando sim, mas não parecia que existia um motivo aparente e muito menos concreto.



Dentre todas as coisas erradas que esse décimo terceiro ano vem fazendo, acho que a relação mal explorada entre Owen e Amelia consegue ser a pior de tudo. Entende-se que a atriz teve que se afastar da produção por causa de sua gravidez que não seria utilizada na série, mas pelo amor de Deus, qual o motivo de nunca jamais darem um diálogo para Shepherd e Hunt? Não tem êxito porque em nenhum momento as motivações soam críveis. OK, poderiam estabelecer uma briga entre o casal (o que é normal desde que eles decidiram ser um), mas esse afastamento súbito sem nenhuma repostas não agrada nenhum pouco. Para piorar temos Amelia brincando de esconde-esconde no hospital para evitar seu marido. Eu não assisti doze temporadas para chegar na treze e ter que me sentir assistindo Malhação.

Outro problema: Meredith. A protagonista absoluta já teve seus altos e baixos, sendo as vezes amada mas também odiada. Agora na atual fase a personagem vem se perdendo bastante por ser imatura ao extremo. Ela é o sol, mas parece que isso subiu à sua cabeça e ela acha que todos tem que fazer as coisas do jeito dela se quiserem ter o prestígio dela se encontrar na sua vida. Ela defende Alex de uma forma quase cega, o que é compreensível, mas usar de seu aproximamento com Riggs para tentar afasta-lo perante um caso é no mínimo absurdo, até mesmo para os padrões desta fase terrível.



Ademais tivemos a família Avery servindo de prato principal para o quesito guerra. Todos trabalharam em cima de um mesmo paciente, mas o que foi transmitido, era que todos estavam lidando com um pedaço de carne e que cada um queria o pedaço maior, melhor e mais suculento. Não dá para levar a sério todos os diálogos apresentados em cena numa sala de cirurgia quando temos um homem efetivamente entre a vida e a morte. Jackson já tá bom para morrer, Catherine continua com seu ego inflado nunca admitindo seus erros, Richard não aceita sair por baixo e Kepner quer se mostrar forte e determinada mas peca com sua personalidade e próprio texto. Não está mais dando certo e enquanto insistirem nisso Grey's só se verá afundar.

Decepção. Essa é a palavra que define a décima terceira temporada da Anatomia da Grey. O roteiro vem desrespeitando tanto a história e seus sobrevenientes como nós telespectadores, nos obrigando a assistir tramas que não fazem nenhum sentido de existirem. Shonda, ou deve ter perdido a mão absurdamente, ou deve ter deixado sua galinha de ovos de ouro completamente de lado. A verdade é que estamos sendo obrigados a acompanhar um drama infanto-juvenil maquiado de drama médico adulto. Brigas descompensadas, textos mal escritos, cenas fajutas: tudo isso vem sendo sinônimo de Grey's e não é para menos.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário