sábado, 14 de janeiro de 2017

Crítica | Shadowhunters - 2x02: A Door Into the Dark


"Sou apenas uma garota do Brooklyn que saiu para comemorar o aniversário e voltou com um presente que nunca quis." - Clary Lispector Fray.

Depois de um bom episódio de retorno mas que poderia ter sido bem mais sangrento, Shadowhunters começa a mostrar que essa guerra entre o bem e o mal ainda trará muitos problemas para o mundo de Idris. Mas ainda mais na vida pessoal de todos os envolvidos, e A Door Into the Dark soube trabalhar isso muito bem.

Começando por Clary, que dominou essa semana. Como comentei na review anterior, a atuação de Katherine McNamara ainda não é a melhor do mundo, mas é visível que ela está se esforçando - mais do que Dominic Sherwood. E essa semana foi o estopim para Clary querer sua vida de mundana de volta. Isso já havia sido tratado superficialmente na primeira temporada, mas nessa os acontecimentos para esse seu desejo são bem maiores e fortes, afinal ela descobriu que o garoto que estava gostando é seu irmão; sua mãe está tentando matá-lo à todo custo; as pessoas do Mundo dos Shadowhunters não acreditam em sua força por ela ser nova nesse mundo... Enfim, são inúmeros motivos. Seu desabafo com Izzy foi de partir o coração e é muito bom ver que essa amizade sendo fortalecida a cada episódio. Eu realmente não entendo como existem pessoas que ainda conseguem criticar a personagem em vista de todos esses motivos. Algumas de suas atitudes são inconsequentes? Sim, mas duvido que no lugar dela muitos não fariam o mesmo.

Izzy, depois de não ter tanto destaque na Season Premiere, recebeu mais atenção aqui e nos entregou cenas incríveis, principalmente a surra que deu naquele lutador machista. Isso é algo que a série também mostra desde a primeira temporada - que, por mais que seja sensual, Izzy não se deixa ser rebaixada por seu sexo -, e que une mais a trama com a nossa realidade. E se analisarmos, de todos os principais, a personagem é a mais centrada e procura ajudar todos os outros, que estão perdidos com o sequestro de Jace. Jocelyn, por outro lado, continua a mesma chata, mas desta vez pelo menos mostrou os motivos para seu medo com Jace. Essa runa criada para flashbacks é bem interessante, mas foi muito mal aproveitada, pois aquela simples memória do bebê destruindo uma flor não é praticamente nada demais - fato que até a própria Clary fez piada. Seria mais interessante tê-lo visto matar um animal ou outra criança, por exemplo. Espero que isso ocorra no futuro.

E outro que merece o título de chato da semana é Alec. Todos entendemos sua ligação Parabatai com Jace, mas suas grosserias com todos ao redor já beiram ao ridículo. Felizmente, no final do episódio tivemos uma boa cena envolvendo a ligação dos dois e que nos deixou ansiosos para o próximo. Mas continuo esperando que essa revolta dele diminua, para que o personagem não torne-se insuportável.  Prova disso é que Magnus foi bem mais aproveitado essa semana por estar longe dele. E sua personalidade lembra cada vez mais o Magnus dos livros, o que também é muito bom. Por meio dele tivemos ainda a introdução de um objetivo misterioso (que não lembro se foi nomeado, pois vi o episódio na terça, mas só tive tempo de escrever a review agora), que ele ficou todo estranho quando Simon quis usá-lo. Nos livros, ele também existe mas ainda não cheguei no volume onde ele é introduzido e nem sei se a série vai usar a mesma explicação, então só nos resta esperar.

Falando em Simon, ele continua nos fazendo rir praticamente a cada minuto. A cena dele hipnotizando a cobra foi muito engraçada, por mais que aquele efeito do fogo tenha sido um pouco vergonhoso. E o futuro do personagem deverá ser bem complicado pois Aldertree quer guerra contra os vampiros, então Simon terá que escolher entre ficar do lado dos seus ou ajudar o povo de Clary. E por fim, mas não menos importante tivemos o retorno de Dot, o que foi uma surpresa, afinal todo mundo tinha certeza que ela tinha ido pro saco no segundo episódio da temporada passada. Apesar do roteiro não ter explicado porque Magnus não conseguiu sentir sua mágica se ela ainda estava viva, acredito que isso se deu ao fato de Valentine ter feito experiências com sangue de demônio nela. E foi bem interessante o roteiro mostrar que, mesmo com isso, sua índole e vontade de proteger Clary foram mais fortes. Agora só não sei se a personagem assinou sua sentença de morte com essa ação, e ambos futuros são viáveis: tanto Valentine matá-la por traí-lo, quanto deixá-la viva para torturá-la.

No geral, foi um bom episódio e o próximo também promete, por ter a ligação Parabatai de Jace e Alec como foco. Também vale lembrar - ou informar, caso vocês ainda não saibam - que a apartir do quinto episódio, os showrunners da série foram substituídos e os novos prometem que essa temporada será realmente sangrenta - até shade para os antigos, eles mandaram! Vamos ver se eles realmente conseguiram melhorar a dinâmica da série, que não está ruim e já mostrou um grande avanço em comparação com a da primeira, vale ressaltar. E até semana que vem!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário