quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Crítica | Scream Queens - 2x08: Rapunzel, Rapunzel



Quanto mais assassinos melhor, só que não.

Em seu oitavo episódio (restando apenas dois para o encerramento da trama do segundo ano), Scream Queens continua com os mesmos problemas narrativos que teve desde sempre. Simplesmente a série não sabe o que quer contar, não sabe onde quer chegar e o pior, não sabe que caminho quer seguir. Apesar de vários momentos revelação e algumas risadas, todos os espectadores sentem ao término do episódio que aquilo foi uma diversão sim, mas das baratas.

O texto não é mais tão ácido como outrora, as piadas sarcásticas são largadas as vezes sem propósito servindo apenas para destoar um pouco a monotonia do roteiro e as críticas à nossa realidade vem muito menos embasadas, na verdade um tanto quanto cínicas. O humor politicamente incorreto está lá, fervendo, mas apenas para nos lembrar que estamos em SQ e o mundo dos personagens aceita todo tipo de comentário, mesmo que sejam misóginos, machistas, racistas, homofóbicos, etc. Ryan sabe brincar com as falas de todos os protagonistas, mas muitas vezes perde a mão na hora de desenvolver algo concreto que caiba naquele mundo.

Apesar dos muitos erros, algumas decisões conseguiram se sobressair, ou seja, não bastasse TRÊS Green Meanies, provavelmente teremos a introdução de mais um, o qual também já sabemos a identidade. Até aí tudo bem já que faz parte da estrutura da série sabermos de pontos-chaves antes do término da trama, mas os problemas saltam aos olhos quando qualquer um pode ser um assassino em potencial pelo motivo mais descabível possível.



Dito isto, temos o retorno de um dos personagens menos carismáticos do primeiro ano do show e tudo o que ele fez foi ser introduzido de uma forma nada crível, só para ser mais um dos assassinos. Não me entendam mal, creio que um time de homicidas agita de forma positiva a estória (ora, sabemos que um dos maiores problemas de Scream na sua segunda temporada foi engolir que apenas um matador conseguiu fazer tudo o que fez sozinho), mas precisa haver sim um limite. Daqui a pouco teremos mais Green Meanies do que potenciais vítimas e isso é um grande incômodo, uma vez que a maior parte narrativa do show não se concentra nos crimes em si, mas na histeria dos outros personagens.

Fora isso, algumas coisas ainda funcionaram. Mesmo que já estejamos na reta final, pouca coisa sobre o mistério e sua resolução foram realmente bem guiadas pelo time de roteiristas. Desde o início temos Zayday como fator determinante para que a trama da identidade do assassino andasse. Apesar da falta de carisma da personagem (uma vez que ela é a única sã - de certo modo - no meio daquela loucura), ela ainda é responsável por algumas respostas e pistas que viemos descifrando. O maior infortúnio neste ponto é que a personagem não é tão inteligente e lógico que ela se meteria na casa do assassino, tomaria o chã oferecido e acabaria sequestrada. - Pontos para as ótimas referências de câmera e trilha sonora ao filme Halloween, os melhores momentos de tensão partiram destas cenas.

Não falta muito para o grand finale e Scream Queens precisa correr se quiser amarrar todas as pontas soltas de suas tramas, principalmente as paralelas que foram sendo introduzidas sem o devido cuidado e temos no final das contas tanta coisa a ser dita que fica a dúvida se as respostas realmente virão no último episódio. Ryan consegue nos surpreender com suas alegorias na mesma medida que consegue nos decepcionar com fatos muito mal explorados e esclarecidos. Oremos para que tenhamos algo relevante, chocante e que faça sentido ao término deste segundo ano, mas mais importante, que se o show seja renovado (o que eu duvido muito) o time criativo entenda os erros cometidos e os concerte. É aquele ditado, "a esperança é a última que morre", assim como a Chanel.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário