terça-feira, 25 de outubro de 2016

Crítica | Grey's Anatomy - 13x05: Both Sides Now



Às vezes temos que olhar o lado bom das coisas.

Acho que o medo do inesperado todos nós já tivemos. Independente da situação, não saber o que vem a seguir pode ser muito desesperador. Em sua décima terceira temporada Grey's Anatomy não empolga mais como outrora, mas continua entregando uma trama coesa, que por mais que desagrade alguns, continua sendo interessante para todos, sendo pelo fato de concordarmos ou descordarmos com o que estamos assistindo.

Esta semana, com um episódio que soube equilibrar muito bem o tempo em tela para diversificados núcleos e estórias, Shonda evidencia que pode continuar a surpreender com os casos semanais e mostra que estes servem na verdade como um segundo plano para contar o que realmente importa: a vida dos médicos. Sim, estas tramas paralelas são sempre bem vindas e sempre muito bem contadas e a verdade é que elas constantemente serviram muito bem para ajudar a narrar a vida dos nossos protagonistas.

Seja pela doce vovó que bate o pé sobre um fígado de que não quer abrir mão, seja sobre o senhor que sabe de todos os riscos da cirurgia, seja pela jovem adulta que não pode fazer a doação de um órgão para a irmã gêmea por estar grávida. Todos estes servem para tornar mais humana as relações entre os médicos, pacientes e nós espectadores. Apesar de não termos mais casos tão inesperados e surpreendentes como nas temporadas anteriores (ora, temos que entender que casos se repetem), o texto continua fluido como nunca e entrega um drama ainda muito satisfatório.



Como destaque esta semana temos Amelia e sua possível gravidez. No decorrer dos minutos do episódio fomos capazes de presenciar varias situações e emoções pelo que a médica passou. A excitação, o fato de contar para sua família, como os outros reagiram à notícia até o momento da verdade onde ela fica aliviada por não estar realmente grávida. Não conheço o passado de Amelia porque não assisti Private Practice, mas sei que de sofrimento ela entende. Essa trama dela estar com receio de engravidar e Owen estar louco para ter um filho é muito saboroso, por trabalhar novamente este embate entre desejos e realidades.

Tivemos menos tempo em tela para Meredith e Karev essa semana e isso foi algo bom. Enquanto víamos Bailey tentando reparar algumas coisas com DeLuca, tivemos tempo de relembrar a velha Miranda, ora carrasca, ora mãe. A personagem que a muito tempo vem sendo deixada de lado, aqui relembra o porque de ser tão querida pelos fãs.

Com estes numerosos núcleos trabalhados nesta semana o episódio conseguiu ser bem mais leve do que seus anteriores e isto é uma coisa ótima. Fomos capazes de esquecer um pouco os inúmeros problemas pelos quais os personagens estão passando ou irão passar e se não fosse por pequenos lembretes em alguns diálogos, poderíamos nem nos recordar da agressão de Karev contra DeLuca. Isso é um tema que muito felizmente ainda será bastante abordado e estou bastante ansioso para ver o que Shonda preparou para nós.

Com um ótimo episódio, com tramas mais cômicas e vários casos interessantes, Grey's abandona um pouco a seriedade que veio até então abordando para dar espaço para dramas pessoais de outros personagens que não tinham tido muito tempo em tela desde o início da temporada. Sendo fácil o melhor até agora, Both Sides Now evidencia a sabedoria dos roteiristas em dar um tempo para respirarmos, para então sim aprofundar toda a seriedade que o tema violência doméstica necessariamente precisa ter.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário