sexta-feira, 29 de julho de 2016

Crítica | Dead of Summer - 1x05: How to Stay Alive in the Woods


Como prometido: ninguém está a salvo e ninguém será poupado.

Review: 
(Spoilers Abaixo)

Hoje vamos falar sobre teorias. Séries com aspectos de horror e suspense tem em sua grande maioria (Scream, Scream Queens, Pretty Little Liars) um artifício que faz com que o espectador se torne uma parte do show. Diferente de uma parte dos programas, séries nesse gênero são capazes de motivar os fãs mais assíduos a criar mil e uma teorias sobre os mais determinados pontos: Quem é -A? Quem é o assassino? Quais suas motivações? Todos são suspeitos? Assim sendo, nós não esquecemos de uma série até a semana seguinte com o próximo episódio, como na verdade após cada nova descoberta montamos em nossas cabeças hipóteses para essas perguntas levantadas, o que torna a experiência de acompanhar esses dramas muito mais interessante. 

Dead of Summer enfrenta seus maiores problemas quando o assunto se torna "criar teorias". Enquanto essas outras séries apresentam pistas e pequenas dicas durante suas jornadas, que por mais que não sejam verdadeiras são sólidas o suficiente para criar algumas suposições, DoS apresenta charadas desconexas que não fazem sentindo, o que torna a experiência de teorizar quase que impossível, não só fazendo que fiquemos com cara de bobo a cada nova revelação como torna essa experiência um tanto quanto enfadonha e cansativa.

Apesar de nesse quinto episódio termos algumas respostas, essas não se mostraram coerentes e muito menos satisfatórias. Vamos começar pelo protagonista dessa semana, Joel deixa claro que essas assombrações do acampamento não estão lá por acaso e muito menos escolhem suas "vítimas" aleatoriamente, ou seja, todos estão lá por um motivo predestinado. Apesar de isso ser um esclarecimento, porque Joel é o único que vê o "homem alto"? Ou mesmo, "Amy é a 'escolhida' desde seu nascimento?" Perguntas essas pertinentes que não foram respondidas.

Outra incógnita é Deb. Ela faz ou não parte do culto? No episódio anterior suas ações eram as mais manipuladoras possíveis, tudo para alcançar um objetivo maior. Já aqui temos praticamente outra personagem, que não lembra, ou não fez nada daquilo que foi nos mostrado em tela um episódio atrás. Deste modo fica a pergunta se Joel viveu aquilo mesmo, já que o roteiro faz questão de não elucidar se é tudo da cabeça dele ou se é verdade. Mais importante ainda é que se tudo for verdade, Deb está fazendo a sonsa e fingindo que não lembra de nada ou ela estava em um estado de hipnose (assim como Amy) e foi controlada por uma força maior?


Agora quero falar sobre o tal "homem alto". Ele foi vendido como o vilão da temporada, ou pelo menos um deles. Já conheço a escrita dos criadores e pelo que captei nesse episódio esse "homem alto" não parece estar querendo o mal de ninguém como na verdade pode estar lá para ajudar - mesmo que com métodos duvidosos. Seu maior pedido para Joel era que o menino assassinasse Amy e isso pode ser para que o tal demônio não seja acordado, já que a mesma é a escolhida, ou pode ser também que ela fosse o sacrifício necessário. Pois bem, a narrativa não deixa nada claro e isso complica demais o entendimento dos espectadores.

Apesar disso tudo, percebemos enfim que REALMENTE ninguém está a salvo naquele acampamento. Enquanto outras séries (Scream, Scream Queens) tem um medo absurdo de se desfazer de seus personagens, DoS chega pra fazer a diferença e escancarar que não basta estar nas fotos promocionais para sair vivo. Aqui, inclusive, o roteiro tem sido feliz em criar a personalidade e passado de seus personagens, o que tornou a morte no final do episódio muito mais chocante do que poderia ter sido, não só pela brutalidade (mesmo que offscreen) como pelo personagem que já fomos obrigados a dar adeus. E como Noah mesmo disse em Scream, estamos aqui para nos apegarmos aos protagonistas e ver eles sofrerem mortes brutais, e finalmente em Dead of Summer isso funcionou e muito bem (Scream aprenda). 

Com um episódio que não consegue ainda revelar o caminho que a série realmente quer seguir, Dead of Summer não é feliz quando tenta criar algo que torne o enredo cativante e intrigante, como na verdade o mesmo se mostra preguiçoso e confuso. Em contrapartida, a série ainda acerta na moldura dos protagonistas e faz escola ensinando que numa série de terror mortes necessariamente tem que acontecer, não só de figurantes como também e principalmente dos rostos importantes, aqueles das fotos, os verdadeiros protagonistas. 

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário