quarta-feira, 29 de junho de 2016

[Crítica] Game of Thrones - 6ª Temporada


Status: Renovada
Duração: 55 minutos
Nº de episódios: 10 episódios
Exibição: 2016
Emissora: HBO

Crítica:
Spoilers Abaixo!

Depois de cinco temporadas com muitas surpresas, guerras e mortes, a série finalmente ultrapassa os eventos narrados pelos livros. Pela primeira vez, até mesmo os leitores estariam às cegas. Nas últimas temporadas, muitas pessoas reclamaram sobre os caminhos diferentes tomados pela série, que cortou diversos personagens importantes dos livros – como a vingativa Lady Stoneheart –, e substituiu outros novos por personagens já conhecidos pelo público – como todo o arco da Sansa na quinta temporada, tomando lugar da falsa Arya, Jeyne Poole. Sendo assim, não me surpreenderia se o próximo livro lançado for completamente diferente com o que vimos nesta temporada. George R. R. Martin pode se aproveitar dos eventos recentes para seguir um rumo completamente diferente, surpreendendo até mesmo os que já viram a série da HBO.

A temporada começou com a pergunta que não queria calar: Jon Snow estava mesmo morto? Não precisávamos esperar o retorno da série para saber que não. O rosto do ator estampou o primeiro banner da temporada – que logo depois trouxe pôsteres que misturavam o rosto dos vivos e dos mortos –, e foi visto nos locais das filmagens. Seu retorno não aconteceu no primeiro episódio, e, depois de muitas teorias complicadas, foi realizado da forma mais simples possível. Melissandre o trouxe de volta à vida. Esperava bem mais da personagem nessa temporada. Seu papel na ressurreição do Snow foi seu único ato notável neste ano, sendo banida do Norte não muito depois. Mas acredito que ela ainda será de grande valor durante a futura batalha com os White Walkers.

Jon, por sua vez, pela terceira vez seguida, dominou o nono episódio da série. Mais uma batalha coloca o bastardo no centro da ação, dessa vez contra os Bolton. Essa sexta temporada representou a queda de muitas casas, e os Bolton certamente foram um dos grandes caídos. Depois de ter sido reconhecido como legítimo, Ramsay Bolton matou o próprio pai e tocou o terror no Norte. Esse foi apenas o começo de sua ruína, que terminou com um último diálogo – rápido, porém significativo – com sua esposa, Sansa. A jovem Stark nunca esteve tão madura e forte! Suas últimas palavras ao sádico Bolton tiveram um enorme impacto, e não posso deixar de destacar o seu sorriso singelo ao vê-lo sendo devorado pelos próprios cães. Isso que é entretenimento, minha gente!

Depois d o que parece ter sido um século, a jornada de Bran finalmente se mostrou relevante para a trama – mais do que esperávamos. Primeiro que seu retorno ao passado acabou confirmando uma das teorias mais populares dos fãs: Jon Snow é filho da Lyanna Stark com o Rhaegar Targaryen, tornando-o um dos herdeiros legítimos ao trono. E, mais importante ainda, Bran não só pode testemunhar os eventos do passado, como também pode alterá-los. Vale lembrar, no entanto, que essas alterações já estão presentes na atual linha temporal, como observamos em torno do significado de "Hodor". Por fim, a última Stark, Arya, terminou a temporada riscando um importante nome de sua lista, Walder Frey. O Casamento Vermelho finalmente foi vingado! Foi um bom desfecho para a personagem, que não teve um desempenho bastante irregular este ano.

Já em Westeros, as coisas realmente esquentaram. Literalmente. Cersei, tomada pelo desejo de vingança e toda montada nas ideias do Rei Louco, usou o fogovivo para acabar com os seus inimigos de uma só vez. Foi um dos momentos mais icônicos da personagem, bebendo despreocupadamente enquanto via as chamas pela sua janela. O interessante disso tudo é o paralelismo de sua situação nas duas últimas Season Finales. No final da quinta, ela encontrava-se humilhada, por baixo. E, agora, a grande Rainha do Trono de Ferro. Por outro lado, sua vingança foi responsável pela morte da Margaery, uma das personagens mais estrategistas da série. Não queria que ela tivesse morrido, até porque, ela sempre foi uma adversária à altura da Cersei. Sem contar que, durante este ano, manipulou o próprio Alto Pardal, livrando-se de sua punição. Ela nunca se converteu de verdade, sendo apenas parte de um plano em movimento cujo desfecho nunca conheceremos.

O fato é que agora a Cersei tem um grande problema nas mãos! Pode ter acabado com os seus inimigos em Westeros, mas praticamente todos os outros núcleos estão prontos para atacá-la. A Casa de Dorne – agora comandada pelas Serpentes de Areia –, massacrou os seus homens no início da temporada, e está com sede de vingança; assim como Olenna Tyrell, a única remanescente de sua Casa. Olenna é uma personagem muito intrigante, cheia de personalidade, e consegue ser ainda mais inteligente que sua falecida neta. Ela pode ser determinante para queda da Cersei no próximo ano. E, claro, não podemos esquecer da Danaerys e sua enorme frota indo em direção a Westeros com muito poder de fogo, sangue nos olhos e três dragões. Considerando que a sétima temporada só terá 7 episódios, quanto tempo Cersei conseguirá se manter no trono?


Vocês têm um minuto para ouvir a palavra de Lyanna Mormont?


Take no bullshit from nobody.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Poderiam fazer só mais uma temporada com 14 episódios. Mas preferiram fazer duas temporadas para lucrar mais, igual estão fazendo com várias franquias atualmente, que quebram o ultimo filme em dois. Shame.

    ResponderExcluir
  2. Poderiam fazer só mais uma temporada com 14 episódios. Mas preferiram fazer duas temporadas para lucrar mais, igual estão fazendo com várias franquias atualmente, que quebram o ultimo filme em dois. Shame.

    ResponderExcluir