sexta-feira, 27 de maio de 2016

[Crítica] Wayward Pines - 1ª Temporada


Status: Renovada
Duração: 42 minutos
Nº de episódios: 10 episódios
Exibição: 2015
Emissora: Fox 

Crítica:

Um lugar para morrer.


Cidades pequenas podem ser aconchegantes, mas, se os filmes de terror nos ensinaram bem, o mais inteligente a se fazer é temê-las. Há inúmeros motivos para se temer uma pequena comunidade, que aparentemente é como qualquer outra. Mas, se você olhar atentamente, verá as mentiras escaparem pelas falhas da imagem perfeita. Essa é a proposta de Wayward Pines, uma cidade tão charmosa que não te deixará sair nunca mais – com vida, pelo menos. No entanto, para descobrir os segredos deste lugar, vocês terão que entrar em uma jornada insana de teorias, perseguições e regras. E, no final das contas, quanto mais vocês acham que sabem o que está acontecendo, mais se afastam da verdade. E isso, meus queridos, é a realidade de Wayward Pines. Sejam bem-vindos.

Na trama, Ethan Burke está investigando o desaparecimento de dois agentes federais quando sofre um acidente e acorda confuso no hospital de uma pequena cidade chamada Wayward Pines. À primeira vista, as coisas parecem normais no lugar, mas não demora muito para Ethan perceber que há algo muito errado com os seus cidadãos. Logo, ele se vê preso no local e impossibilitado de sair. As estradas não levam a lugar algum, ninguém parece questionar as irregularidades da cidade e alguns de seus habitantes parecem saber mais do que querem falar. Agora, a cada passo que toma em direção à verdade, o agente se afasta da vida que conhecia e de quem era antes de estar ali — até encarar a terrível verdade: pode ser que ele nunca saia dessa estranha cidade com vida.

A trama parecia bastante charmosa e convidativa, mas fiquei com medo do ritmo da série. Por este motivo, hesitei um pouco até conferir a produção. Gosto de mistérios, mas quando não são bem conduzidos, eles logo se tornam cansativos. Felizmente, isso nunca acontece com Wayward Pines, uma série bastante inventiva, que consegue se renovar a cada semana, mudando drasticamente a perspectiva de seus espectadores. Apesar de já renovada, o enredo foi concebido como uma minissérie, então os roteiristas investiram pesado no desenvolvimento da série – diferente de muitas outras que retardam os seus acontecimentos pensando nos anos seguintes. Foi uma jornada alucinante, com uma Season Finale cheia de adrenalina e tensão.

Não posso me aprofundar muito sobre a trama – principalmente a respeito da segunda metade da temporada –, porque há uma grande reviravolta no quinto episódio, convenientemente chamando The Truth (em tradução livre, A Verdade). O episódio em questão cumpre o prometido e desvenda o grande mistério por trás da cidade. É uma revelação que muda completamente a dinâmica da história, então recomendo que vocês evitem qualquer spoiler a respeito. Destaco também o segundo episódio, Don't Discuss Your Life Before, que mostrou que a série não estava mesmo para brincadeira. E, mesmo estando no começo, não iria dar descanso para os seus espectadores. De fato, os eventos finais deste episódio pareciam uma espécie de Season Finale. Mas a insanidade estava apenas começando.

Tenho certeza que muitos ficarão decepcionados com a grande revelação por trás do segredo de Wayward Pines, justamente por ser algo tão distante do que a maioria poderia imaginar. Porém, o roteiro faz um bom trabalho nas semanas seguintes para sustentar uma base para esta revelação. Passado o choque inicial, acredito que a maioria irá apreciar a originalidade do enredo. Para mim, ainda havia uma grande questão que não soava natural, mas tudo foi esclarecido na Season Finale. Algumas decisões mostraram que o mistério por trás da cidade não era uma questão de necessidade, mas sim de controle. E essa era a peça que estava faltando para o desfecho deste enorme quebra-cabeça.

A série também de beneficia de um ótimo protagonista, interpretado pelo excelente Matt Dillon. Além de ter carisma, Ethan é o típico herói que quer salvar todo mundo, sem soar clichê e cheio de moralismos. Ele é implacável e nos faz torcer para ele em sua jornada. A segunda temporada – que já estreou – promete trazer mais noites tensas na cidade, além de se aprofundar em sua própria mitologia. Essa primeira temporada foi muito empolgante de se acompanhar. Um desenvolvimento ágil, uma trama com bastante identidade e, claro, originalidade. Wayward Pines não foi exatamente um hit para sua emissora. De fato, a renovação foi uma surpresa. Mas, ainda que o final do primeiro ano tenha deixado um gancho para uma possível continuação, houve uma espécie de conclusão para aquele ciclo. E eu não espero nada menos na conclusão do segundo.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário