domingo, 22 de maio de 2016

[Crítica] Grey's Anatomy - 12x24: Family Affair (Season Finale)


O amor com certeza tem limites.

Review: 
(Spoilers Abaixo)

Chega mais um fim de temporada, essa que foi vendida como um ano que traria a leveza do roteiro que outrora não precisava criar situações tão dramáticas para se despedir de seus personagens. A verdade é que Shonda, com muito êxito, conseguiu vender seu peixe, e mais importante alcançar os objetivos que pretendia já que esta décima segunda temporada por ser mais leve em nenhum momento necessariamente deixa de ser interessante ou mesmo intensa.

Vários pontos e dramas foram importantes para esse episódio, sendo o foco bem distribuído a melhor parte do episódio. Quase todas as tramas que haviam se iniciando anteriormente conseguem receber o devido destaque em tela (menos uma que eu comentarei mais pra frente) e mais uma vez o elenco sempre muito bem escolhido consegue entregar atuações que não só arrepiam e verdadeiramente conseguem transmitir os sentimentos pelo qual o personagem está passando.

Pra mim, como atuação Amelia (Caterina Scorsone) é a que entrega fácil a melhor dessa finale. Sempre tive meus problemas com a personagem, suas motivações e como ela chegou de paraquedas na série. Mas finalmente os roteiristas acertaram o tom, que já vinha sendo bem construído a algum tempo. Todas suas palavras, medos, dúvidas e certezas foram tão bem passados que em certo momento nos sentíamos tão próximos da médica que era impossível não pensar que ela estava falando com cada um de nós espectadores.

Muito bem posto, a relação dela e Meredith nesta semana conseguiu funcionar de um modo único e sem precedentes. As duas tem um relacionamento difícil desde sempre, e se em alguns momentos elas se encontravam em "paz" em outros só faltava que as duas se estapeassem. A série faz questão de levantar pontos importantes, como "família a gente não escolhe" e isso se evidencia o quanto as duas irmãs, mesmo não se gostando muito, estão naquele momento uma para outra, mais especificamente Mer servindo como consciência e mostrando o leque de opções que Amelia poderia decidir seguir.

Do outro lado da cidade, April se encontrava em um momento delicado, onde ela teria que dar à luz ao seu filho no meio da sala de estar de Mer. É óbvio que nesse quesito Shonda não pouparia drama e momentos de tensão, já que ter um filho nunca foi uma tarefa fácil durante a série, e se isso acontecer na season finale é muito provável que as dificuldades do parto se ampliem mil vezes mais.


Sarah Drew dá um banho de atuação e é IMPOSSÍVEL não sentir sua dor quando sua barriga é aberta na mesa de jantar da casa de Meredith. Tive receios quanto a isso, já que passar a sensação de que a pessoa está sendo aberta sem anestesia não é e nem nunca será uma atuação fácil. Não sei se é pelo conhecimento de sua personagem, ou pelos muitos ensaios que provavelmente foram necessários, mas Sarah consegue te passar em cada gota de suor seu sofrimento e dor aguda. Palmas de pé para ela.

Jo e seus motivos do "não" também estiveram em destaque, e pela primeira vez conseguimos entender muito claramente o porque dela não querer se casar com Karev. As razões são bem plausíveis e provavelmente esse passado de Jo será aprofundado na próxima temporada e devo dizer que esse tema é um dos quais nunca foram utilizados na vida dos médicos e que se bem conduzido, pode render ótimos momentos para Jo, Karev e o restante da equipe médica.

Por fim, tivemos a pior parte do episódio, que foi a despedida porca (não tem como colocar em outras palavras) e apressada de Callie. Ela mal teve tempo em tela, incluindo Arizona, o que se entende pelos vários núcleos dos quais o episódio se aproveitou, mas ter um adeus assim quando já tivemos lindas despedidas de outros personagens me faz questionar como Callie era vista na história. Sinceramente fiquei decepcionado como tudo se sucedeu, e por mais que entenda que ela precisasse sair, que tivessem feito um partida tão boa quanto a de Cristina por exemplo, porque querendo ou não Callie está presente desde a segunda temporada e merecia algo muito mais digno do que foi apresentado.

Com uma season finale típica de Grey's Anatomy, ou seja, banhada a drama e ótimos momentos, nos despedimos da décima segunda temporada com um gosto agridoce na boca, já que leveza foi prometida e foi entregue da melhor forma possível. A verdade é que até setembro tem muito tempo e muitas saudades reinarão no coração daqueles que já queriam a continuação destas pequenas pontas soltas que foram deixadas. Por fim, Shonda entrega um trabalho fenomenal onde sentimos sua sintonia com toda sua equipe, desde a produção, escolha de trilha sonora e os atores que mostram o quanto são sortudos e comprometidos com suas histórias. Bom, até setembro para mais uma temporada desse drama que ainda tem muita coisa para contar.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário