segunda-feira, 30 de maio de 2016

[Crítica] Devious Maids - 2ª Temporada


Status: 3ª Temporada
Duração: 45 minutos
Nº de episódios: 13 episódios
Exibição: 2014
Emissora: Lifetime 

Crítica:

Deliciosamente sujo.

Com o final do mistério em torno do assassinato da empregada Flora na primeira temporada, o principal gancho que a série deixou para o segundo ano foi o destino da Rosie nos EUA. Depois de ter descoberto o caso de sua empregada com o seu marido, Peri arranjou um jeito de se vingar, aproveitando-se da situação ilegal da Rosie e o seu filho. Como era esperado, Rosie não acabou sendo deportada, mas sob investigação. Pouco foco foi dado em relação a isso, servindo brevemente como ameaça por um dos novos antagonistas da temporadas. Mas, ainda assim, esperava que esse gancho tivesse tido mais impacto, principalmente por ter sido o único deixado no final do primeiro ano. De qualquer maneira, não é um assunto muito divertido, e provavelmente arrastaria a série para um arco dramático com muito choro de mãe e filho.

O grande diferencial desta temporada em relação à segunda, é que, apesar de ter um mistério principal, há pelo menos outros dois sendo desenvolvidos no decorrer deste segundo ano. Um deles envolve justamente o novo local de trabalho da Rosie. Uma nova família é apresentada, com tantos segredos quanto as demais. Algumas mentiras, traições e manipulações, mas não demora muito para o roteiro revelar o verdadeiro foco do mistério. Obviamente não falarei nada a respeito para não estragar a diversão de quem ainda vai conferir os episódios, mas gostei desses novos personagens. E, apesar disso, gostei ainda mais dos roteiristas terem escolhido não trazê-los para a terceira temporada. A história daquela família teve um ponto final, seus segredos foram revelados e os conflitos resolvidos. É claro que eles poderiam ter introduzido novos, mas optar por não fazê-lo traz maior rotatividade à trama, o que é importante para a série.

Outro mistério que ronda o enredo desde o primeiro episódio deste novo ano é em relação à gangue de bandidos que roubam dos ricos para dar aos pobres. No final das contas, nem mesmo os membros da gangue conseguem dar muito sentido para os seus atos. Os motivos foram fracos, e o propósito praticamente inexistente. Ainda assim, a gangue trouxe algumas consequências mortais para um dos moradores do local. Fiquei bastante surpreso com essa morte logo no início da temporada, justamente quando o personagem estava se destacando mais. Queria ter visto mais desenvolvimento de sua parte, especialmente em torno do seu "segredo", que ele provavelmente não iria mais esconder. Com esse assassinato, todo um núcleo foi dizimado, fazendo-nos perder não só a vítima, como também os seus empregados.

Finalmente, o mistério principal gira mais uma vez em torno da Marisol (que lutou tanto para tirar o filho da prisão, mas ele nunca mais deu as caras). Agora, noiva de um homem lindo e milionário, ela percebe que os pontos negativos de algumas pessoas podem ser... mortais. Não foi tão interessante quanto se poderia imaginar à princípio, mas teve uma conclusão satisfatória – dando uma tão necessária conclusão para uma trama levantada brevemente no primeiro ano. O plot "marido assassinos de esposas" já foi abordado várias vezes antes, então o destaque fica por conta de sua furtiva emprega, Opal. Ela pode ser considerada a verdadeira antagonista da temporada, impondo uma ameaça direta à Marisol, cujo conflito final se estabelece um episódio antes da Season Finale.

Fazendo uma análise geral em torno da vida pessoal das nossas personagens favoritas, temos a Zoila, que foi abandonada pelo marido, o que deu uma mobilidade muito maior para a personagem. Gostei muito do seu envolvimento com o Javier. Valentina, por sua vez, ficou presa nesse triângulo amoroso que todos nós sabíamos como terminaria, especialmente se levarmos em conta os segredos que o seu novo namorado escondia. Ainda assim, destaco sua interação com os Powell, principalmente Adrian, que desenvolveu uma relação quase de pai e filha com ela. Queria ter visto mais cenas entre eles dois! Por último, a relação entre a Rosie e o Spence finalmente chegou a um ápice (finalmente!), e a Carmen não teve tanto destaque em sua vida pessoal, muito menos os seus sonhos de se tornar uma cantora. Mas protagonizou algumas cenas impagáveis, além da constatação de ser uma péssima empregada – algo que passa a ser uma piada recorrente do texto da série.

Algumas pessoas acham que essa temporada é mais fraca que a primeira, e, apesar de deixar a desejar em alguns aspectos, também consegue se sobressair em outros. É interessante notar que várias subtramas isoladas parecem se encontrar na reta final, ainda que a conclusão de algumas delas só irão ver a luz do dia no próximo ano. Não podemos esquecer que o final desta temporada teve o desfecho mais chocante dentre todas as Season Finales apresentadas até o presente momento. Terminando com um grande "bang", onde o destino de todos foi deixado na balança. A grande questão que permanece é: Quem viverá para limpar outro dia? E quem será o próximo a cair morto?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário