segunda-feira, 18 de abril de 2016

[Crítica] The Vampire Diaries - 7x17/18: I Went to the Woods / One Way or Another


Espera, eu já não vi esse episódio?

Review:
(Spoilers Abaixo)

Prontos para comentarmos os últimos acontecimentos de The Vampire Diaries? Confesso que mesmo vendo claramente o quão é precário o estado da série - o que comentarei mais abaixo -, havia ficado contando os minutos para o décimo sétimo episódio devido ao fim do anterior e o estado em que Stefan se encontrava. E como todos vocês já devem saber, ele é meu personagem favorito na série.

Pois bem, o episódio chegou, eu o vi e foi um episódio até legal, onde os quarenta e dois minutos voaram. Mas nem tudo que reluz é ouro, não é mesmo? E por mais que eu tenha gostado do episódio, não vou mentir e fingir que ele foi um episódio filler, feito apenas para contabilizar os vinte e dois que a temporada deve ter. E o pior, tivemos um mesmo episódio assim há algumas semanas atrás - o décimo - onde a única mudança foi que Damon é que estava em seu "inferno pessoal". A única diferença é que este de Stefan funcionou em partes, coisa que o primeiro não conseguiu realizar nem um pouco.

Por que em partes, vocês devem estar se perguntando, certo?! I Went to the Woods conseguiu trazer a tensão que as primeiras temporadas passavam com a promessa de que vários vampiros loucos estavam soltos pelo mundo devido ao fim que a Pedra Phoenix teve. Mas como sempre, os roteiristas não aproveitaram essa chance e trouxeram à cena apenas um vampiro serial killer que bancou o fodão mas até o Matt (!) já realizou atos mais perversos que ele. Basicamente, o episódio só serviu para comprovar o talento de Paul Wesley.

Como eu disse no primeiro parágrafo, o estado que a série se encontra é precário. Vocês já pararam para contar quantos plots já foram jogados ao longo desses episódios e realmente acrescentaram algo a mitologia da série? Foram mais de seis histórias iniciadas só nesse ano, mas todas mal desenvolvidas. Acredito que a única que supriu as expectativas foram os bebês da Jo em Caroline. Lily prometeu muito e pouco cumpriu; Julian, idem; Rayna também... A aposta da vez é essa organização Arsenal, e eu já aposto que no fim de tudo, será igual as outras tentativas. Espero que pelo menos esta consiga surpreender, mas é uma realidade que acho muito distante.

E para agravar a situação, Valerie, que era a única Hegere bem desenvolvida de todos os apresentados, se despediu da série no último episódio. Não sei se no próximo episódio, Candice Accola já estará de volta - ela não esteve nestes últimos por conta de sua gravidez -, mas se não, teremos que nos contentar apenas com Bonnie, que é outra personagem que está perdida nos episódios. Eu estava com vergonha alheia dos roteiristas por terem colocado a personagem em uma reabilitação por conta de Damon, porque convenhamos que nem o fim da amizade mais forte do mundo é consequência para isso, quem dirá essa iniciada à duas temporadas. Felizmente, tudo era parte do plano da bruxa para conseguir informações com uma parente da família que comanda o Arsenal e que também estava internada ali.

Ah, também introduziram para a personagem as mesmas pílulas que causaram a morte de Mary Louise por conter o sangue de Rayna - que deixou claro neste episódio que isso não tem cura. Bom, só nos resta ver como vão livrar Bonnie disso, já que Kat Graham está confirmada na próxima temporada. E, claro, rezar para que os próximos episódios sejam bons e não afundem mais a série do que ela já está.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário