domingo, 20 de março de 2016

[Crítica] The Walking Dead - 6x09-13: No Way Out / The Next World / Knots Untie / Not Tomorrow Yet / The Same Boat


"Um mundo maior".

Review:
(Spoilers Abaixo)

Quase não consegui acompanhar a segunda metade da temporada com vocês, mas retorno com as críticas atrasadas faltando apenas três episódios para fechar este sexto ano. Obviamente ando muito ocupado, por isso a ausência. Fico triste porque gostaria de estar sempre presente por vocês, mas ultimamente a situação está mais apertada. De qualquer forma, a vaga para alguém assumir a série está – e sempre esteve – aberta. Voltarei a falar sobre isso no final do texto, mas por enquanto vamos fazer um resumão do que essa leva de episódios nos trouxe. Apesar de alguma enrolação básica, até porque fiquei surpreso com o ritmo da série – depois da decepcionante primeira parte.

O nono episódio, No Way Out, continua os eventos da parada Mid-Season Finale. Tudo segue basicamente como estava previsto para acontecer. Quem viu os spoilers – que vazaram meses antes –, não ficou surpreso com nada. No entanto, foi um ótimo episódio, trazendo tudo o que faltou no último exibido em 2015. Tivemos muitas mortes brutais, conflitos e zumbis para todos os lados. Jess e os seus filhos sucumbiram à horda de mortos-vivos, enquanto o Carl saiu com apenas um olho. No entanto, o que mais me surpreendeu foi a saga do Wolf com a Denise. Sempre fui a favor de matá-lo no ato, então me surpreendi com suas atitudes neste episódio. Não posso dizer, porém, que não tenha sido forçado. Ninguém voltaria nem por um amigo, muito menos por uma vítima. Mas, enfim, o roteiro precisava provar um ponto para iniciar o novo arco da Carol na trama.

Fiquei muito tenso com as possibilidades que o roteiro tem desenvolvido para minha personagem favorita. Ao contrário do que muitos dizem, Carol não é uma máquina de matar sem emoções. Ela sempre se mostrou muito sensível em torno das situações que enfrenta, mas se assuma uma posição forte porque essa é a postura que o mundo em que vive necessita. Fiquei com medo que o roteiro a fizesse buscar algum tipo de "redenção", trilhando o mesmo caminho sem graça do Morgan. Vocês conseguem imaginar uma coisa dessas? Eu certamente não quero. No episódio 12, Not Tomorrow Yet, algo em Carol estava diferente. A personagem estava com um olhar vago, como se tivesse duvidando de si mesma, questionando suas ações. Então eu fiquei extremamente preocupado quando ela e a Maggie foram sequestradas pelo grupo do Negan. Como ela reagiria?

A resposta é: da melhor forma possível. Usando manipulação psicológica, assim como também usando sua aparência frágil ao seu favor, Carol conseguiu mais uma vez salvar o dia. Mas, ao contrário de outrora, ela não estava matando todos que se mexiam no ato. Havia hesitação e ela queria verbalizar primeiro e matar quando não houvesse outro jeito. No final do episódio, é difícil saber se esse questionamento da personagem continuará a atormentá-la. Fiquei bem óbvio que ela sabe o que tem que fazer ou as pessoas que amam poderão sofrer as consequências – como quando ela hesitou e a mulher conseguiu cortar de leve a barriga da Maggie. Vimos então uma Carol implacável, sequer piscou em explodir os miolos a figurante. Vamos ver como ela será abordada nas próximas semanas, espero que essa tentativa de redenção tenha parado por aqui.

Uma adição digna de nota ao elenco foi a do Jesus, que teve grande destaque nos episódios The Next World e Knots Untie. Desenvolvendo a premissa dessa segunda parte da temporada – "um mundo maior", como afirma a tagline – Jesus é de uma outra comunidade. além de mencionar que existem muitas outras. Seu grupo está à mercê do Negan e de suas exigências, o que acabou levando ao acordo entre os dois grupos de eliminar este problema. Tudo foi relativamente fácil até agora, o que deve ficar bem mais complicado nessa reta final. Negan sequer apareceu em tela ainda, mas sua presença na boca dos personagens começou a se tornar palpável. Espero que Jesus dure o suficiente para o conhecermos melhor. Achei o personagem interessante e morri de rir com a perseguição entre ele e o Daryl – que culminou em um pique-pega no campo (!!).

Por enquanto o grupo do Rick tem se achado o grande poderoso, mas eles com certeza estão subestimando os seus inimigos. A série pode ter muitos defeitos, mas apresentar um bom antagonista nunca foi um deles. Confio plenamente na poderosa figura que Negan representa, e a escalação do elenco parece promissora. Mal posso esperar para vê-lo em cena; sem contar a infame cena que todos os fãs estão se mordendo para conferir. Será que os roteiristas seguirão fielmente os quadrinhos ou a vítima da vez será outra? Tudo pode acontecer, isso é verdade. Só restam três episódios, gente. E eu espero estar por aqui para comentá-los com vocês.

Caso alguém estiver interessado em escrever as críticas da série, basta me mandar um e-mail (nefferson_2@hotmail.com) com um texto criticando algum episódio recente para avaliação. Lembrando que não buscamos apenas resumos, mas sim opiniões. Boa sorte a todos!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário