quinta-feira, 31 de março de 2016

[Crítica] Grey's Anatomy - 12x15: I Am Not Waiting Anymore


Quando a ferida começa a se curar, ou não.

Review: 
(Spoilers Abaixo)

Superar uma tragédia é algo bem recorrente na vida desses médicos, tanto em questões pessoais com tragédias mais íntimas, quanto os famosos tiroteios, quedas de aviões e por aí vai. Esse episódio, por mais que bem equilibrado nas tramas, trouxe essa mensagem para todos os personagens, mas que fica muito mais evidente no caso de Meredith e April e Jackson, e isso se intensifica justamente pelo caso da semana que trata diretamente como o tema "esperança".

Começando pelo lado mais melodramático e um tanto quanto irritante: Japril. O casal desde o seu início, onde se pegavam nos banheiros, apresentou grande potencial dramático, tanto em questões positivas como casamentos sendo interrompidos até histórias que não agradam tanto como as últimas brigas do casal. Na temporada passada os dois tiveram um ótimo destaque quando a trama do filho com doença rara trouxe ótimas questões para os dois.

O roteiro foi inteligente em desenvolver o quadro para os protagonistas. April conseguiu levantar questões religiosas novamente, que sempre foram um charme da personagem, e Jackson pode também fazer algumas perguntas e reflexões, por mais que sua fé nunca tenha sido bem explorada. Tudo se encaminhou lindamente com um desfecho extraordinário para esta parte da história, mas quando resolveram aprofundar o luto, meio que o texto se perdeu e tornaram esse núcleo um tanto quanto inconveniente e desconexo. A verdade é que ninguém aguenta mais as brigas dos dois.

Pois bem, essa semana grande parte do que vimos em tela foi justamente o desenvolvimento da descoberta de Jackson de que April está grávida, e por mais que tenha tudo sido banhado a brigas e discussões e um texto pesado para os dois, dessa vez tudo fez um pouco mais de sentido. Não que tenhamos algo extremamente mais bem colocado, até porque ainda não entendo bem algumas decisões nem do Jackson (que falou coisas realmente cruéis para sua ex parceira), nem da April, que apesar de estar "certa" ainda tem algumas atitudes um tanto quanto questionáveis (a briga exagerada com Arizona).

Do outro lado temos o desenrolar do caso de Meredith e seu possível novo crush. Sinceramente não estou entendo muito bem o que esse Dr. Thorpe está querendo, porque ele mal conhece a Mer e praticamente se mostra obcecado por ela, indo atrás dela no trabalho porque ela não responde suas mensagens de cunho pessoal e insistindo em um encontro. Apesar da cena final fofa dos dois no carro discutindo coisas de cirurgiões, não sei se esse timing dos roteiristas está muito certo. já que sabemos que a série não vai terminar nessa temporada, não tem porque fazer um romance apressado apenas para formar um casal.

De resto, nada muito diferente do habitual. Riggs falou poucas e boas para Owen, e devo dizer que concordo com cada palavra, e como Hunt nunca foi dos mais fortes emocionalmente, já se atirou em um poço de bebidas. Aquele ambiente não é o melhor para Amelia e a relação dos dois mais uma vez não se acerta. Não entendo porque sempre que eles estão começando a construir algum sentimento mais sólido, acontece algum problema que afasta as dois e só causa drama desnecessário.

Sem nunca desapontar, Grey's Anatomy mais uma vez nos entrega um capítulo que mostra por onde a série irá se guiar por algum tempo. Temos o caso do filho de Japril, o novo possível relacionamento de Meredith, Karev e seus ótimos momentos, Pierce e os problemas com o interno, tudo o que Shonda e seu time adoram, um ótimo drama para nos encher os olhos de lágrimas.


Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário