sexta-feira, 25 de março de 2016

[Crítica] Grey's Anatomy - 12x14: Odd Man Out


4 não costuma ser um número de sorte.

Review: 
(Spoilers Abaixo)

A atual temporada de Grey's Anatomy tem trabalhado muito bem suas relações humanas, na verdade toda a série em toda sua história sempre foi muito capaz em usar dessas relações para emocionar seu público. Essa semana o show quis levantar questões bastante pertinentes dentro desse quadro, quando, por exemplo, temos que conviver com alguém que, ou é muito diferente de nós mesmos, ou temos nossos pré conceitos com aquela pessoa, e por assim já moldamos em nossas cabeças como aquele outro ser é, seus defeitos e qualidades (que quase nunca citamos).

Webber foi pioneiro em desmontar as panelinhas dentro do hospital, e o médico, experiente como só ele, percebeu alguns riscos que estes times já formados e solidificados podem trazer para o ambiente de trabalho. Como profissional, qualquer um passa por experiências um tanto que indesejadas e uma delas é com certeza trabalhar com alguém que você não conhece, ou mesmo não gosta. Trazer estes pontos para um time de médicos que até então já haviam escolhido seus tutelados e suas relações já estavam formadas, foi interessante justamente por quebrar os clichês, o que forçou todos a terem uma nova perspectiva sobre o outro e sobre si mesmos como profissional e pessoa da vida real.

Dentre todas as novas ligações a mais problemática certamente foi a de Amelia e Penny que ainda se estranham desde que a atendente "descobriu" que Blake "matou" seu irmão. Os primeiros momentos das duas não foram dos melhores, nem para elas e nem para o espectador. Sinceramente Amelia tem seus bons momentos mas também sabe ser uma chata com c maiúsculo. Apesar de algumas alfinetadas e indiretas, Penelope conseguiu se sair bem em todas as situações, o que me incomoda também, pelo fato da personagem sempre estar atrás da aprovação de Amelia e Meredith. Entendo a culpa que ela sinta e até o constrangimento dela perto de suas tutoras, mas todos entendemos que ela não tem culpa da morte de Derek e na verdade se seguissem o plano dela provavelmente ainda veríamos muito o McDreamy.

Do outro lado tivemos Jo com suas crises e mania de perseguição. Sinceramente a personagem foi uma das que entrou para o elenco e mostrou um grande carisma e empatia com o público logo de cara, mas desde seu relacionamento com Alex ela vem tomando decisões muito contraditórias e irritantes. Esse ciúme da Mer, a indecisão no casamento, a infantilidade entre outros pontos prejudica e muito sua personalidade. Apesar da conversa dela com Mer no final do episódio, ainda acho meio inconveniente como tratam a personagem e sua atitudes.

Arizona esteve em alta no episódio e com certeza se sobressaiu entre os demais. Ela sempre consegue trazer histórias interessantes para a série e aquele caso dos quadrigêmeos e sua coragem perante os desafios mostram como ela vem crescendo como pessoa. Seu envolvimento no caso de April e Jackson também tem mostrado o lado humano da personagem e como ela se importa com seus amigos e se preocupa com o que suas colegas poderão enfrentar no futuro.

Com uma semana excelente que soube equilibrar o desenvolvimento dos protagonistas e as boas historias a serem contadas, Shonda nos entrega um episódio gostoso de ser assistido precisamente por saber trabalhar todos os pontos que Grey's sempre soube evidenciar em suas doze temporadas. Pelas promos dos próximos episódios já sabemos que vem drama por aí, mas enquanto esses episódios não chegarem, estes mais leves e que servem para desenvolver histórias pessoais acabam por serem ótimas pedias.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário