quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

[Crítica] Shadowhunters - 1x04: Raising Hell


Partiu baladinha com os migos para recuperar minhas memórias.

Review:
(Spoilers Abaixo)

E aqui estou para comentar mais um episódio de Shadowhunters. E ainda seguindo a trama dos episódios anteriores, todos estão focados em fazer com que Clary recupere as memórias que lhe foram retiradas. E graças à Simon, eles tiveram uma grande avançada já que o garoto ouviu Camille falando sobre Magnus Bane e Clary lembrou-se de vez que foi ele. O grupo, então, foi atrás do feiticeiro levando um colar que ele queria recuperar há tempos, mas mesmo assim, ele recusou. Bom, até ver Alec.

Os irmãos Lightwood são meus personagens favoritos, então vou ter que falar logo de Malec. Nos livros, os dois só viram um casal no segundo, mas na série já ficou meio claro que vai rolar algo só por esse episódio. Mesmo com seu jeito reservado e concentrado, Alec abriu um sorriso de criança quando ganha presente quando Magnus perguntou seu nome. Mas segundos depois, caiu em si e tentou se esquivar. Porém, o feiticeiro passou o resto do episódio dando indiretas de que gostou dele, principalmente quando falou que "Michelangelo era bom na cama". Confesso que morri de rir nas cenas envolvendo os dois, principalmente nas caras de desentendido que Alec fazia para Jace.

Como comentei na review passada, fico bem feliz ao ver que, além de estarem dando destaque para Alec, os roteiristas ainda o criaram um pouco sarcástico, diferente dos livros. Outro ponto que a equipe está sabendo trabalhar bem é o fato de Alec e Jace serem Parabatai. O termo foi explicado no episódio passado e nesse eles até inseriram um poder que Jace não tem nos livros só para enfatizar que é uma ligação muito forte - tão forte que o coitado do Alec ficou até sem jeito de ter Jace tão perto de si -, já que Jace só conseguiu rastrear Magnus com a ajuda do amigo. E depois de rastrearem-no pela segunda vez, Magnus enfim aceitou ajudá-los, mas foi claro de que o demônio que estava com as memórias de Clary iria querer algo em troca, no caso, outras lembranças deles.

Todos concordaram, Magnus alertou que eles não poderiam soltar as mãos durante o ritual, Clary fez os símbolos, e o satanismo começou. Além dos personagens serem burros ao ponto de darem as mãos da forma mais fácil para se soltar, o demônio ainda roubou a lembrança de quem eles mais amavam e quando chegou a vez de Alec, foi Jace que apareceu na projeção, claro. O medo do segredo vazar foi o suficiente para Alec perder a concentração e soltar a mão do amigo, quebrando o círculo e expondo o demônio, que quase sugou Jace. Com a mão entre a cruz e a espada (perdão), Clary matou o demônio para salvar o mozão, fazendo com que ele morresse com suas memórias. Essa foi mais uma diferença dos livros e ainda não sei se gostei, mas tenho esperanças de que seja uma alteração benéfica no futuro. Mas aproveitando que mencionamos Clary, preciso voltar a focar na atuação da Kat McManara. Ela até deu uma melhorada nos episódios anteriores, mas as cenas dela tendo um pesadelo e sendo queimada por Jace nesse, beiraram o ridículo. Mas é aquele ditado, vamo fazer o quê?

Mas enquanto todos estavam focados em ajudar Clary, Simon começou a sentir os efeitos do vampirismo, tendo alucinações com Camille. Coitada da Maureen, que chegou na casa do garoto toda trabalhada numa declaração de amor e devido ao silêncio dele, acabou se cortando ao derrubar um quadro - o que, claro, não ajudou muito. Diante disso, Simon terminou o episódio voltando ao Hotel Finados (Netflix me matando com as traduções dos episódios), em busca de respostas. Esse plot do personagem é só mais um dos vários do segundo livro que já estão sendo introduzidos na série, como a aparição da mãe de Alec e Izzy, que vai acontecer no próximo. No começo, achei que cada temporada iria trabalhar um livro, mas até que estou achando válido essa junção pois o primeiro livro realmente não é tão interessante e caso a série venha a ser cancelada - não estou destruindo o sonho de ninguém, apenas sendo realista, ok? Ok -, quanto mais assunto tiverem sido abordados, melhor.

E por fim, mas não menos importante, Valentine continua seu plano para conseguir o Cálice Mortal e para conseguir seu objetivo, já começou a tentar criar novos tipos para o seu exército, ao misturar o sangue de Dot (feiticeira) com o de um shadowhunter. Vimos que a mistura não deu muito certo pois, mesmo criando um veneno que matou os espiões da Clave que invadiram seu esconderijo, também matou o portador do mesmo. Não que Valentine se importe com a vida do cara, mas ele não tem uma quantidade muito grande ao seu lado, então não é bom ficar matando os mesmos, né? E foi isso, pessoal! Até o próximo episódio.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário