segunda-feira, 2 de novembro de 2015

[Crítica] How to Get Away with Murder - 2x05/06: Meet Bonnie / Two Birds, One Millstone


Alunos ou reféns?

Review: 
(Spoilers Abaixo)

Quando um show é muito mais que um show? Vamos dizer que Shonda sempre soube a importância de suas histórias e sempre mostrou que é muito capaz de criar um produto que vai além do entretenimento. Desde Grey's passando por Scandal e agora com essa temporada perfeita de How To Get Away with Murder onde o time de roteiristas fazem escola e mostram que uma série pode ser muito mais do que uma diversão de uma hora no meio da semana.

Isso já era visível na primeira temporada, onde certas questões de cunho social já eram levantadas mas agora, neste segundo ano, todo o episódio vem com algum ensinamento em seu subtexto. Este que fica visível a todos os olhos, mas não é como se fosse esfregado em nossas caras. É importante dizer que quando uma série tem a oportunidade de levantar questões realmente do mundo real e realmente sérias, se o fizer do modo errado pode parecer oportunistas e desinteressantes como um número grande de produções já tentou fazer e falhou subitamente. Diferente disso HTGAWM consegue equilibrar suas tramas e próprias histórias, servindo como o entretenimento em si, mas também apresenta temas do mundo exterior e trabalha eles de forma majestosa.

Os casos semanais dos advogados são os veículos para que o roteiro possa trabalhar essa parte da atração e não decepciona justamente por criar um elo forte com o espectador, apresentando os "três" lados de uma mesma moeda, evidenciando, por exemplo, que uma pessoa pode matar outra pessoa e mesmo assim seria um crime tachá-la como assassina e é justamente por isso, com um texto muito bem escrito, dirigido e interpretado que nos envolvemos de um modo muito pertinente com aqueles personagens e situações. Ou seja, eles podem estar em universos muito distantes da nossa realidade e mesmo assim nos sentimos ligados a eles e conseguimos nos ver representados por aquelas caricaturas.

Em questão de ritmo a série se mantém da forma mais brilhante possível, apresentando novas pistas e charadas para prender a atenção do espectador. Não é nem um pouco complicado assistir o episódio e criar mil e uma teorias, o complicado é ter que esperar uma semana para ter um novo episódio. Um fato que agrega muito na questão do mistério principal, é que nestes dois últimos episódios o show deixou claro que todos os personagens estão de alguma forma envolvidos na situação que levou Annalise ao hospital, ou seja, existem inúmeras pontas soltas por agora que tenho certeza que serão lindamente amarradas quando tudo for esclarecido, creio que nessa primeira parte da temporada.

Importante ressaltar que os personagens continuam moldando ainda mais suas personalidades e todos conseguem amadurecer de uma semana para outra de uma forma incrível. Uma parte da história da Bonnie (se é verdade ou não eu ainda não sei já que sabemos que Annalise pode ser manipuladora a este ponto) foi apresentada e nos torna tão capazes de criarmos uma empatia maior pela personagem que é algo incrível que o script consegue fazer. Claro, temos certos momentos onde algumas atitudes parecem irritar, mas nada que incomode realmente. Temos ainda muitas questões para levantar, mas o que vale ser dito é que esta temporada consegue se superar em todos os aspectos frente a sua antecessora.

Com mais dois episódios incríveis onde é fácil classificar essa série como a melhor em seu gênero, HTGWHM merece todo o destaque por saber contar sua história e saber conduzir o início o meio e o fim. Mais conflitos são prometidos, mais dúvidas e mais satisfação em poder assistir quarenta minutos de um material tão bom onde é notável a dedicação para que o público se sinta parte daquilo tudo.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário