segunda-feira, 19 de outubro de 2015

[Crítica] The Walking Dead - 6x02: JSS


Onde os fracos não têm vez.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Depois de uma Season Premiere abaixo do esperado, mantive boas expectativas para este segundo episódio. O fato é que o primeiro apenas introduziu o problema, cabendo a este desenvolvê-lo. Apesar de esperar o caos, nada poderia me preparar para o que aconteceu esta semana. Primeiro que eu fiquei um pouco preocupado com aquele prólogo - mostrando a quase namoradinha do Carl e como ela encontrou a comunidade. Foi interessante saber um pouco mais da luta da personagem, mas convenhamos que aquela morte dos pais foi bem manjada. Mas, conforme este sexto ano vem trabalhando, existem dois tipos de pessoas: os fortes e os fracos. E apenas um deles tem o que é preciso para se manterem vivos no mundo atual.

Que o povo de Alexandria não sabe se cuidar, isso sempre foi um fato. Mas neste segundo episódio suas habilidades foram colocadas à prova. Como estou viajando, não procurei saber muito sobre o episódio, então esperava que a maior ameaça da comunidade foi mesmo o grupo de zumbis que se desviaram do seu caminho. No entanto, havia algo muito mais perigoso nos arredores: os Lobos. Eles estão rondando a área desde a temporada anterior e finalmente mostraram a cara - resultando em um enorme massacre dentro de Alexandria. Se os integrantes da comunidade não sabem se proteger nem mesmo de zumbis apodrecidos, quem dirá de seres vivos muito capazes? É simples: eles não conseguem. O que vimos nesses 42 minutos foi uma execução atrás da outra, com os moradores de Alexandria sendo assassinados das formas mais brutais possíveis.

Restou ao grupo do Rick - os que não compareceram à marcha dos mortos, pelo menos - lidar com a situação. Apesar de todos terem defendido o lugar, ninguém se destacou mais do que a Carol. Provando mais uma vez que é uma das melhores personagens dessa série, ela se camuflou e acabou sem piedade com os seus inimigos. Não víamos a personagem ser tão ativa assim desde a Season Premiere da temporada passada, e é sempre bom vê-la fazendo o que é necessário para sobreviver. Muitos criticam a frieza da personagem, mas essa mudança não é algo que aconteceu de uma hora para outra. Carol é a personagem que melhor foi desenvolvida em seu tempo na série. Sem contar que ela não é uma máquina de matar sem sentimentos. A cena rápida no final do episódio, onde ela chora sozinha depois do massacre é de uma humanidade tremenda. Ela não tomou gosto por sangue humano, não se diverte matando pessoas... mas ela sabe que é necessário se quiser permanecer viva.

Sem contar que não se trata apenas dela, mas de um geral. Alexandria teria sido dominada se tudo estivesse nas mãos do Morgan. Tentando uma abordagem limpa, o personagem se nega a matar os Lobos. O personagem tinha tudo para ser foda, mas está preso nessa visão politicamente correta. Eu disse na semana passada que ele não estava irritante ainda, mas isso é passado. Neste episódio eu fiquei inquieto com suas atitudes. Foi revoltante ver o personagem querendo ser um diplomata quando há diversos sádicos esquartejando pessoas boas e desprotegidas pelas ruas. E o roteiro fez questão de antagonizar as ações da Carol e do Morgan, porque eles mantiveram perspectivas completamente contrárias. Foi lindo ver a cena em que um dos Lobos está amarrado, falando coisas sem sentido e a Carol simplesmente chega e mete um tiro na cara dele. Não há tempo para essas bobagens quando pessoas estão sendo abertas pelas ruas.

O pior de tudo é que essa é a segunda vez que o Morgan deixou membros dos Lobos partirem. Ao invés de aprender com os seus erros, ele deliberadamente deu a chance do grupo atacá-los mais uma vez. E um deles agora está armado! Fico imaginando se um novo massacre, com esses membros que ele deixou ir embora, será necessário para estourar essa bolha passiva que o Morgan se encontra. Suas atitudes obviamente trarão consequências futuras, só fico curioso para saber quem irá cair por conta das escolhas presentes do personagem. Estamos na sexta temporada, acho que já passamos dessa fase civilizada - essa ilusão de que ainda existe alguma regra social. Só quero reforçar que não sou um psicopata, até porque, entendi quando o Glenn poupou o Nicholas, mas esse caso foi completamente diferente. Os Lobos estavam repetidamente cortando pessoas em pedaços pelas malditas ruas (!!!!). Não tem como lançar qualquer defesa.

Enfim, esse episódio serviu para mostrar que esse é o mundo da Carol e nós estamos apenas existindo nele. Ironicamente, todo o destaque da personagem vem poucos dias depois do criador da série ter admitido que a Carol é a única personagem que ele não consegue se imaginar matando do programa. De fato, ela deixou de fazer parte do elenco de apoio, agarrando a narrativa e a atenção dos fãs. Espero mesmo que ela consiga parar em pé no final de tudo, para finalmente poder guardar sua arma e ter o descanso que merece. Aliás, é interessante ver que um dos melhores episódios de toda a série aconteceu sem alguns dos seus personagens principais - aka Rick, Glenn, Michonne e Daryl -, provando mesmo que ninguém está seguro. Ah, não posso terminar esta review sem falar da Jessie, que mostrou mais força do que eu havia imaginado. Ponto para ela, espero que continue crescendo na trama - e que o seu filho adolescente morra o mais rápido possível. Que foi? Não sou um monstro, pelo menos eu gosto do filho mais novo.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
3 Comentários

Comentário(s)

3 comentários:

  1. Ah embora esteja um pouco irritante o Morgan da pra entender o ponto de vista dele, perdeu a família, e provavelmente quem ensinou ele a lutar lhe deu essa ideologia, q ele se agarra pq é tudo que ele tem nessa vida.

    ResponderExcluir
  2. Po cara, é difícil defender Alexandria. Entre todos os cenários fechamos que vimos até aqui, não foi a fazenda, a prisão, Woodbury ou Terminus: nenhum desses foi tão fraco quanto Alexandria. Cara, as pessoas foram mortas como moscas, sem a menor resistência. O sentinela do portão foi incinerado de maneira ridícula e o sniper da cidade é muito ruim, não consegue acertar ninguém. Alexandria é o país dos red shirts, formado por iscas para zumbis e e psicopatas sanguinários. As pessoas foram mortas a machadadas e esquartejadas sem dó nem piedade e o massacre só foi interrompido pela ação de uma senhora de fora da comunidade. Alexandria é um país muito fraco. Rick tinha razão: eles sobreviveram pelo acaso.

    ResponderExcluir