segunda-feira, 5 de outubro de 2015

[Crítica] Fear The Walking Dead - 1x05: Cobalt


Onde está o caos?

Review:
(Spoilers Abaixo)

Se eu já havia achado o episódio da semana passada parado, meus piores medos se confirmaram com este quinto: eles estão guardando todo o caos para a Season Finale. Eu estava gostando bastante do ritmo que a série apresentou nos seus primeiros episódios, mas desde a chegada dos militares, ela meio que quebrou sua trama, diminuindo o ritmo logo na reta final do seu primeiro ano. E que tipo de série investiria em um ritmo mais lento justamente nos seus três episódios? Cria de The Walking Dead, podemos perceber isso de longe. Enfim, apesar de levemente decepcionado, também não posso dizer que o episódio foi péssimo e que eu dormi o tempo inteiro.

Novos conflitos foram apresentados, deixando todas as tramas esperando suas inevitáveis conclusões. Agora sim não tem como escapar da tempestade que está por vir na próxima semana. O primeiro ponto que eu gostaria de discutir é a respeito dos militares. Eles chegam, dominam tudo, não têm a menor consideração com o povo, deixa todo mundo no escuro e agora está pronto para meter o pé quando as coisas parecem "apertar"? Como assim, Deus? Não estamos na América [risos]? Vocês repararam que eu coloquei a palavra apertar entre aspas? Isso é porque o roteiro quer nos fazer acreditar que a situação dos infectados está além do controle dos militares, mas o que eles nos mostraram não foi o suficiente para soar convincente.

Desde o primeiro episódio eu tenho comentado que estou curioso para saber exatamente como os mortos-vivos dominaram a face da terra. Quero dizer, eles não são como os zumbis de Madrugada dos Mortos, e também não têm um pingo de inteligência. Então como a raça humana passou a ser subjugada por esta praga? Pensei que as informações necessárias não estariam à mesa, o que se provou terrivelmente errado. No final desse episódio ficou cristalino que o setor médico tem plena consciência do efeito das mordidas e até mesmo que a morte, independente das feridas, leva à conversão do corpo. Aquele hospital improvisado é um verdadeiro lixo. Como sou formado em 12 temporadas de Grey's Anatomy, minha vontade era de entrar naquele recinto e colocar ordem no lugar. Muitas vidas seriam poupadas caso a organização estivesse em primeiro lugar. Bem, isso e também contenção dos pacientes mais críticos em suas camas.

Voltando para os militares, vamos dar um foco para o confronto entre eles e diversos infectados em uma biblioteca. Não sabemos o que aconteceu lá dentro, uma vez que ficamos com a mesma perspectiva que o Travis. No entanto, ouvimos as transmissões de rádio e os tiros dados. Como se já não bastasse ficar preso a um ponto de vista limitado, a dificuldade dos militares não conseguiu convencer ninguém. Seus gritos e desespero levavam a acreditar que estavam sendo cercados por guerrilheiros muito bem treinados, mas estamos falando de zumbis extremamente lentos e que não pensam - além de homens treinados armados até os dentes. Acredito que a câmera não entrou no prédio porque o roteiro não conseguiria montar a cena de uma forma crível, mas nos prender do lado de fora também não ajudou muito.

Os militares já estão indo embora e abandonando os civis, mas até agora não vimos um zumbi sequer andando pelas ruas. Nada mostrado até agora grita caos e perigo abundante. Talvez se todos os contaminados do estádio fossem libertos - como eu achei que o velho faria -, as coisas ficariam um pouco mais interessantes e justificáveis. Além do mais, por falar nesse monte de zumbis presos, por que ninguém jogar uma bomba lá dentro? Ou taca fogo em todos? Talvez até se eles abrissem as portas e metralhassem todos. Os militares poderiam controlar a situação, considerando que uma pequena abertura lhes daria vantagem técnica, impossibilitando que muitos infectados saíssem ao mesmo tempo. Confesso que fiquei morrendo de vontade de ver a tal cena descrita por certo personagem, com o caos se espalhando pelo estádio, pessoas morrendo, pessoas sendo atacadas e gente atirando em todas as direções, sem conseguir distinguir quais são os transformados.

Enfim, gente, essas são as principais reflexões para este episódio. Não toquei muito em torno dos dramas pessoais de cada personagem porque a maioria deles não vale a pena mencionar. Só acredito que a Liza mostrou bastante potencial essa semana, enquanto o seu filho continua sendo o pior personagem da história. Ainda não entendi qual o objetivo daquela cena entre ele e a Alicia, vestindo as roupas dos outros. Eu senti um clima entre eles ou estão enganado? Espero estar enganado - gente, é incesto! Agora é só esperar o último episódio da temporada, e torcer para que este primeiro ano termine fazendo algum barulho. Sendo como for, sabemos que devemos esperar pelo menos uma morte do elenco principal - algo que já se tornou uma característica da série-mãe.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário