sexta-feira, 9 de outubro de 2015

[Crítica] American Horror Story - Hotel | 5x01: Checking In (Season Premiere)


Há vagas.

Review: 
(Spoilers Abaixo)

Vamos falar de medo. E não, não estou me referindo a qualquer medo de alguma cena bizarra ou algo do tipo desse primeiro episódio. Estou com medo mesmo é que a série desande. Sorry, mas pra mim, o maior erro de AHS até agora foi ter deixado sua estrela master sair do show. Entendo que Jessica Lange tenha novos projetos e novos interesses e que em algum momento fazer parte de um projeto por muito tempo possa ser cansativo, mas American Horror Story não vai ser o mesmo sem ela, e não há Lady Who Gaga que possa substituir.

O medo a que me refiro é aquele onde tudo pode funcionar muito bem com uma nova estratégia ou tudo pode ir por água abaixo se os roteiristas deixarem se levar apenas por um nome. Nesse primeiro episódio o que pareceu é que Lady Gaga está lá apenas para atrair o público, e apenas isso. A estreia, como de costume, teve um episódio de uma hora e a cantora/atriz demorou bastante para entrar em cena, isso já me preocupava por saber que seria um estardalhaço quando ela aparecesse. E não foi diferente, ela e Matt Bomer tiveram uma sequência longa (diria longa até demais) onde os dois estiveram realmente em um clipe musical sangrento. Teve caracterização impecável, teve orgia e teve sangue, mas tudo pareceu inoportuno. Entendo que tudo isso será explorado futuramente, e que essa coisa meio "vampiresca" terá (pelo menos eu torço) uma explicação. Mas num primeiro momento, percebe-se a jogada de marketing, com tudo girando entorno dessa caricatura que é Lady Gaga. Fora todo aquela introdução mirabolante demais, ela nem teve tanto tempo assim para mostrar se é capaz de atuar mesmo.

Devo dizer também que tudo pareceu meio deslocado. Estamos acostumados com a mente perturbada de Ryan Murphy e estamos mais que habituados com sua visão destorcida e profunda das coisas, e isso funcionou muito bem nas quatro primeiras temporadas. Não me julguem por não estar colocando fé, mas tudo ali pareceu muito monótono. Tivemos sim introdução de alguns personagens e possíveis mistérios que cercarão a quinta temporada, mas tudo pareceu tão desinteressante e mal planejado que me questiono se valerá a pena acompanhar essa jornada.

O ritmo foi lento, e praticamente não tivemos muitas aparições dos nomes já conhecidos. Kathy Bates continua sendo impecável e com certeza é a personagem mais forte ate então apresentada, assim como Sarah Pulson que não desaponta em nenhum momento e é notável como a história de sua personagem já foi introduzida, deixando aquele mistério no ar e gostinho de quero mais. De resto, o que parece ser a trama principal não teve tempo suficiente (e olha que foram sessenta minutos). É óbvio que compreendo que nem tudo pode ser jogado na cara dos espectadores logo de início, mas foram sessenta minutos de praticamente atuações boas sem uma boa trama para se sustentar.

Wes Bently que faz o policial que provavelmente fará parte direta do mistério do ano não convence em nada. Sinto muito, mas esse drama problemático cansa as vezes, e o ator apesar de não se sair mal, é prejudicado pela sua história em si, que mais batida impossível. Era óbvio que ele se hospedaria no hotel e era óbvio que seu filho desaparecido faria parte, de algum modo, daquele mundo retorcido. O que me cansa é saber que essas jogadas de roteiro são tão antigas vindo desde a primeira temporada, que parece que a troca de cenários e histórias por temporada não é mais suficiente para prender a atenção do espectador. Apesar da audiência ter sido um estouro, isso se justifica mais pelos nomes do que pelo conteúdo, que já na premiere nada me convenceu.

Mas tenho que evidenciar o quanto o ambiente é bonito e perturbador ao mesmo tempo, e isso nunca é exagero em dizer que todas as temporadas tiveram ambientes lindamente desconfortáveis. Não sei em que mundo alguém se hospedaria naquele hotel ou o compraria, mas quem sabe uma visita não faça mal a ninguém. Várias charadas já começam a se moldar e muitas questões são levantadas, ainda assim nada parece ser grandioso o bastante para carregar a temporada como foco principal.

Sem Lange, agora com Lady Gaga para encabeçar o show, a dúvida que fica é se isso realmente vai funcionar, e se a temporada vai realmente apresentar alguma novidade ou se deixará carregar pelos nomes importantes do elenco. Com uma premiere bem abaixo do que a série nos mostrou um dia, AHS volta para nossas vidas procurando vaga em nossos corações sem Jessica Lange (rainha, basta aceitar), e com uma aposta duvidosa. Resta esperar para ver se o ritmo muda e se trona frenético como já foi em outrora. O que posso dizer por agora é que: ainda não comprei cem por cento o produto final apresentado e nunca jamais se hospede no quarto 64.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. "...mas American Horror Story não vai ser o mesmo sem ela, e não há Lady Who Gaga que possa substituir."
    Decepcionado com a sua crítica, desnecessário essa frase queeu destaquei, suas criticas já foram melhores, nunca atacou ninguém. Mas agora entrou na moda de colocar a culpa em alguém por que a fulana saiu, realmente o episódio é cansativo e passa se arrastando, mas se a Jessica estivesse lá serai a MESMA coisa, então não teria muita diferença. Resta aceitar as mudanças, coisa vem, coisas vão, nem tudo é pra sempre, quem sabe a série não melhore até o final.
    Enfim, como leitor (viciado) das suas criticas, estou decepcionado com essa, não pq a minha opinião é diferente da sua, e sim pq o seu texto carrega um ódio ppr uma pessoa que não mostrou o seu talento nos primeiros 60 minutos e já foi detonada por você. Bom, espero que você mude a sua visão de crítico, pq misturar o seu ódio pessoal com trabalho não da certo, é um caminho pro fracasso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo completamente seu ponto, mas quando reforço a crítica sobre Lady Gaga me refiro mais ao fato de colocarem muita pressão e expectativa em cima dela. A culpa disso não é da mesma e sim do roteiro. Mas creio que se a Jessica estivesse lá a história seria diferente, porque a mesma já é conhecida do público por AHS.

      Tenho fé que a série melhore e que não despejem toda responsabilidade em cima da Lady gaga, e o "Who" foi mais sarcasmo mesmo, haha

      Excluir