quarta-feira, 3 de junho de 2015

[Crítica] Game of Thrones - 5x08: Hardhome


Os mortos não serão esquecidos.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Enquanto a Danny não quebrar a roda, é fato que ela continuará girando. Sendo assim, nada mais normal do que eu retornar para o meu posto de autor das reviews de Game of Thrones. Não poderia ter voltado a assumir a série em um episódio mais especial, uma vez que este oitavo certamente é o melhor desta temporada, e ainda provavelmente um dos melhores de toda a série. Pode até ser que o nono episódio de cada temporada se destaque, mas, desde a temporada anterior, é o oitavo que parece roubar a cena. Será que este ano será diferente? Uma coisa é certa: será muito difícil superar o que vimos esta semana. Mas surpreender é o que a série faz de melhor, então nós nunca sabemos o que esperar - até que um dos nossos personagens favoritos morra brutalmente.

Antes de falarmos sobre os vinte minutos finais - que arrebataram todo este episódio -, não podemos deixar passar em branco os outros núcleos que tiveram algum desenvolvimento esta semana. O primeiro deles gira em torno da amigável conversa entre a Danny e o Tyrion. Eles são dois personagens que eu gosto bastante, então acredito que essa "aliança" entre eles só tem a fortalecer o núcleo da Mãe dos Dragões - que precisava desesperadamente de bons conselhos. Os dois tiveram uma conversa rápida, mas muito interessante. E depois de um pequeno diálogo, Tyrion mostrou que pode ser um bom conselheiro - mesmo que ele tenha sido obrigado a acabar com as chances do Jorah de ser acolhido de braços abertos. Convenhamos, onde ele está com a cabeça? Isso nunca ia acontecer. Eu estou curioso, no entanto, para saber o que vai acontecer com ele nos duelos. Condenado ele já está, a grande questão é saber até que ponto.

Agora, uma cena que provavelmente deixou muitas pessoas com um lindo sorriso no rosto foi a da Cersei sofrendo a consequência de seus próprios atos. Parece que o jogo virou, não é mesmo? Acusada de ser uma fornicadora, uma assassina e de cometer incesto, Cersei realmente está no fundo do poço (ou deveria dizer masmorra?). Ainda assim, mesmo acabada e destruída, ela não deixa de ser uma cretina com "C" maiúsculo. Sinceramente, ela é uma personagem que eu amo odiar. E, ao mesmo tempo que estou me divertindo horrores vendo-a se ferrando, também espero que ela dê a volta por cima. E, claro, já quero ver a morte daquela mulher que lhe trouxe água. Nesta série, uma garganta cortada vale mais do que mil ameaças.

O último núcleo que merece ser comentado antes da grande batalha é o da Arya. Usando o codinome Lana - que curiosamente não aparece nos livros -, ela tem evoluído em sua jornada. Até mesmo vê-la vender ostras é mais interessante que toda a jornada do seu irmão, Bran. Enfim, esse é um núcleo que eu certamente não sei o que esperar. Para uma pessoa que ainda não leu os livros, o destino reserva muitas possibilidades para esta história. O pouco apresentado nesta trama da Arya tem sido interessante o suficiente para que eu tenha vontade de acompanhar mais. Talvez seja porque ela é uma das minhas personagens favoritas, mas esse plot do Deus de Muitas Caras também me instiga.

Por fim, o ponto mais alto do episódio: a batalha de Hardhome. Curiosamente, apesar de ter rendido ótimas cenas, esta batalha não é narrada nos livros. Pouco se sabe sobre ela, na verdade. Agora, imagina que desperdício! Tem coisa melhor do que uma batalha sobrenatural entre Selvagens e White Walkers? Durando aproximadamente vinte minutos, toda essa sequência foi muito bem executada. Não houve violência extrema, mas os efeitos dos zumbis certamente foram suficientes para chocar qualquer um. Destaque o momento em que diversas crianças zumbificadas aparecem na tela. O aspecto delas, principalmente do menino que estava mais na frente, estava macabro demais. É uma pena que elas mataram aquela mulher. Conheci há pouco, mas já considerava "pakas".

Jon esteve incrível neste episódio! Apesar de seu personagem não ter participado desta batalha nos livros, sua introdução na negociação com os selvagens pareceu plausível na série. Também gostei bastante dele lutando ao lado do Tormund, selvagem este que o defendeu quando foi preciso. Eles fazem um ótimo trabalho em equipe, e espero poder ver um pouco mais dos dois em ação no futuro. Todo o confronto teve um impacto visual incrível, impressionando tanto pela sua dimensão quanto pelos ótimos efeitos práticos e gráficos. Boatos que o orçamento foi pesado para a produção deste episódio. HBO, que não é boba nem nada, abriu os bolsos e entregou algo grandioso. AMC certamente deveria aprender algo com isso, porque apesar de The Walking Dead ser um sucesso monstruoso, continua sendo bastante limitada.

Enfim, queridos, por enquanto é apenas isso. Estarei com vocês nessa reta final - só restam dois episódios - e muito provavelmente no próximo ano também. Continuo sem ter lido os livros, mas assim como a Danny, agora também tenho ótimos conselheiros, então sempre que possível tentarei fazer um pequeno paralelo entre eles. Por falar em diferenças, quem mais ficou chocado com o Theon contando a verdade para a Sansa? Essa revelação não acontece nos livros, mas eu fiquei bastante feliz de ter visto isso na série. Estava esperando ele contar a verdade desde que ele deu de cara com a Sansa. Bem, agora sim este texto chegou ao fim. Já estou preparado para muito sangue e brutalidade, que venham os próximos episódios.

Minha reação ao final deste episódio:



.






 -
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário