segunda-feira, 2 de março de 2015

[Crítica] Jurassic City


Direção: Sean Cain
Ano: 2014
País: EUA
Duração: 88 minutos
Título original: Jurassic City

Crítica:

Jogando a cidade de volta à idade da pedra.

Havia bastante tempo que eu não assistia um desses filmes toscos e mal feitos de animais assassinos. Não sou o maior fã deste subgênero, porque depois de assistir a vários deles, percebi que é sempre a mesma coisa. A única coisa que muda nesses filmes direto para o mercado de vídeo é o tipo de animal que está matando o povo. Nunca me deixei enganar pelas artes chamativas dos DVDs porque sempre soube que era apenas uma cilada para os mais desavisados. Resolvi dar uma chance para este filme para saber se algo havia evoluído neste tipo de produção nos últimos anos. Infelizmente, a resposta é um grande e sonoro "não". Nada mudou. Se possível, conseguiu piorar.

Na história, quando um laboratório ultrassecreto é invadido de forma inesperada, e três dinossauros furiosos são soltos em uma prisão. Em paralelo, três adolescentes são presas depois de extrapolar na bebida. Não vai demorar muito para as meninas terem que se juntar com os guardas e até mesmo os prisioneiros para sobreviver a um dia infernal, onde uma somente uma cela poderá mantê-los seguro. Agora, o grupo tentará sair do confinamento, ao mesmo tempo que têm consciência de que não devem liberar as criaturas para o mundo. Do lado de fora, uma unidade de ataque se mobiliza para conter a criatura que escapou antes que ela cause o caos em toda a cidade. Para o azar de todos, a situação pode perder o controle, tornando-se muito mais mortal do que a própria contenção.

Há tanta coisa ruim para se falar sobre este filme que eu sequer sei por onde começar. Basicamente é uma produção que tenta ir na onda de Jurassic World - O Mundo dos Dinossauros, que é o quarto filme da clássica franquia Jurassic Park. As histórias em nada se parecem, prendendo-se apenas ao título parecido para enganar as pessoas. Não é uma surpresa ver grandes filmes sendo copiados em uma produção descarada de baixo orçamento, mas normalmente elas são lançadas um pouco depois do filme que lhes renderam a cópia. Neste caso, Jurassic City se encontra bastante adiantado. Mas, por favor, não se deixem enganar por nada neste filme. Ele simplesmente não vale a pena.

Por onde começaremos a detonar esta produção? Quem sabe os efeitos visuais? Como se poderia esperar, eles são péssimos. Os dinossauros parecem ter saído de um jogo ruim de Playstation 1. Não há qualquer valor na produção, tudo parece extremamente barato e amador. As coisas conseguem piorar ainda mais quando os animais pré-históricos têm que entrar em contato com suas vítimas. Além das mortes repetidas, as cenas são risíveis e muito, muito mal feitas. Não há um momento sequer que mereça destaque nesta produção, para vocês verem o nível da coisa. Por pior que seja, sempre há alguma coisa que chame a atenção, mas aqui o interesse é zero, e se mantém assim até os créditos finais.

Os atores, em sua grande maioria, são desconhecidos e desprovidos de talento. Além de quase todas as meninas parecem atrizes pornô (sem preconceito aqui, porque Sasha Grey já mostrou bastante talento em bons filmes de terror), elas sequer conseguem gritar direito enquanto são comidas por dinossauros computadorizados. E a história? Quem realmente se importa? Apesar de só ter três raptores na prisão, eles conseguem estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Sem contar que a cidade é invadida por milhares de dinossauros em algum ponto do filme, sem qualquer desculpa plausível. Acredito que tenha sido apenas para justificar o título - que, por sua vez, só foi escolhido para se promover em cima do blockbuster de Steven Spielberg.

Eu fico com muita raiva quando termino de assistir estes filmes. E é por este motivo mesmo que escolho evitá-los. Não fico irritado por causa da qualidade do material - ou pelo fato de ter perdido quase duas horas da minha vida -, mas porque o dinheiro investido nesta tranqueira poderia render ótimos filmes do gênero nas mãos de pessoas talentosas. É difícil entender porque continuam investindo nessas produções ao invés de investir em algo realmente proveitoso para os seus espectadores. Enfim, este filme eu não recomendo nem para o meu pior inimigo. É ruim que dói, e é extremamente entediante por se levar a sério a todo momento. Já podem explodir essa cidade, porque tenho certeza de que ninguém gostaria de voltar para o gancho da sequência que o desfecho investe em construir.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. gosto de ler suas reviews porque me impedem de ver filmes ruins e ainda me divirto rs

    ResponderExcluir