terça-feira, 31 de março de 2015

[Crítica] Grey's Anatomy - 11x16/17: Don't Dream It's Over / With Or Without You


Com ou sem você.

Review: 
(Spoilers Abaixo)

Traição é sempre um recurso utilizado nas várias mídias que encontramos por aí, desde filmes e novelas a teatro ou mesmo pinturas, e não há como negar que é sempre interessante ver como tramas assim se desenrolam nas nossas séries, principalmente quando envolve um casal que amamos. Traição em si já que algo batido neste mundo, mas parece que nunca nos cansamos, e parece que uma boa história envolvendo este tema nunca é chata, e isso é a mais pura verdade. Grey's sempre soube trabalhar lindamente seus plots tanto dramáticos como cômicos, e desta vez não foi diferente.

Estes três episódios (15, 16 e 17) se passam no decorrer de três dias, o que até então não me recordo de ter acontecido na série, trabalharem três episódios seguidos como se fossem apenas três dias de uma mesma semana. Dessa maneira a história podia ficar rápida ou lenta demais, mas nada disso aconteceu, já que tudo foi na medida certa.

Depois daquele episódio 15 onde supostamente um gancho de infidelidade é deixado no ar, no episódio 16 temos o desenrolar das inúmeras dúvidas da protagonista assim como as do telespectador, que também anseia saber do ocorrido completo. Ellen como Meredith foi incrível nestes dois episódios, e todos os seus sentimentos transparecem mostrando o quanto a atriz se sente confortável no papel, o que já é de se esperar, já que são onze temporadas. A construção da dúvida é majestosamente bem feita, o que proporciona um aproximamento do público com a personalidade, diferente de outras séries onde "tanto faz como tanto fez".

Ponto positivo também para a união repentina de Mer, Pierce, Callie e Alex, os quatro já tiveram a oportunidade de se envolver anteriormente, mas não como desta vez. Tudo soa tão natural, que por instantes é impossível distinguir os diálogos de uma conversa entre amigos de verdade. Nestes dois episódios eles tiveram seus momentos juntos, no meio de toda a confusão que se instalou na cabecinha de Mer. Os melhores diálogos por assim dizer, ficaram a cargo deste quarteto que tem grande potencial dentro do show. A preocupação deles e os conselhos mais estranhos (e engraçados) tornaram tudo muito lindo. [Team MERDER - By TORRES, Calliope]

Referente aos casos, Grey's mais uma vez mostra como é fácil e plausível criar histórias novas para casos semanais depois de tanto tempo. Repetições não é algo que faz parte do roteiro, repaginações quem sabe, mas nunca com aquele ar de que já foi assistido anteriormente. Os acontecimentos envolvendo a perda da mãe e a luta para salvar o bebê foi algo esplêndido, e a reação de Jo foi a da maiorias dos fãs que acompanham semanalmente o programa, já que é impossível não se emocionar. Fora isso, um garoto que esperava por um fígado acabou por entrar numa cirurgia que não teria volta, e de novo Grey's ensina que ninguém jamais estará a salvo e que drama se constrói assim, algo que não esperamos, que nos choca, que nos faz pensar e refletir, e que um "tchau" pode facilmente se transformar em um "adeus".

E após todas as incertezas de Mer, Derek aparece para esclarecer a história para todos. Resumidamente, a "traição" não passou de um beijo retribuído, mas ao mesmo tempo, enfatizando que o amor de MerDer é mais forte que qualquer coisa, até porque Derek vê tudo mais claramente após a iniciativa da moça. Esta que INFELIZMENTE é impossível odiar. Sim, eu estava preparado para atirar todas as pedras pra cima da mulher que ousou se meter no meio de um dos meus casais preferidos, mas como todo o desenvolvimento que ela recebeu dentro do seu núcleo foi caprichado e pelno, é quase chato o fato de não poder odiá-la. Nos poucos momentos de Flashback em que ela apareceu, um pouco de sua história foi contada, e no tanto que sabemos dela e de seus objetivos, é visível que ela nunca teve a intenção de magoar ou ferir alguém, foi somente uma ação de impulso, até porque ela nem sabia que o moço era casado.

E nestes últimos episódios tivemos também uma evolução no relacionamento de Owen e Amelia. Recordo-me que Shonda disse que não apreçaria as coisas para os dois, mas o que eu vejo é que apesar de não estar a cem por hora, está sendo bem rápido a evolução deste envolvimento, até uma pequena briga eles já tiveram. Jo também teve espaço para brilhar, se envolvendo em um dos casos mais estranhos, engraçados e nojentos já mostrados. Além disso Kepner começou sua longa caminhada de recuperação, e espero que isso seja aprofundado, sempre é proveitoso assistir alguém que está despedaçado se reconstruir do nada.

Mais uma vez Shonda adiciona um tema interessante para ser discutido durante e após o episódio, que foi envolver a mãe de Owen com um homem mais jovem. Apesar de não ter aprovado todas as escolhas de Hunt, entendo completamente o seu lado, até porque se eu estivesse nesta situação pensaria do mesmo modo, e deixaria um pouco o sentimento de lado e usaria da razão para alertar alguém que amo sobre algo que pode estar acontecendo e a pessoa não ser capaz de ver. No final de tudo, amor era o mais provável sentimento que acontecia ali, e a mãe de Hunt despejou os melhores discursos sobre sentimentos puros e verdadeiros e como aquilo a afetava.

E agora minha gente, com muita felicidade, anuncio que ao que tudo indica Derek voltou para ficar, e diferente daquele início chato cheio de brigas do casal, parece que agora o caso dos dois vai se acertar, e ver ambos tendo novamente aquelas conversas bem estruturadas e de tocar o coração foi algo incrível, e eu realmente sentia saudades destes bons momentos que a dupla sempre nos proporcionou. E como a própria Mer falou "eu posso viver sem você, mas eu não quero". Seja bem vindo de volta Derek.


Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário