segunda-feira, 16 de março de 2015

[Crítica] Grey's Anatomy - 11x15: I Feel the Earth Move


Explicações: estas terão aos montes.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Desastre sempre foi o forte de Grey's, desde bombas a tiroteios. Shonda sempre soube conduzir estas tramas lindamente, alternando entre momentos de angustia, tensão e aquele frio na espinha. Depois de tantos anos, muitos se perguntam o que mais pode acontecer nas vidas destes médicos, já que existe, relativamente, um limite de "maluquices" que nos podem ser apresentados.

Desta vez, tivemos uma pequena interferência da natureza na vida destes que tanto amamos, mas retratado muito superficialmente, servindo apenas como segundo plano e analogia com os acontecimentos do episódio. Um pequeno terremoto atingiu a todos esta semana, rendendo mais uma vez ótimos momentos desta que está sendo uma das melhores temporadas de Grey's.

Novamente tivemos um episódio característico de "caso da semana" e isso é totalmente compreensível já que não podemos ter desenvolvimento frenético, já que não haveria tanta história para uma série de 24 episódios por temporada. Isso não tornou o episódio ruim nem mesmo abaixo da média, na verdade, prevejo grandes acontecimentos com aquele gancho que foi deixado no final do mesmo.

Depois do ótimo encerramento da história de Arizona com Nicole, várias outras tramas nos foram apresentadas e algumas foram muito bem trabalhadas, já outras, nem tanto. Ótimos momentos ficaram a cargo de Owen (que está se recuperando daquela chatice do início da temporada), Amelia e Richard, que lidaram com uma situação bem incomum. Os três participaram de um salvamento por telefone, e como se isso não fosse o suficiente, a pessoa que recebia as instruções do procedimento era uma menina de apenas onze anos de idade. Tudo ocorreu bem, mas é inegável que o telespectador se sentiu mal, ora por se imaginar em tal situação, tendo a vida de alguém em suas mãos, ora pela visão do médico, que se não fosse tudo explicado nos mínimos detalhes poderia ocasionar um grande mal. Realmente o melhor dessa semana.

Também tivemos um envolvimento entre Callie e Pierce que renderam os momentos mais engraçados. Tudo entorno de uma idosa ainda ativa que por causa do terremoto se via em um cenário que poderia tirar essa parte de sua vida que, como ela mesmo disse, a fazia mais feliz. Usaram e abusaram dos diálogos mais cômicos com as duas médicas e a paciente, usando todo tipo de tirada sexual possível. Mas a melhor parte foi a confissão da senhora sobre como ela via sua vida sexual atualmente, relatando que ela só havia amado um único homem na sua vida, mas que ela ainda estava disposta a aproveitar tudo o que tivesse direito.

Outros momentos importantes para serem ressaltados foram aquela família ainda não formada que havia sofrido um acidente durante o terremoto, que foi a parte mais desinteressante nestes 45 minutos, apresentando apenas pacientes egoístas. E outro foi como Ben está lidando com a mudança pelo qual seu irmão está passando, infelizmente tratarm do assunto muito por cima, espero que seja aprofundado futuramente, porque pode render um ótimo drama.

Por fim, mas não menos importante, tivemos Meredith novamente na ativa. Desde o hiatus de fim de ano a personagem estava dando espaço para que outros personagens pudessem apresentar suas histórias, e temos que concordar, foi a melhor decisão do roteiro, porque suas brigas com Derek estavam insuportáveis, e as tramas apresentadas a partir daí foram as mais interessantes. Jo nos apresentou dados de que desde que seu amado partiu, Mer está sendo a cirurgiã perfeita, tendo cem por cento de salvamentos desde o momento em que ela pôde realmente focar em sua carreira. Isso evidencia e ao mesmo tempo nos questiona até onde o "amor" é verdadeiramente "amor" e como isso pode ou não influenciar nossas vidas em outras áreas, neste caso, o trabalho.

O que me parece, é que este tremor de terra foi apenas uma jogada no roteiro para fazer analogias com o ótimo texto de Meredith, onde na verdade os grandes acontecimentos e terremotos (bem mais "violentos") vem a seguir, com certas dúvidas levantadas. Se há ou não traição e se há um reconciliamento possível entre MerDer. Aguardemos os próximos acontecimentos.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário