domingo, 8 de fevereiro de 2015

[Crítica] The 100 - 2ª Temporada (Primeira Parte)


Status: Renovada
Episódios (Primeira Parte): 01-08
Emissora: CW

O sacrifício do próprio amor.

Crítica:
Spoilers Abaixo!

Quem é vivo sempre aparece, né, gente?! E aqui estou eu retomando às críticas de The 100, que estavam paradas desde o primeiro episódio desta temporada, The 48. Isso foi porque os últimos meses de 2014 foram uma correria pra mim, e eu acabei tendo que largar várias séries. Como só agora que eu terminei o oitavo episódio, Spacewalker, e a série já se encontra no décimo primeiro, Coup De Grâce, achei melhor fazer uma crítica geral desta primeira parte da temporada do que várias separadas que não fariam sentido, em visto do fato que os episódios que já estão bem avançados.

Primeiramente quero focar em Mount Weather. Era claro que eles não eram tão bonzinhos como todos achavam, exceto a Clarke. E foi por causa dela que descobrimos que eles possuem uma concentração com terra-firmes capturados, e os usa para experiências com os habitantes original do local. Com o passar dos episódios, descobrimos que eles são mais cruéis e sádicos do que isso: o plano deles é matar os 47 presos ali para retirar a medula óssea dos mesmos e usá-las em si mesmo para poderem viver ao ar livre - já que eles ainda sofrem com a radiação.

E por mais incrível que pareça, o Dante (aquele velho líder dos MW) nem é tão vilão assim, ele só quer poder viver lá fora novamente e vimos o quanto ele tentou resistir a pressão da doutora para ousar os 47 na experiência. O filho dele também não é tão ruim assim, já que ele se sentiu mal em quase todas as operações. Sem dúvidas, aquela doutora é que é uma safada. Que mulher fria, meu povo! Estou até agora com pena da Harper, e espero muito que ela leve uma boa surra dos presos. Como eu disse, até agora só assisti até o oitavo episódio, Spacewalker, então não sei se essa louca já tirou mais medulas do resto do pessoal, então vou focar mais nesse assunto nas próximas reviews.

Agora, outra coisa que esse povo é responsável é pela criação dos Ceifadores. Assim como a Clarke, fiquei chocado ao ver o estado que o Lincoln estava e deduzir o óbvio. Todos conhecemos os envolvidos em The 100 e sabemos que qualquer um ali pode ser eliminado da trama, então realmente acreditei que o Lincoln seria limado ali mesmo. Mas graças a Clarke, ele conseguiu voltar ao normal. Além disso, a explicação para essa cura foi bem crível: como é uma droga injetada, basta deixar o infectado em abstinência e esperar que o efeito dela passe - afinal, o ato de atacar as pessoas e alimentar-se delas só aumentava o grau da droga.

Mas não foi só o Lincoln que mudou. Essa primeira parte da temporada serviu para provocar mudanças em quase todos os principais da série. E o mais afetado foi o Finn, sem dúvidas. Sua determinação para encontrar Clarke o transformou em uma verdadeira máquina de matar. Digo mais: mesmo que o Bellamy já viesse mudando desde a temporada passada, houve uma inversão, onde ele assumiu as qualidades do Finn, e este ficou com os defeitos do primeiro. E foi essa chacina provocada por Finn que resultou no cliffhanger deixado no fim dessa leva de episódios: sua morte. Eu já disse várias vezes que sabia que nenhum personagem estava à salvo, mas se não tivesse recebido spoilers, eu iria acreditar até o último segundo que eles conseguiriam salvá-lo antes desse final trágico.

Mas isso não aconteceu e, mesmo triste por gostar do personagem, a equipe de The 100 merece palmas por essa decisão, pois mesmo quase todos sendo Bellarke shippers, o Finn era um dos três protagonistas e importante para a história. Os flashbacks exibidos no episódio só mostraram que ele era uma boa pessoa, apenas se deixou levar pelo desespero e o amor por Clarke. E a sequência da morte foi perfeita, desde o momento que Clarke se ofereceu para ficar no lugar de Finn até o momento onde ela preferiu matar o cara que amava do que vê-lo sofrer inumeráveis torturas. Esse momento será épico na trajetória da série e da própria Clarke. A química de Eliza Taylor e Thomas McDonell é muito boa!

Por fim, vocês já devem saber mas não custa reforçar dois pontos: (1) o Jason Rothenberg - criador da série - confirmou que a temporada terá apenas 16 episódios, pois assim ela não ficaria cansativa. Eu concordo com ele, pois existem várias séries que possuem temporadas imensas e os episódios servem apenas para enrolar; (2) a série foi renovada para a terceira temporada. E olham que geral acreditava que The 100 não passaria da primeira. Ouço o choro das inimigas daqui, e vocês?

Sangue se paga com sangue:

- A prisão em Mount Weather, a fuga, as lutas... Clarke é a rainha dessa série, amo!

- Porque o Jaha e o Murphy ainda estão vivos mesmo?

- Pelo menos nessa primeira parte, achei a Octavia bem apagada, o que é bem triste em vista dos momentos épicos que ela viveu na temporada passada.

- Já quero ver a Clarke e a Raven após a morte do Finn.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário