domingo, 30 de novembro de 2014

[Crítica] American Horror Story - Freak Show | 4x07: Test Of Strength


Acho que confundiu meu orgulho com vaidade.

Review:
(Spoilers abaixo)

Parabéns, Freak Show! Você está se saindo pior que Coven!

Sinceramente, não tem como ajudar essa temporada. Você até tenta gostar, ter simpatia e criar expectativas, mas no final de cada episódio, você sente aquela frustração imensa, que te faz desejar logo o final da temporada, sem aguçar em nada a curiosidade para o que vai acontecer no próximo episódio. Isso acontece porque Ryan Murphy e sua equipe simplesmente não estão sabendo lidar com a história que criaram.

Desperdício de tramas e atores, péssimo desenvolvimento de plots, números musicais desnecessários... enfim, a lista de erros em Freak Show é interminável! Era realmente necessária a aparição do personagem de Evan Peters cantando Nirvana? Ele não poderia provocar a personagem da Jessica Lange de outra maneira? Ok, é legal um número musical uma vez ou outra, mas, como eu já falei várias vezes, fica super chato ver isso em todo episódio, principalmente para quem odeia Glee ou quem deseja ver uma série de horror. Números musicais foram usados da maneira correta em Asylum, com a icônica “The Name Game”, uma das cenas mais inesquecíveis da segunda temporada. Também tivemos um excesso de números musicais em Coven, mas, devo concordar, estes eram imensamente mais agradáveis de se ver e ouvir.

Não tivemos quase nada do plot mais interessante da temporada. Os Mott chegaram a aparecer por menos de cinco minutos. Alguém me explica isso? Como colocam uma trama que carrega a temporada nas costas em último plano? Em vez disso, deram destaque para todo um dramalhão inútil sobre problemas familiares, que me deu até sono.

E aquela enfermeira dos primeiros episódios? Pois é, ela voltou a aparecer. Desta vez, numa trama paralela mais avulsa impossível. Não entendi a sua importância dentro do contexto. A moça simplesmente foi castigada pelo pai por querer fugir com uma aberração de circo. E daí? Aposto que isso vai ficar esquecido e nem vão tocar mais no assunto. A personagem vai virar figurante e tudo fica por isso mesmo.

Minha frustração com este episódio foi tão grande que nem consigo me lembrar de mais alguma coisa para comentar. Ah... temos a morte de Ma Petite! Momento onde a criatividade foi a zero, né? Já haviam matado a coitadinha no episódio anterior... Ok, foi de mentira, mas só de ter sido executada, poderia ter sido evitada para não virar um clichê imenso. Mas ok, é isso que American Drama Story tem para nos oferecer.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário