sexta-feira, 3 de outubro de 2014

[Crítica] Killer Mermaid


Direção: Milan Todorovic
Ano: 2014
País: Sérvia
Duração: 94 minutos
Título original: Dark Sea | Mamula | Nymph | Killer Mermaid

Crítica:

Misteriosa. Irresistível. Mortal.

Dentre as criaturas místicas mais populares, as sereias são as mais negligenciadas no mundo dos filmes de terror. Enquanto enredos de lobisomens, vampiros e zumbis são produzidos aos montes, são raras os filmes que se propõem em desenvolvidos esses demônios do mar. E isso é de se estranhar, já que as sereias poderiam render excelentes histórias - ainda mais por ser um terreno que não foi tão explorado, o que garante uma maior chance de originalidade. No Meu Mundo Alternativo, nós já tivemos um encontro com sereias antes, com o esquecível Siren. Killer Mermaid parecia ser uma boa opção do gênero, mas bastou assistir aos primeiros minutos para saber que a qualidade afundaria rapidamente...

A história segue duas amigas que vão durante um período de férias no Mediterrâneo. Elas se encontram com um velho amigo, para alguns dias de diversão, praia e sol. Enquanto eles vão se reconectando, vão descobrindo sentimentos antes enterrados, o que pode colocar em jogo da amizade de alguns deles. O pesadelo, porém, só acontece mesmo depois que eles resolvem se aventurar na ilha de Mamula - que segundo a lenda é amaldiçoada. A ilha, além de guardar uma antiga base militar, também guarda um terrível e mortal mistério. Logo, o grupo se verá em uma situação assustadora e perigosa, e terão que se unir para sobreviver a uma criatura mortal que parece afetar particularmente os homens...

Não foi dessa vez que tivemos um filme interessante envolvendo sereias. Quem assistir ao trailer pode até ter algumas esperanças, já que a produção parece no mínimo bem feita, mas confiem em mim, poucas coisas são bem feitas neste filme. Em geral é apenas um filme com uma péssima direção, momentos mais do que clichês e pouco destaque para aquilo que deveria ser o grande diferencial do filme: a sereia. Ao invés de focar logo na criatura, o enredo decide cair no lugar no comum, seguindo uma linha slasher com um assassino humano (!). E o pior, cinco jovens saudáveis não conseguem lidar com um velho (!!). São situações assim (e até piores) que te aguardam neste filme.

Tentarei dedicar um parágrafo para falar sobre alguns pontos positivos. Será obviamente difícil encontrá-los, mas farei um esforço. Primeiro eu gostaria de falar que a fotografia é maravilhosa. Ótimas paisagens, água cristalina e até mesmo as locações na ilha são bem interessantes. Infelizmente, o diretor não consegue usar isso ao seu favor. Outro ponto que se destaque nesse mar de clichês (trocadilho sempre!) é a relação entre a sereia e o assassino do filme. É diferente do que se pode esperar, e certamente deveria ter sido melhor desenvolvida. Mas, como já disse, não consegue levantar o filme do buraco no qual ele se enfiou.

Não tem como torcer para as vítimas. O enredo faz questão de desconstrui-los no decorrer da história. Por que investir em personagens traindo uns aos outros se isso nunca será relevante na história? É só mesmo para não ter a mínima chance de simpatizarmos com eles? E é claro que, no meio da correria, ninguém mais lembra de nada - apenas nós, espectadores. A protagonista ainda tem uma trauma de água, o que é completamente clichê para este tipo de filme. Enfim, meus queridos, a sereia poderia ter acabado com todos eles e não faria qualquer diferença. Estava esperando, no mínimo, por um bom confronto entre a sereia e a protagonista no final, mas aconteceu tudo de uma forma bem sem graça.

O pior, porém, é que o diretor não consegue contornar seus problemas com o orçamento. As mortes, mesmo que violentas, são fracas e mal dirigidas. Personagens são rasgados por um tipo de anzol gigante, e os atores só conseguem fazer uma expressão estúpida, muito distante da dor que eles deveriam estar sentindo. A falta dos efeitos sonoros durante os ataques também é latente! E, somando falha técnica com péssimas interpretações, o resultado que temos é um filme que merece ser esquecido nas profundezas do oceano. Não recomendo para ninguém! Meu único consolo é saber que, daqui algumas semanas, sequer me lembrarei que este filme existiu.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário