terça-feira, 14 de outubro de 2014

[Crítica] Arrow - 3x01: The Calm (Season Premiere)


Um começo explosivo e chocante.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Depois uma excelente 2a temporada, na qual os produtores finalmente acharam o tom que queriam seguir e marcada por muitos bons momentos, além do visível crescimento do protagonista, Arrow retorna para seu ano 3, que já começa mostrando que aquele ritmo frenético que vimos na última temporada se mantém, e com mais um acontecimento que deve abalar muito nosso o team Arrow. Apertem os cintos, foi dada a largada da montanha russa.

Já começamos o episódio vendo Oliver em ação, na busca por mais um criminoso, contando com a ajuda de seu time. Destaque para Roy que além de ter ganho um novo uniforme, parece estar bem mais integrado ao grupo e muito mais disciplinado na hora de agir, a única coisa que ainda parece pertubá-lo é o sumiço de Thea, que finge estar viajando o mundo, mas na verdade está com Malcon Merlyn, gerando todo um suspense em volta de seu retorno a Starling.

Alguns meses depois do ataque de Slade a Starling City, vemos que a os números da criminalidade caíram bastante na cidade graças ao trabalho do Arqueiro e sua equipe. Os cidadãos começam a perceber que o Arqueiro não é mais apenas um vigilante qualquer, ele salvou a cidade nos momentos em que eles mais precisaram, prova disso é o reconhecimento do Detetive Lance e sua decisão de dissolver a força tarefa criada para perseguir o Arqueiro. A cena em que ele faz o pronunciamento ficou bem legal e foi bom para Oliver ver um pouco de reconhecimento ao seu trabalho.

Por falar em Oliver, vimos o personagem da maneira mais humana possível, mostrando que mesmo um herói que combate o crime todas as noites pode ficar apavorado com um simples encontro. A maneira como a relação entre ele e Felicity se desenvolveu aqui foi muito legal de se ver, simples, sem forçar a barra, vimos ali duas pessoas que tem sentimentos uma pela outra e que não sabem direito lidar com isso, principalmente o Oliver, que só toma coragem para chamar a loira pra sair com um empurrãozinho de Diggle.


Com a passagem de tempo, vimos também a evolução da gravidez de Lyla e como ela e Diggle lidam com isso. A cena em que eles vão ao hospital demonstra que, assim como acontece com Oliver, eles são muito bem preparados pra situações extremas, mas nas situações comuns eles tem a mesma reação que qualquer pessoa teria. A paternidade com certeza deve mexer ainda mais com o Diggle e isso  ter reflexos em sua amizade com Ollie, já que em alguns momento ele foi mais um mentor do que um amigo.

O vilão da semana foi o famoso Conde Vertigo, que ouvimos falar desde a primeira temporada mas ainda não tinha dado as caras. Com a criminalidade em queda devido a atuação do Arqueiro, ele tratou logo de tentar acabar com seu inimigo, atraindo-o para uma armadilha e depois tentando matá-lo, numa cena que deixou todos os fãs Olicity apreensivos, já que colocou a vida de Felicity em risco. A situação serviu para trazer a tona mais uma vez aquele dilema que todo herói vive, sobre ter ou não um relacionamento amoroso, por medo de que algo aconteça com a pessoa amada. Espero muito que Olicity não fique nesse lenga lenga.

A premiere também nos apresentou um novo personagem, Ray Palmer, interpretado por Brandon Routh, que interpretou o Superman no filme de 2006. Nos quadrinhos, Ray Palmer é o alter ego do herói Eléktron, que tem o poder de encolher a tamanhos microscópicos e até subatômicos, mantendo a mesma força que tem em tamanho normal, podendo também aumentar sua densidade, ficando muito pesado. O personagem deve desempenhar um grande papel nessa temporada, nesse primeiro momento como um adversário para Oliver pelo comando da Queen Consolidated. 

Também vimos um pouco mais sobre o período que Ollie passou em Honk Kong, após sair da ilha. Assim como os mistérios da ilha, Hong Kong esconde várias informações sobre o passado de Oliver e sua relação com a A.R.G.U.S e Amanda Waller. Descobrir porque Amanda tirou Oliver da ilha e qual interesse dela nele é um plot em potencial para a temporada, ainda mais porque ela diz que o motivo que a levou a salvá-lo é confidencial, e que precisa de alguém com as habilidades dele.


Por fim, tivemos um desfecho no mínimo chocante. Durante todo o episódio ficou uma sensação estranha de que alguém ia morrer, cheguei inclusive a cogitar o Detetive Lance por causa do problema cardíaco dele, mas nunca ia imaginar que seria Sara. Mesmo com a divulgação do título do próximo episódio, achava que se a personagem fosse morrer seria no 3x02 e não logo na premiere, sua morte foi um grande baque para os espectadores, e será ainda maior para Laurel e Oliver, que certamente buscarão vingança. Todos sabemos que Laurel é a verdadeira canário negro, e a morte de Sara com certeza irá impulsionar essa transformação.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

  1. vi o PROMO do episódio dois e acho que quem matou a SARA foi MALCOLM MERLYN!

    ALGUÉM CONCORDA COMIGO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei nisso também, principalmente pelas flechas que parem muito com as de Merlyn, mas ainda acho que não foi ele.

      Excluir
  2. O episódio foi uma premiere muito boa.. Gostei do novo Vertigo, já que o Conde morreu, só achei a droga muito parecida com Batman Begins...mas enfim.. e fiquei extremamente pasmo com a morte de Sara que não esperava acontecer tão cedo.. foi triste e chocante.. :S

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, pareceu muito com a droga usada pelo Espantalho em Batman Begins. Nem me fale da morte de Sara, ainda tô processando isso :/

      Excluir