quinta-feira, 4 de setembro de 2014

[Crítica] Kristy


Direção: Oliver Blackburn
Ano: 2014
País: EUA
Duração: 86 minutos
Título Original: Kristy | Random | Satanic

Crítica:

Corra pela sua vida.

Quando pensamos em monstros, nossa mente faz associações como lobisomens, vampiros, demônios etc. Nós sabemos que os seres humanos podem ser ainda mais cruéis, mas criamos esperanças de que há algo pior lá fora, no desconhecido. E até onde vai a crueldade humana? Ela não conhece limites. Todos os dias nos jornais lemos tragédias do dia a dia, que não deveriam soar tão normais, mas que acabam passando despercebidas em um mar de atrocidades. Então o que é preciso um filme apresentar para gelar a sua espinha? Demônios e espíritos? Crocodilos e cobras gigantes-geneticamente-alterados? Ou apenas o antigo e distorcido espírito humano?

Na história, com o resto do campus em casa para o feriado de Ação de Graças, e todos os seus amigos da faculdade relaxando ao lado de seus parentes, Justine ficou para trás, estudando e aproveitando o silêncio da solidão em que foi deixada. Tendo apenas os poucos seguranças do Campus em sua companhia, a jovem se torna alvo de uma gangue brutal, que caça e mata suas vítimas com o objetivo de compartilhar seus feitos bizarros na internet. De repente, o fim de semana tranquilo de Justine se torna uma longa lição de sobrevivência enquanto ela é caçada como um animal pelos corredores desertos do campus, cabendo a ela descobrir quem os agressores são… e se eles podem ser detidos.

A proposta do filme não é lá muito original, porém, após o término de Kristy, os espectadores perceberão que não se trata de um filme qualquer. A história, apesar de parecer batida, destaca-se ao conseguir equilibrar elementos esperados com alguns outros originais. A trama tinha tudo para cair no batido home invasion - utilizando de um espaço bem maior que o habitual -, mas se desenrola de uma forma tensa e eficiente. Os diretores realmente conseguiram captar essa sensação de solidão e impotência diante de um perigo real, algo que pode acontecer com qualquer pessoa, a qualquer momento. Acredito que essa seja a maior sacada da história, a vítima da vez pode ser qualquer um. Não há um tipo específico. É uma questão de estar no lugar errado e na hora errada, e você pode virar um alvo depois de ir ao mercado perto da sua casa, por exemplo. Como explicita o próprio título alternativo, Random (que, traduzindo literalmente, seria Aleatório).

O roteiro dedica o começo do filme a desenvolver a sua protagonista, que é apresentada como qualquer outra garota normal. Ela é sozinha, obrigada a ficar no campus mesmo no feriado, mas também não mostra traços depressivos ou qualquer coisa que possa ser definida como clichê. A personagem é simpática, e muito bem interpretada pela atriz Haley Bennett (Jovens Malditos). Você torce por ela, e se envolve no seu sofrimento, justamente porque é muito fácil se identificar com a Justine. Bennett ainda consegue equilibrar muito bem o lado vítima e badass de sua personagem, o que é fundamental em torno do desenvolvimento da trama. E, apesar da mudança de perspectiva no terceiro ato, as atitudes da protagonista ainda podem ser consideradas críveis, porque o roteiro se preocupou em mostrar que Justine é inteligente, diferente de outras mocinhas que só conseguem gritar.

Ashley Greene também está espetacular neste filme - e irreconhecível também. Ela é a grande vilã, e líder da gangue de assassinos. Sua aparência está muito diferente do que estamos acostumados a ver. Greene consegue meter medo! Minha única reclamação em torno dela é o fato de ter tido pouco tempo em cena. Em contrapartida, os diretores acertaram com a decisão de não dar uma "identidade" para os outros assassinos do grupo. Suas motivações são exploradas por alto, e apesar do enredo nunca realmente se jogar nisso, as coisas são explicadas o suficiente para satisfazer os espectadores. Todo o lance envolvendo o termo "Kristy" é bacana também, e por isso os outros títulos que este filme já recebeu se tornam fraco perto dele.

Apesar estar esperando por um confronto final bombástico no final do filme - algo que ficou longe de acontecer -, não fiquei decepcionado. Os últimos minutos conseguiram ir além do jogo de gato e rato, fazendo com que os eventos mostrados neste filme tenham um impacto real no universo do mesmo. E o mais interessante é que os roteiristas poderiam facilmente escrever uma sequência - sem que ela soasse desnecessária -, apesar do final da história já ter sido mais do que suficiente para completar da trama. Enfim, fiquei bastante surpreso com este filme. Claro que recomendo! Tenso, divertido e acima dos outros do mesmo estilo.

PS. E se você fosse a próxima Kristy?


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
5 Comentários

Comentário(s)

5 comentários:

  1. Eu fiquei muito, muito tempo mesmo esperando por esse filme, eu até consegui o roteiro! Só fiquei triste pelo desprezo que o estúdio deu a ele, já que poderia ao menos ter sido lançado nos cinemas, agora já nem sei se sai em DVD. O trailer tbm não me animou muito, mas vou assistir mesmo assim.

    ResponderExcluir
  2. Eu achei interessante... mas o desenrolar final deixou a desejar. Ainda assim, também o recomendo por fugir (um pouco) do convencional, sobretudo, em relação à protagonista.

    ResponderExcluir
  3. Eu finalmente assisti e fiquei um pouco decepcionado pelas mudanças que eles fizeram. No roteiro original não fazia qualquer sentido o título "Kristy", já que era só o nome da vítima divulgada pela imprensa, mas no filme não fez muito sentido o que eles faziam. Principalmente na parte em que a Violet diz para a Justine correr, eu não acho que um assassino faria aquilo na vida real, mesmo não batendo bem da cabeça. Além disso eles cortaram a cena em que a Justine vomita de cansaço (que eu achei bem dramático) e quando ela anda por um esgoto cheio de ratos. O final original não era muito bom, mas era melhor do que esse que eles fizeram, que além de ser muito rápido terminou de um jeito meio estranho. Foi difícil assistir sem pensar no roteiro, mas até que foi bom.

    ResponderExcluir
  4. O filme kristy foi o melhor filme de terror que eu já assistir , por que o desenrolar da história o suspense foi ótimo não e aquele filme de terror que vc sem ver a próxima cena já sabe o que vai acontecer e um filme bom divertido ,e ancioso pelo que vai acontecer com ela , hoje em dia não se lança filmes de terror top que nen kristy ,o filme foi ótimo nota 10 adorei , e a parte que violet diz para justine correr foi bem feita por que a lógica do filme e os assassinos caça a vítima fazer ela sofrer bastante e depois matala e depois postar na internet , todos assassinos em série de filmes manda a vitima correr ou deixa a vitima correr sem falar nada por que pra ele se pegar a vitima rápido demais não seria divertido

    ResponderExcluir
  5. Achei muito bom,a atriz é muito boa.

    ResponderExcluir