sábado, 30 de agosto de 2014

[Crítica] True Blood - 7x10: Thank You (Series Finale)


Verdadeiro mesmo até o fim?

Review:
(Spoilers Abaixo)

Eu disse que o fim estava perto... e ele chegou. Depois de sete anos acompanhando as aventuras da fadinha mais safada do universo, True Blood finalmente derrama a sua última gota. Se alguns anos atrás me dissessem que este seria o final, eu riria da cara da pessoa. Mas realmente aconteceu. Vimos uma das séries mais originais e inesperadas terminar com um enorme clichê de novela das nove. Sinceramente, acho que há uma maldição no ar. As séries estão terminando e desconstruindo tudo o que os fãs estão esperando de seus finais. Apesar de não ter sido excelente, porém, True Blood não teve uma conclusão tão desastrosa quanto Dexter - que provavelmente será uma referência de ruindade (estou falando da conclusão) para sempre.

Noventa por centro do episódio ficou no drama do Bill. Sookie virou uma coadjuvante no último episódio de sua própria série. Quando que nos livros outra pessoa teria mais destaque do que ela? Eu até aceito isso no decorrer da temporada, mas no último episódio? Mas o que ela poderia fazer para se destacar neste final se o roteiro não a colocou no centro de nada? Sookie passou a temporada final apenas girando na órbita do Bill, e isso é triste. O primeiro erro desse episódio final foi focar em apenas uma coisa e deixar todos os outros apagados. E, o pior de tudo, é que a maioria das cenas do Bill foram muito chatas. Até foi emocionante em algumas partes, mas ele definitivamente não merecia tanto espaço na tela. Sua despedida se tornou arrastada e cansativa.

Como disse, algumas partes foram genuinamente emocionantes. Destaque o momento em que a Sookie percebe que consegue ouvir os pensamentos do seu amado. Foi muito interessante e triste, porque ela finalmente esteve na cabeça dele, e pôde entender de primeira mão o seu ponto de vista. Boatos rolam pela internet que o roteiro original para o desfecho seria o Bill se transformar em humano, ficando feliz para sempre com a Sookie. Desculpe-me quem esperava por isso, mas seria muito ruim. A temporada inteira nos preparou - querendo ou não - para este momento: a morte verdadeira do Bill. E, felizmente, os roteiristas levaram esta trama até o fim, resultando em um belo final para um personagem que definitivamente não foi um dos mais queridos pelo público.

Eric, Pam e Sarah roubaram a cena mais uma vez. Devo dizer que esta última temporada foi exclusivamente deles. Enquanto o enredo tentava colocar o foco no casal principal, era o trio ternura que roubava a cena cada semana. Os roteiristas finalmente pararam de colocar Eric e Pam um contra o outro, e uni-los foi a melhor ideia de toda a série. Eles são perfeitos juntos, e não me canso de comentar que eles merecem um spin-off só para eles - e já podem trazer a Sarah com eles. Por falar nessa loira bandida, eu realmente queria que ela tivesse se dado bem na vida. Seu destino, porém, ainda foi interessante. Já estou feliz por ela não ter morrido, e confesso que imagino diversas coisas envolvendo o seu futuro. Pode ter parecido um desfecho, mas acredito que aquilo tenha sido apenas um recomeço para a personagem. Afinal de contas, ela é Sarah Newlin. Vocês não acham que o Messias seria derrubado tão fácil, não é verdade?

De resto neste episódio, tivemos tudo o que uma despedida de novela da Globo nos oferece: casamento, muita gente feliz e reunida, vilões punidos e personagens queridos de caráter duvidoso se dando bem. Nunca pensei que True Blood acabaria como uma novela nacional, e apesar de ser engraçado de dizer, é triste quando paramos para pensar. Ainda assim, não me arrependo em momento algum de ter conferido esta série. Pode ter os seus momentos decepcionantes, e o final pode ter tido seus pontos negativos, mas certamente foi uma jornada prazerosa até este adeus definitivo. E agora? Qual série vai conseguir preencher o buraco deixado no meu coração com o cancelamento desta?

Recomendo a todos que passem a ler os livros, mas que também não criem muitas expectativas com o desfecho. Assim como na série, a autora optou por dar o desfecho clichê de "vida normal" para sua protagonista, o que não combina de jeito algum com a proposta inicial da história. Ainda assim, o final da série foi menos revoltante, principalmente por não ter mostrado o rosto do novo amor da Sookie. Isso foi proposital, ainda mais considerando as reações negativas dos leitores na época do lançamento do último livro. Sabemos que ela seguiu em frente e se tornou uma pessoa feliz, mas não há necessidade de saber com quem foi. Ainda assim, acredito que o Eric foi e sempre será o melhor par para a personagem. É uma pena que eles nunca consigam terminar juntos em nenhuma das mídias.

Enfim, gente, muito obrigado por acompanhar os meus textos. Foi muito prazeroso recebê-los no meu mundo, e espero que vocês voltem para me visitar em outras críticas - seja de filmes, séries ou livros. True Blood ficará para sempre no meu coração, assim como o retorno de vocês. Obrigado.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Apesar de torcer por Bill e Sookie, achei maldade não deixarem ela com o Eric já que o primeiro morreu k. E a Jessica e o Jason, nunca vou superar, mas pelo menos ela terminou feliz, é um alívio. Agora só me resta terminar a série, já que tô empacado na 5ª hahaha

    ResponderExcluir
  2. O nono episódio foi mais interessante. Nele me vi varias vezes com o nó na garganta, já esse eu vi enquanto jogava no celular. Mas acho que não macula a série.
    Quando penso que o fim não foi tão legal, lembro da foda do Eric com a Ginger e tudo isso some da minha mente.

    ResponderExcluir