quarta-feira, 6 de agosto de 2014

[Crítica] True Blood - 7x06: Karma


Karma is a bitch!

Review:
(Spoilers Abaixo)

Estava ansioso para este episódio, minha gente! True Blood está esquentando cada vez mais. É uma pena que, apesar das minhas expectativas, Karma não foi tão interessante quanto os últimos dois episódios desta temporada. Não aconteceu muita coisa de relevante esta semana, o que é uma pena se considerarmos que não há muitas ainda pela frente. O plot central do episódio deveria ser chocante, mas os roteiristas continuam dando tiro no próprio pé, já que pouquíssimos de nós realmente nos importamos com o destino do Bill - e muito menos com sua relação com a Sookie.

Como vimos no quinto episódio, Bill está doente. Mas como ele se contaminou, todos se perguntaram? A resposta já não estava muito difícil, e ficou ainda mais óbvia quando suas veias negras passaram a dominar o seu corpo em tempo recorde. Digo, por qual outro motivo a doença dele estaria evoluindo muito mais rápido que a dos outros se não tivesse sido contaminado com um sangue... especial? É neste momento que entra a Sookie. Muitos apostavam que o sangue dela seria a cura para o Hep-V, mas se o Eric estivesse disposto a verificar, estaríamos sem o nosso viking.

Eu achei interessante o sangue dela fazer exatamente o contrário do que era esperado aos vampiros contaminados. Sookie não é a salvação, mas sim a desgraça. Bill agora sabe muito bem disso. Eu realmente espero que ele morra até o final dessa temporada - apesar da luz no final do túnel já ter sido revelada. Mas será que ele durará tempo bastante para ser salvo? Realmente espero que não. E não digo isso só porque não gosto do personagem. Mas porque essa seria uma ótima despedida para ele. Acredito que sentiria pena, e certamente acharia seus últimos momentos tristes. Isso é mais do que eu já pensei que poderia sentir por ele. Qualquer outra alternativa acarretará em minha total apatia (ou pior, raiva).

Para quem pensou que o destino da Sarah Newlin estava marcado neste episódio, melhor rever seus conceitos. É como eu sempre digo: a vadia é imortal. E eu realmente gosto dela. Gente, vamos refletir um pouco: Já passaram diversos vilões na série, e todos eles morreram. Sarah apareceu desde a segunda temporada, e só evoluiu a partir daí. Começou como uma fast foda do Jason, e depois reinou absolutamente em Cristo na sexta temporada - como a vilã principal do ano de 2013. E, ainda assim, conseguiu sair linda, loira e viva da Season Finale - apesar de todas as expectativas.

Então o seu retorno para este ano final da série para um enorme acerto. E o fato do roteiro transformá-la em uma personagem chave para os últimos episódios foi genial. Tenho gostado bastante da interação entre a personagem e o Eric - e espero que eles ainda dividam bastante a tela até a morte verdadeira da série. Será que a Sarah - ou Naomi? - conseguirá sair com vida no final de tudo isso? Vivendo ou morrendo, Anna Camp conseguiu fazer sua personagem crescer e se tornar marcante dentro da mitologia de True Blood. Não é para qualquer um. Definitivamente.

Não há muito mais o que dizer dos outros núcleos. Lafayette está sendo arrastado para a loucura da Tara Mae, o que é péssimo para o desenvolvimento do personagem. Espero que o plot dele volte a focar no desenvolvimento da sua relação com o Jackson. Já a filha do Andy se meteu em uma nova enrascada. Foi "sequestrada" pela Violet, que deve usá-la para atrair a Jessica. Só digo que quero ver tiro, porrada e bomba nas próximas semanas. E espero muito que o Jason não vire um galinha novamente e vá resgatar a ruiva, porque esses dois têm que terminar juntos. Obrigado, de nada.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário