terça-feira, 15 de julho de 2014

[Crítica] True Blood - 7x03: Fire In The Hole


Rezem pelos seus personagens favoritos.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Atraso de leve essa semana, mas podem ficar tranquilos que tudo volta ao normal nesta. O importante é que esta última temporada de True Blood continua dando na nossa cara a cada semana. Os roteiristas definitivamente ligaram o f*da-se, e estão matando todos que eles podem. Essa semana foi bem mais importante - com direito a outra morte de um dos personagens principais - que a anterior, reafirmando alguns aspectos que estavam abertos desde a Season Premiere. E sim, gente! Eu estou me referindo ao fadado destino da Tara. Agora está mais do que confirmado que a mulher está mesmo morta.

A grande esperança dos fãs era o fato da Pam não ter sentido a morte de sua cria, mas ela confirmou logo no começo. E suas palavras foram como uma estaca no coração. Passei a ficar com raiva de uma coisa que aconteceu várias semanas atrás. Eu sou totalmente a favor de matar personagens, mesmo que eu sofra muito com isso. Mas, até agora, não houve qualquer propósito. Fico ainda mais chateado com a morte verdadeira da Tara porque acompanhamos a cretina desde a primeira temporada. Rimos, choramos e bocejando acompanhando suas tramas. Aí vem os roteiristas e têm a excelente ideia de matá-la em offscreen? Cadê o respeito? Se era para acabar com a personagem, pelo menos que a trama lhe rendesse um grande momento. Algo realmente doloroso e heroico. Algo que faça a personagem ser lembrada para sempre. Mas não... Fim. De uma forma seca e insatisfatória.

E, apesar de tudo isso, o que mais me dói em torno da morte da personagem é o fato de que os roteiristas insistirem em nos empurrar o plot chato da mãe dela. Viciada em sangue de vampiro? É sério, isso produção? O mundo está um verdadeiro apocalipse, e os vampiros contaminados estão achando que as ruas são fast food, mas... ei, espera um pouco, vamos focar nessa doida que ninguém nunca conseguiu engolir. Como já disse em uma das minhas críticas anteriores, Tara poderia sim ter um ótimo lugar nesta temporada, principalmente ao lado da Willa, que virou um grande nada na história. Ela é fofa, e as duas poderiam ter formado um belo casal.

Mas, enfim, gente... Vamos tentar superar essa desilusão. Afinal de contas, os roteiristas continuam matando os personagens fixos como se não tivesse orçamento suficiente para pagar todos eles até o final da temporada. A vítima dessa semana foi o Alcide. Logo vi que ele não ficaria mesmo com a Sookie no final, especialmente depois do enredo forçar irritantemente uma conexão com o Bill, que não existe há muito tempo. Eles eram um bom casal no começo, mas essa reaproximação não cola atualmente, o que é irônico demais, considerando que os dois atores são casados na vida real, mas a personagem principal tem muito mais química com os outros colegas de trabalho. Será que ainda é tarde demais para o Eric?

Por falar no viking, tivemos alguns flashbacks que não foram lá muito interessantes, mas foi bom ver que ele está do lado da Pam sempre, mesmo sendo um idiota com ela. Gosto muito deles dois, e foi ótimo ver que o Eric encontrou alguma coisa dentro de si mesmo para lutar antes de sucumbir a sua doença: a matar a maldita da Sarah Newlin. A ex-diva cristã está de volta à trama da série, em um começo cretino e mais aleatório que o do episódio anterior. Cheguei até a pensar que estava vendo alguma série errada, mas tudo ficou claro que o rosto dela apareceu em cena. Não é exatamente uma surpresa ver que a Sarah está de volta para a temporada final, considerando que sua personagem realmente se destacou no ano anterior, e não teve uma conclusão. Espero que ela renda alguma coisa nessa temporada, porque os personagens estão caindo feito moscas.

Gostei muito dos humanos sendo dizimados pela floresta, e esperava uma cena muito mais grandiosa. Queria ter visto um grande massacre, e a série ficou devendo. A série definitivamente se conteve nos momentos finais desse episódio, apenas para nos chocar com mais uma morte gratuita. Mais uma vez, sem grande propósito além de fazer a Sookie partir para outra de consciência limpa. Vocês repararam que ela sequer considerou a ideia de transformá-lo, né? Foi um presente dos céus para ela. Brincadeiras a parte, foi outra grande morte que poderia ter sido muito melhor aproveitada pelo enredo. Esperava por algum tipo de grande luta na floresta, mas a conclusão foi super broxante.

Agora vamos ver o que o quarto episódio irá reservar. Tenho driblado de todos os episódios dessa temporada para poder ser surpreendido, considerando que qualquer coisa pode acontecer. Fale ressaltar ainda neste texto o fato da Jessica continuar com o seu problema de cura, e as cenas do namorado dela com o Lafayette, que foram fofas demais. Já estou torcendo por eles dois juntos, e a troca do ator foi a melhor ideia que os produtores de True Blood já tiveram. Esse novo James é muito melhor que o anterior, em todos os aspectos possíveis. Por último, não posso deixar de fazer uma menção honrosa à morte da vadia humana velha - mãe do Hoyt. Esperava ver aquilo desde os primeiros momentos. Foi um sonho se tornando realidade. Até aprendi a gostar mais da nova namorada do Jason.

Eu ouvi um amém namastê?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário