domingo, 6 de julho de 2014

[Crítica] Academia de Vampiros: O Beijo das Sombras


Direção: Mark Waters
Ano: 2014
País: EUA | UK | Roménia
Duração: 104 minutos
Título original: Vampire Academy

Crítica:

Elas dão o sangue na escola.

Assim como o aumento dos filmes de super-heróis, é impossível não reconhecer que filmes adaptados de livros têm sido lançados com cada vez mais frequência. Talvez os principais responsáveis pelo início dessa febre tenha sido o sucesso monstruoso de franquias como Harry Potter e Crepúsculo, em especial essa última, porque o apelo romântico - e sobrenatural - parece ser a maior constante na maioria das produções que vieram depois. Todas as novas adaptações surgem na esperança de ganhar espaço no mercado e consolidar suas próprias franquias de sucesso. Infelizmente, nem todas conseguem o seu lugar ao sol, e Academia de Vampiros: O Beijo das Sombras é um grande exemplo disso.

A história gira em torno de Rose Hathaway, uma dhampir — meio vampira, meio humana — no treinamento para ser a guardiã de sua melhor amiga, a princesa Lissa Dragomir, única herdeira das 12 famílias da realeza Moroi, pacíficos vampiros mortais. Depois de mais de um ano em fuga, as duas garotas são encontradas e levadas novamente para a academia de vampiros. Lá, elas terão que se readaptar a uma nova hierarquia, enquanto os outros alunos as tratam como forasteiras. Enquanto lidam com seus problemas pessoais - e suas próprias responsabilidades - as garotas se verão no centro de uma trama assustadora, que poderá levar ambas para a escuridão... por toda a eternidade.

É importante começar falando que eu nunca tive a oportunidade de ler os livros - apesar dessa saga já ter chamado a minha atenção antes. Então, obviamente, não poderei fazer quaisquer comparações, e todas as minhas observações serão ligadas exclusivamente à adaptação cinematográfica. Digo isso porque parece ser quase unânime o fato de que as pessoas que leram os livros odiaram muito mais o filme do que aqueles que nunca tiveram contato com a outra mídia. Particularmente, devo dizer que me diverti bastante com Academia de Vampiros: O Beijo das Sombras, apesar de que sei que a história tinha potencial para ser muito melhor.

Uma das maiores reclamações em torno dessa adaptação é sobre a enorme quantidade de humor negro que o roteiro inseriu na trama. De fato, há bastante! Não considero isso um fato negativo - pelo menos neste primeiro momento. Um tom mais descompromissado tornou o filme mais leve e "pipoca", sem pretensão de ser profundo, mas sim, de divertir os espectadores. Porém, devo concordar com aqueles que alegam sobre a rapidez dos fatos apresentados. Até mesmo quem não leu os livros consegue perceber que a história não está sendo bem desenvolvida. Personagens se encontram apenas uma vez, e, logo a seguir, já estão apaixonados (oi?). Tenho certeza que os livros lidam muito melhor com tudo isso.

Até porque, a história tem uma mitologia completamente diferente do que estamos acostumados. Enquanto o tema dos vampiros é um tema muito explorado atualmente, a trama criada Richelle Mead dá uma nova roupagem aos vampiros, separando-os em diferentes subclasses. Há também a introdução do uso de magia, o que me lembrou bastante dos vampiros da saga House of Night, que têm os elementos básicos como fonte de seu poder. Neste filme, os que mais despertaram minha curiosidade foram os Strigoi, a subespécie mais parecida com os vampiros que conhecemos, e que não foram o foco desta primeira adaptação.

O desfecho segue com uma ponta para uma sequência, que promete se aprofundar justamente nesta subespécie, o que é uma pena, considerando que uma segunda parte seja improvável. Apesar de fraca, a única chance que a saga tem de receber uma nova chance seria uma venda de DVDs e Blu-rays considerável. Até mesmo campanha de arrecadação de dinheiro já foi considerada, apesar de já ter sido descartada por parte dos produtores. Será que uma segunda parte renascerá da escuridão? Não fiquem esperando. Enfim, apesar dos pesares, recomendo este filme. É uma história descompromissada, que certamente ajudará a passar o tempo. Não esperem um clássico, apenas abram suas cabeças a se deixem entreter.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Esse humor foi o que estragou o primeiro livro quando eu li, e nem tive vontade de continuar a série. A autora poderia ter transformado a série em um quase novo Harry Potter, já que os vampiros tem uma mitologia maior do que a de outras histórias.

    ResponderExcluir