sábado, 26 de julho de 2014

[Crítica] 2 Broke Girls - 1ª Temporada


Duração: 22 minutos
Nº de episódios: 24 episódios
Exibição: 2011-12
Emissora: CBS
Título no Brasil: Duas Garotas em Apuros

Crítica:

Depois de três anos na grade do Meu Mundo Alternativo, 2 Broke Girls infelizmente está se despedindo. Infelizmente, não conseguimos continuar com as críticas semanais da série. Vocês mesmos acompanharam minha dificuldade em continuar com as reviews da terceira temporada - recheada de textos duplos/triplos. Porém, a série não vai simplesmente para a zona dos esquecidos. De fato, implementando uma "nova política" no meu mundo, a série será convertida em críticas de temporadas completas, e continuará a receber novas críticas conforme finalizar suas eventuais temporadas.

A história gira em torno de Max Black, uma garota pobre que está acostumada a tocar sua vida sem grandes expectativas. Seu mundo vira de cabeça para baixo quando ela conhece a energética Caroline, uma sonhadora que perdeu todo o seu dinheiro depois que o seu pai foi preso por desfalque. Completamente o oposto uma da outra, elas irão implementar o melhor dos dois mundo, visando apenas em um único sonho: ter sua própria loja de cupcakes. Porém, as duas sabem que precisarão de muito dinheiro para começar o seu próprio negócio, e definitivamente não o conseguirão na lanchonete em que trabalham. Enquanto vivem a rotina normal, elas tentam manter o negócio caseiro ativo, enquanto não perdem a chance de tirar sarro dos seus próprios clientes.

Essa série foi, indiscutivelmente, uma das melhores estreias de comédia daquele ano. Kat Dennings nasceu para encarnar a Max Black, e a recebeu de peito aberto (vocês viram o que eu fiz aqui, né?). Beth Behrs, como Caroline, também não fica para trás. O mais interessante é que as duas tem jeitos diferentes de nos fazer rir. Enquanto Max dedica sua vida a frases sarcásticas e hilárias, Caroline tem seus melhores momentos de forma física: caras e bocas - e diversas situações constrangedoras. O enredo aproveita ao máximo para fazer piadinhas sobre essa troca de universo pelo qual a loira passa. Se ser pobre não é fácil para nós, imagina para quem já foi rico algum dia. E eu posso dizer que os roteiristas fazem todas as piadas possíveis em torno deste assunto - e ainda continuam fazendo.

Para reforçar o elenco, no meio da temporada, foi introduzida a personagem Sophie, interpretada de maneira única pela excelente Jennifer Coolidge. Vou contar para vocês que não é qualquer atriz que poderia se sair bem neste papel. Coolidge tem o charme trash que a personagem necessita, e não tem medo de mostrar ao lado o seu sexy-appeal peculiar. Sophie ainda tem um caso com o cozinheiro da série, Oleg, o que ajudou a desenvolver um pouco mais do personagem - que apenas se limitava a fazer piadas sujas sobre sexo. Além dos já citados, ainda há o Han e Earl, tendo o primeiro maior destaque ao ser alvo das zoações constantes do resto dos personagens.

Voltando ao campo amoroso, nossas protagonistas passaram por um ano de vacas magras, devo alertar. Max começou com um namorado cafajeste - mas que apresentava (e só) um tanquinho dos sonhos -, e depois passou a gostar de um tipinho meio nerd descolado. Super gostava deles dois juntos, mas houve a maior enrolação, corações foram quebrados, e todos passaram a odiá-lo. Eles poderiam ter sido ótimos juntos, é uma pena que o enredo decidiu continuar no mesmo lugar. Apesar disso, justamente por causa desse conflito, o roteiro apresentou diversas situações um pouco mais profundas, que ajudaram a desenvolver não só os personagens como também a própria relação de amizade entre as duas protagonistas da série.

E como fechar essa crítica sem falar sobre alguns dos coadjuvantes semanais mais divos? Essa primeira temporada sem dúvidas apresentou alguns dos melhores personagens passageiros da série. Em apenas poucas cenas, eles conseguiam estabelecer os seus próprios bordões, marcados através de estereótipos escrachados. Enfim, se você ainda não conferiu a série, digo que vale muito a pena. Ainda que a qualidade tenha caído um pouco com o passar das temporadas, ainda acredito que seja uma das melhores comédias da atualidade, porque é uma das únicas séries que comédia que realmente consegue me fazer rir. E, nesta primeira temporada, as gargalhadas são garantidas.

Confiram, também, as críticas semanais desta temporada:

1. Pilot (Series Premiere) | 2. And the Break-Up Scene | 3. And Strokes of Goodwill | 4. And the Rich People Problems | 5. And the '90s Horse Party | 6. And the Disappearing Bed | 7. And the Pretty Problem | 8. And Hoarder Culture | 9. And the Really Petty Cash | 10. And the Very Christmas Thanksgiving | 11. And the Reality Check | 12. And the Pop-Up Sale (Mid-Season Finale) | 13. And the Secret Ingredient | 14. And the Upstairs Neighbor | 15. And the Blind Spot | 16. And the Broken Hearts | 17. And the Kosher Cupcakes | 18. And the One-Night Stands | 19. And the Spring Break | 20. And the Drug Money | 21. And the Messy Purse Smackdown | 22. And the Big Buttercream Breakthrough | 23-24. And Martha Stewart Have a Ball (Season Finale)
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Análise interessante desta série , eu quero ver O Negócio estou intrigado com a nova temporada!

    ResponderExcluir