segunda-feira, 16 de junho de 2014

[Crítica] Orange Is The New Black - 2ª Temporada


Status: Renovada
Duração: 60 minutos
Nº de episódios: 13 episódios
Exibição: 2014
Emissora: Netflix

Acabou a brincadeira.

Crítica:
Spoilers Leves Abaixo!


Mais um ano se passou, e a Pipper continua atrás das grades! Orange Is The New Black certamente é uma das séries que eu mais estava ansioso para voltar a assistir - ainda mais se considerarmos o final bombante da última Season Finale. A primeira temporada foi uma grande surpresa para todos, tornando-se desde aquele momento uma das melhores estreias dos últimos anos. Muitos podem pensar que é um exagerado, mas isso é provavelmente porque eles ainda não conferiram. A grande questão mesmo é que a série está de volta, e mais deliciosa do que nunca.

Provavelmente o ponto que todos estavam querendo saber seria que fim levou a briga entre a Pipper e a Pennsatucky. A resposta é dada logo no primeiro episódio, ainda que não em um primeiro momento. O enredo brinca com a nossa curiosidade na mesma intensidade que com a protagonista. Em um caos sem informações, nós dois - Pipper e os espectadores - somos conduzidos para o desconhecidos, formando um milhão de resoluções na cabeça. Neste primeiro episódio, o foco está todo em torno da Pipper. E, de rosto conhecido, podemos contar apenas com a Alex.

Estranhei em um primeiro momento porque a criadora da série revelou que este ano envolveria muito mais as outras detentas, com o foco da história sendo melhor distribuído do que no ano de estreia. Esta afirmação só se confirmou do segundo episódio (o único que a Pipper sequer aparece, fazendo um contrabalanço com o primeiro) em diante. Personagens que já tiveram suas histórias reveladas são ainda mais desenvolvidos em novos flashbacks, e outros, que ficaram de fora da temporada anterior, mostram ao que veio pela primeira vez. Deste segundo grupo, destaco a Poussey e a Morello, que superaram minhas expectativas e apresentaram histórias fortes - que destacaram-se por diferentes motivos.

E, apesar da série continuar engraçada, o tom foi ficando cada vez mais pesado com o passar desta nova temporada. Um dos grupos mais divertidos da prisão era composto pelas negras, encabeçado pela sempre empolgante Taystee, foi corrompido pela venenosa Vee (de "víbora"). E é justamente por eu ter odiado a personagem desde a sua primeira aparição que ela merece todo o destaque nesta crítica. Lorraine Toussaint esteve fantástica no papel de vilã. O mais impressionante é o cuidado que o roteiro trabalhou em torno da personagem. Dando-lhe poder aos poucos, mostrando sua sutileza e falsidade para manipular as pessoas. Sua trajetória dentro da série foi chocante justamente pela perfeição da construção da personagem. Nunca vimos uma víbora agir com tanta clareza.

Quanto ao drama envolvendo a saída da Alex, todos devem ficar tranquilos. Ela é uma das minhas personagens favoritas, mas sinceramente nem senti sua falta no decorrer do temporada. O enredo é tão empolgante, e as personagens tão variadas que não tem como sentir falta de ninguém. Eu já cansei de elogiar o roteiro, mas, mais uma vez, é inevitável. Sua saída se deu de uma forma coerente, assim como sua reintrodução na trama. Havia muita especulação em torno da saída da atriz, mas a verdade é que ela sofreu com um problema de conflito na agenda. A própria Laura Prepon já garantiu que voltará com tudo na terceira temporada, o que faz completo sentido depois do último episódio.

Enfim, gente, esta temporada está cheia de coisa boa. É impossível falar de tudo, ou o texto teria mais de quarenta parágrafos. Só não posso terminar esta crítica sem mencionar o excelente desenvolvido da personagem Rosa, que assumiu o centro da atenções, não só no episódio que revelou seu passado, como na própria Season Finale. De negativo só tem o relacionamento da Daya e o Bennett, que não teve nenhum momento satisfatório este ano. Apesar deles terem sido um dos grandes focos do primeiro, neste segundo, o casal se tornou o núcleo mais chato da série. Espero que no terceiro o Pornstache volte, porque só mesmo ele para dar uma luz neste casal.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. O Pornstache não aparecer no terceiro ano da série, sinto alivio até, ele me da asco. Tão intragável quanto o Hannibal.
    No mais só me apaixono pela série que rompe com muitos esteriótipos e mostra que as coisas não surgem do nada, sem querer justificar nada, ela mostra os caminhos que os personagens percorreram e isso pode romper com vários estigmas, enfim, não sei o que sinto pela Morello, ela que sempre pareceu equilibrada.

    ResponderExcluir