quinta-feira, 29 de maio de 2014

[Crítica] Supernatural - 9x21-23: King Of The Damned / Stairway To Heaven / Do You Believe In Miracles? (Season Finale)


Já não estivemos nesta estrada antes?

Review:
(Spoilers Abaixo)

Se eu dissesse que a minha Season Finale favorita é aquela que um dos irmãos morre, vocês realmente saberiam de qual eu estou falando? E aquela em que um deles apanha e morre? Também não ajudou muito, não é mesmo? Isso é porque tudo o que poderia acontecer de ruim com eles, já aconteceu. Desde a Season Finale da primeira temporada, nós sempre fomos surpreendidos com nossos heróis se dando mal de alguma forma. Mas, depois de nove anos, essa fórmula já se tornou cansativa. Alguém ainda realmente teme pela vida dos irmãos Winchersters? Eles já passaram pelo céu, inferno e purgatório. Não existe aquele sentimento de medo interior. Ninguém teme pelo destino deles, porque é óbvio que darão um jeito de voltar com tudo.

É por isso que eu apenas acompanhei os eventos do último episódio desta nona temporada, apenas esperando o momento pessimista chegar. Afinal de contas, ele sempre chega. Acredito que o maior erro da série foi ter banalizado a morte. Não só dos seus protagonistas, como também de qualquer coitado que aparece. Se não for o quarteto fantástico (Dean, Sam, Castiel e, surpreendentemente, Crowley), sabemos que não chegará muito longe. É difícil criar vínculos com qualquer novo personagem quando sabemos que eles não durarão um arco inteiro de episódios. Acredito que a série só perde ao investir nesta mesma fórmula ultrapassada. Está na hora de investir em um elenco de apoio forte, e colocar no centro da trama um elemento incerto, que possa nos deixar apreensivos de verdade.

Chega de ver os irmãos protagonistas morrendo e indo para todos os cantos do universo - só para voltarem e passarem por cima como se fosse a coisa mais fácil do mundo. A série tem uma mitologia rica - e, por isso mesmo, se contradiz de vez em quando -, então os roteiristas têm que parar um segundo para desenvolver uma trama relevante. Há muita coisa interessante deixada para trás, que poderia render uma história melhor do que esta desenvolvida neste ano. Seguindo dois plots - que por causa eram os mesmos -, guerra do céu e inferno, a temporada se sustentou em participações especiais de personagens conhecidos pelo público. Até aí tudo bem, mas eles foram usados como tapa-buraco para uma trama pobre - como se nós não fôssemos perceber. Poucas foram as aparições bem desenvolvidas.

E nesta sequência final de três episódios, temos mais um exemplo de retorno mal aproveitado de personagem. Sempre gostei da ceifadora Tessa. Ela teve uma história interessante no começo da série, se envolvendo romanticamente com o Dean, inclusive. Mas em Stairway To Heaven, a personagem é reapresentada de uma maneira porca e preguiçosa. Basicamente só apareceu para morrer, como tantos outros. Isso remete diretamente ao que eu disse antes sobre a banalização da morte. Antes, os irmãos não saíam matando tudo pela frente. De fato, eles tentavam salvar as pessoas, porque sabiam que muitas delas estavam presas em seus corpos possuídos. Enfim, dentre casos e casos, havia uma atenção especial em torno dos personagens secundários, o que os tornavam carismáticos para os fãs. Mas, atualmente, todos passam e morrem, e depois de algumas semanas sequer lembramos dessas cenas.

Vocês podem me xingar o quanto quiserem, mas eu nunca fui tão sincero quanto nesta review. Estou lavando a minha alma para vocês. Supernatural era surpreendente. Nós nunca sabíamos como a trama iria progredir. Era intrigante! Mas, agora, parece que os roteiristas sequer se esforçam para entregar algo minimamente coerente. Primeiro que no final aconteceu exatamente o que eu previ - e escrevi para vocês - no começo desta temporada: Sam tanto reclamou que deixaria o irmão morrer, mas quando isso aconteceu, não pensou duas vezes antes de correr para fazer um pacto. Mas tudo bem, esse nem é o ponto mais negativo do roteiro.

Eu diria que o episódio King Of The Damned entregou uma das histórias mais furadas de toda a série. Por que diabos Abaddon iria querer o Crowley, os irmãos Winchesters e a Primeira Lâmina no mesmo cômodo? Não seria muito mais seguro para ela se pegasse a Primeira Lâmina sozinha e a destruísse, já que ela havia dominado o Crowley? Por que fazer questão de ter a Lâmina entregue pela única pessoa no mundo que pode, de fato, matá-la? E, pior ainda, ficar paradinha, esperando o Dean enfiar a Lâmina nela? Quando viu que seus poderes estavam falhando, por que não desapareceu? Ou qualquer outra reação além de esperar imóvel pela morte? E, sinceramente, se ela podia até voltar no tempo, por que não acabar com seus problemas no útero? É tanta estupidez em um roteiro só que eu fico perplexo. Fico me perguntando se os roteiristas não percebem esses furos todos. Saudades do tempo em que a série não buscava por saídas tolas.

Neste episódio fica claro o desespero para encerrar a trama da guerra no inferno para dar atenção à guerra no céu. E, mais uma vez, o roteiro é estúpido o suficiente para dar atenção à trama mais chata. Metatron não tem qualquer apelo carismático em seu corpo. Suas cenas são risíveis, porque não conseguimos entender como aquele cara sem presença (ou sanidade) conseguiu assumir o controle de todos. Abaddon era uma personagem muito mais interessante, com seu jogo de palavras cretino. Merecia ter tido mais consideração em seu desfecho, e ter sido a vilã principal da temporada. Ironicamente, em uma chuva de mortes, o único personagem que eu desesperadamente queria que morresse, só recebeu a punição de ficar trancado. É sério, isso? Eles querem me ver chorar?

Pelo menos a cena final promete injetar algum sangue novo na história. Duvido que aconteça, mas tenho certeza que os roteiristas irão dar um jeito de voltar para sua zona de conforto. Teremos mais dramas entre os irmãos, mais soluções fáceis, e mais personagens que mal aparecem e já têm um alvo nas costas. Meu consolo é que pelo menos o Crowley foi promovido para o elenco regular na próxima temporada. Já espero pelo desenvolvimento de sua amizade com o Rei do Inferno, um dos poucos pontos positivos deste ano. A cena final com o Crowley meio que se confessando para o Dean também foi legal. Bem, agora veremos o que acontecerá a seguir. Estou muito insatisfeito com essa nona temporada, mas quem sabe a próxima não melhora? A esperança é a última que morre.

Enfim, espero que a série encontre um novo dono para o próximo ano, porque seria uma pena se ela saísse da nossa grade. E você? Curte a série e gostaria de assumir as reviews semanais da décima temporada? Basta mandar uma review de um episódio da série para o meu e-mail (nefferson_2@hotmail.com) para avaliação. Buscamos textos de caráter crítico, mas uma pitada de humor também está liberada. Boa sorte!

Status: Precisando de consolo.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Particulamente eles procuram as saídas mais fáceis. TUDO gira em torno dos Winchester,o que torna a relação deles.. doentia? Como Sam disse que Dean não o salvou por ele,e sim para tê-lo ao seu lado,ai pensei 'BINGO!' veríamos a trama explorar o lado egoísta dos irmãos,que não querem ficar sozinhos - nem que para isso precisem dar a alma pro diabo para reaver seu querido irmãozinho. Mas não,Sam se contradiz,Dean se contradiz. Por que damos credibilidade para eles mesmo? Sinto falta de personagens fortes como a Ruby(Katie Cassidy na bem realizada S3),Abaddon se mostrou uma adversária versátil e MUITO engenhosa. Cansei de ver sempre as mesmas coisas. Parafraseando sua colocação, não já percorremos essa estrada antes? Bloodlines tinha uma trama pobre,mas eles investiram em um elenco fixo,em mostrar as nuances de personagens que já cansamos de etiquetá-los como "demônios","seres sem alma" etc.. Não seria isso o que a série-mãe poderia apostar? Ok,não quero ver os irmãos constituírem família,Dean voltando alegremente para Lisa,ou Sam reencontrar Amélia,nada disso! Quero que eles tenham algo a mais,alguém para proteger - além deles mesmos -,um objetivo mais pessoal e particular. Eu já cansei desses dramas entre eles,a série precisa dar uma despedida digna por esses longos dez anos,seria meu maior desapontamento se eles sequer fizessem algo,no mínimo,inferior a essa temporada(que conseguiu suprir,parcialmente,a qualidade duvidosa das anteriores). Resumindo: SPN tem arcos ótimos,mas que são mal aproveitados,criando tramas desgastantes e incoerentes,nunca me conformarei com o destino estúpido da Mãe de Todos - como a progenitora das piores criaturas existentes pode sucumbir tão facilmente com cinzas de fênix? PQP.

    ResponderExcluir