sábado, 10 de maio de 2014

[Crítica] The Seasoning House


Direção: Paul Hyett
Ano: 2012
País: UK
Duração: 90 minutos
Título original: The Seasoning House

Crítica:

Saia enquanto você pode...

Mulheres sempre são apontadas como o sexo frágil, porém, quando vemos um filme de terror, elas sempre são as mais corajosas e são elas que vivem sobre os corpos de todos os seus amigos homens. Filmes de terror nos mostrou algo completamente contrário do que as pessoas costumam dizer. E elas não só têm o dom de sobreviver, como também são ótimas na arte da vingança. Franquias como Garotas Selvagens, slashers e afins mostram que a mulheres não devem ser subestimadas. Você não cometeria esse erro, não é verdade?

A história desse filme gira em torno de uma jovem, Angel, muda e surda. Ela é capturada por soldados e condenada a viver em uma casa de prostituição, servindo de brinquedo nas mãos de soldados. Angel, porém, desperta os sentimentos do dono do negócio, e fica a cargo de “arrumar” as outras garotas quando os clientes vêm e vão – além de alimentá-las. Quando ela se torna amiga de uma das outras meninas, ela começa a quebrar as regras para confortá-la. Logo, um grupo novo de soldados chega ao local trazendo consigo muita brutalidade. Depois de um pequeno deslize, Angel passa a ser caçada por eles enquanto se esconde por entre as paredes do local, eliminando-os um por um.

Estupro certamente não é um tema que qualquer consegue enfrentar. Muitas produções apresentam cenas ousadas e chocantes para tirar a passividade do espectador, como Doce Vingança. Depois de vermos o sofrimento de uma menina abusada, não tem como não torcer para que ela faça coisas muito piores do que as que fizeram com ela, certo? A temática desse filme gira basicamente em torno disso. Para completar, há o fato de que a protagonista é surda e muda, o que complica sua situação enquanto é caçada pela casa. Porém, sua inteligência e a forma como ela consegue identificar a posição dos seus inimigos é algo muito interessante de acompanhar.

Nem preciso dizer que esse filme tem bastante crueldade, certo? Ainda que a protagonista não compartilhe do mesmo destino que as outras garotas, ela também não está acima delas. Há sofrimento por todos os cantos. O diretor combinou a atmosfera pesada com os problemas de audição da protagonista e entregou um filme que em muitos momentos apela para o silêncio. Há poucas falas e os gritos são sempre abafados. É algo simples, mas que fez uma enorme diferença no tom da produção. Foi um detalhe extremamente inteligente.

A protagonista, interpretada pela atriz Rosie Day, é sensacional. Mesmo sendo uma atriz nova, ela deu um verdadeiro show em tela. Ela conseguiu capturar todo o drama, a tristeza e o horror. Além de se mostrar forte o bastante para enfrentar os soldados. Seu trabalho no filme foi realmente impressionante. Basicamente todo o resto do elenco fica atrás de sua sombra, até mesmo o vilão principal, que esteve muito bem. Apesar da maioria das mortes acontecerem por meio de tiros, há diversas outras mortes gráficas e muito bem feitas. Minhas preferidas são as que envolvem facadas, principalmente a do primeiro soldado, que é realmente impressionante.

Enfim, como sempre costumo alertar, esse não é um filme para todos. Há estupros, e apesar de não serem tão gráficos, chocam pela brutalidade. Se você é do tipo de pessoa que não gosta desse tipo de crueldade, deve passar realmente longe. Mas para aqueles que têm estômago forte, vêm conferir a jornada dessa protagonista forte e o seu caminho em busca da liberdade. Realmente um filme muito bem feito e com uma atmosfera aterradora. Deveria ter muito mais destaque, porque certamente desbanca muitos filmes conhecidos.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

  1. Esse tipo de filme não é pra mim, prefiro algo mais leve.

    ResponderExcluir
  2. E o que que foi aquele final?
    O terror da menina nunca termina!! kkk
    Ótimo filme e o choque nem é tão grande com as cenas, pois a protagonista passa uma sensação muito boa que te faz torcer por ela até o ultimo minuto.

    ResponderExcluir
  3. Não achei um filme pesado. Achei o conteúdo bem próximo a realidade, e as brutalidades humanas já não surpreende mais tanto assim. Mas eu gostei bastante do filme. A atriz é excelente e adorei a química dela com a outra vítima, muito comovente. E o final meio que não dá um fim ao sofrimento dela, mas eu acho que deixou uma ponta pra imaginação. O velho pode ter ajudado naquela casa por ter sido coagido, sei lá, MAIS que aquilo não acho que ela teria sofrido.

    ResponderExcluir
  4. Excelente thriller de suspense que te deixa "agoniado" do começo ao fim! A atriz é perfeita porque une ingenuidade e força, assim como seu nome. Apesar da pontuação baixa no netflix, recomendo!

    ResponderExcluir