quinta-feira, 15 de maio de 2014

[Crítica] Reign - 1x21: Long Live the King


“You said the fire burned his body beyond recognition. If it worked before, it could work again.”

Review:
(Spoilers Abaixo)

Se aproxima a season finale e todos ficam loucos, incluindo Henry. Os franceses voltam vitoriosos da guerra, rola comemoração, pegação e muita intriga.

Começando do começo, todos aclamam Henry pela vitória e este fica cheio de si, se achando merecedor da vitória e escolhido por Deus, aquela coisa toda que vimos nos episódios anteriores, o rei está “se-se-”(achando).

Mary e Francis se pegam, e ele fica pensando tipo “nossa, você me perdoou depois de eu te sacanear, amo você” e a Mary faz a compreensiva, mas não diz o que ela aprontou na ausência do maridão (coisa pouca: sequestrar a rainha, catar a grana dos Medici, decapitar a tia do maridão, contratar mercenários, coisas do dia-a-dia na côrte). Ela simplesmente menciona que a mãe escapou e está segura. Me pergunto se esses “detalhes” das aventuras da nossa amada rainha vão vir a tona em breve. Adoraria ver a cara do Francis quando descobrir.

Tudo parece estar indo muito bom, muito bem, até que... O rei fica com fogo e não se aguenta, resolvendo invadir a Inglaterra na semana seguinte já. Quem descobriu isso foi a Cat, que como já disse antes, não é boba nem nada, e tem muitos espiões espalhados por ai, e ninguém esperava que a camareira fosse uma delas. Entre arrumar o quarto e “arrumar o rei” (entenderam né?), ela ouviu aqui e ali, e foi contar as novidades para Cat. Pois bem, França teve muitas baixas nos últimos acontecimentos, e seu exército está enfraquecido. Não há como engatar uma nova guerra tão cedo e isso seria enviar soldados para a morte. A rainha má então vai conversar com Mary e até ela concorda que o rei está loucão e precisa ser impedido. E impedido, entenda-se morto.

Só que Francis ama o pai, quer salvá-lo, enfim, sendo irritante como sempre, convence as duas a deixá-lo tentar convencer o pai de começar a invasão contra a Inglaterra. As rainhas “aceitam”, só que não. Francis vai caçar com Henry pra aproveitar e ter uma conversa pai e filho, e nesse meio tempo, Mary e Catherine pensam em como matar o rei. Venenos não vão adiantar, praticamente todas as artimanhas de Cat já estão manjadas e Henry nunca cairia. Daí a luz no fim do túnel: o momento em que o rei fica sozinho, é quando está na comunhão. Daí elas envenenam a hóstia. Bingo!

Francis volta da caçada achando que convenceu o pai a esperar, e que ainda havia muito o que fazer em Franca, e descobre tudo, fica loka, dá o showzinho dele e convence as duas a abortar o plano. Só que... mesmo assim o rei quase morre. Como? Há! A essa altura, todos (ou quase todos) esquecemos do tio de Mary, o inconfiável. Ele tinha um acordo com Francis certo? Só que até o Delfim se tornar rei, vai demorar demais, e o duque não tem paciência pra esperar, então, vamos mudar o jogo e ganhar a confiança do atual rei. O duque encomenda um assassinato ao rei e o alerta de algum possível perigo. Daí depois do ataque o duque passa a ser o único em que o rei confia. Então, temos um rei louco e indetível. Como isso vai acabar? Ah um detalhe, no final do episódio ele está convencido de que ele mesmo está destinado a governar a Inglaterra. E como se filho disse, ainda há muito o que fazer em França. E esse muito quer dizer matar Francis e casar com Mary.

Nos outros plots do episódio, muitos personagens secundários divaram e tiveram seus momentos. Vamos começar por Lola e Julien. Ou Lola e Remy. Remy? Sim! Está aí uma reviravolta que eu nunca previ. Eu *acho* que lembro desse nome de episódios anteriores, mas não me lembrava de ter visto Remy por aí antes de casar com Lola. Alguém lembra?

Vamos analisar do início. Lola e Julien estavam felizes em sua nova casa, se acertaram, win-win. Só que o tio de Julien chega procurando pelo sobrinho e “Julien” o atende, só que na verdade o cara é Remy, contador de Julien. Então, como assim? A história toda é que o verdadeiro Julien morreu num incêndio e Remy que estava junto sobreviveu, e viu toda a grana do amigo lá, dando sopa, e ninguém na côrte francesa o conhecia mesmo, então, por que não aproveitar as oportunidades da vida? Remy pegou a grana e assumiu a identidade de Julien. Lola veio depois, quando Remy já estava ficando pobre e endividado (nossa, o cara conseguiu gastar uma fortuna, ok né), e resolveu dar o golpe do baú, aquilo que já sabemos.

Desesperado com a possibilidade de ser descoberto, Remy abre o jogo com Lola que não gosta nem um pouco da novidade, e ainda pede a amada para encobri-lo na mentira. Ela mesmo possessa, topa a jogada e ambos quase conseguem passar o tio de Julien para trás. Só que o cara observa detalhes e nota o anel de Julien na mão de Remy. Estranho.. Depois, já com a pulga atrás da orelha, chama um empregado e tira a prova dos 10. Acaba descobrindo a farça, e no meio da confusão Lola mata o tio de Julien. Não de propósito, mas mesmo assim mata, e não fica nem muito abalada, logo tramando uma história para acobertar o marido. Cara, nunca esperei isso dela, ownou agora. Achei tão 10 que dediquei a ela a frase do episódio. A idéia era por fogo na casa e queimar o corpo para não ser possível o reconhecimento, enquanto Remy fugiria sem ser seguido, e Lola voltaria para a côrte. E assim foi feito. Ponto para a dama de Mary.

A outra história do episódio envolveu Bash, Kenna e Nostradamus. Como havia dito na resenha anterior, teria um plot que envolveria “the Darkness” e Bash seria o protagonista da história, proporcionando a ele mais momentos no episódio. E assim aconteceu. Caminhando pela floresta, Bash encontrou um menino ferido e quase morto que possuía uma espécie de apito, um artigo dos pagãos. Bash leva o menino para o castelo e Nostradamus cuida dele e o tira de perigo, só que o garoto está muito assustado para contar o que aconteceu e não fala nada. Ao menos é isso que nós pensamos. Kenna entra na história e sempre doce e boa para o garoto, conquista a confiança dele e acaba descobrindo que ele foi vitima do “Darkness” e escapou, e diz o nome do local onde ele estava, Visegard, um nome que segundo Bash significa “de onde vêm as trevas”. Algo assim. Então nosso herói resolve partir para lá para acabar de uma vez por todas com essa ameaça. Acontece que ele se sente culpado pelas mortes que causou, e se sente “sujo” pelas trevas, e Nostradamus concorda que todos foram tocados por “Darkness” de alguma forma, e querendo vingança pelos acontecimentos envolvendo seu mais recente interesse amoroso, resolve ir com Bash para ajudá-lo.

Mas... O garoto não estava exatamente assustado com isso. Ele estava assustado com o homem que matou seu pai. Bash envia Kenna para longe, para ficar em segurança e promete que assim que resolver a situação irá a seu encontro. E Kenna resolve levar o menino com ela para cuidar dele. Nisso, temos o que pra mim foi a grande reviravolta do episódio: Num flashback, descobrimos que o homem mau, que ele teme, e que Bash jurou que iria pagar, é o próprio Bash, que num evento de alguns episódios atrás matou um homem na floresta, quando ele teve que ir embora da côrte. Acontece que esse homem era exatamente o pai do menino. E agora? E com isso, chegamos aos ganchos para a season finale, que promete! O rei quer matar Francis e casar com Mary para governar a Inglaterra. Bash foi para a “origem das trevas” com Nostradamus, e o jogo de intrigas, mentiras e manipulação continua a toda na côrte, com Cat sempre dando as cartas e Mary mostrando que também sabe jogar.

A audiência do episódio manteve em 0.5 com 1.40 milhões de viewers, mantendo significante parte de seu lead in. Falando nisso, hoje aconteceu algo inédito. Nos últimos 4 anos a CW tem usado o slot de quinta às 9 pm para lançar novas séries e aproveitar a alta audiência de TVD. Mas dessa vez, Reign irá continuar intocado. Ou seja, temos todas as possibilidades da série pelo menos não implodir, como aconteceu com BatB no slot da segunda feira. Com isso, acredito que uma terceira (e consequentemente quarta) temporada é completamente viável, mas isso é apenas especulação minha. De qualquer forma, ponto para nós.

Pontos altos do episódio:
  • Mary e Catherine tentaram matar o Rei (mais precisamente, Mary concordou em participar); 
  • Bash finalmente foi encontrar o “the Darkness”; 
  • Lola articulando mentiras para encobrir o assassinato do tio de Julien;

Por hora é só. Até a próxima!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário