quarta-feira, 26 de março de 2014

[Crítica] The Walking Dead - 4x15: Us


Alguém quer reivindicar esse episódio?

Review:
(Spoilers Abaixo)

O bom filho à casa torna! Depois da série ter ficado abandonada algumas semanas, decidi retornar ao comando as reviews semanais, pegando logo a reta final desse quarto ano. Acredito que boa parte dos leitores não devem ficar felizes com essa notícia, considerando que já deixei claro que essa não é minha série favorita e não tenho medo de expor os seus pontos negativos. Depois de muitas semanas apenas testemunhando os acontecimentos sem poder falar sobre eles para o mundo, eu certamente tenho muito o que dizer. Nem tudo é negativo, mas não podemos fechar os olhos e fingir que está uma maravilha.

Em primeiro lugar que é inacreditável a enrolação que os roteiristas submeteram os espectadores nessa segunda metade. Chega até a ser uma falta de respeito com os fãs! A Season Finale da temporada passada foi uma das mais decepcionantes justamente porque os roteiristas decidiram adiar o confronto final entre o Rick e o Governador. Sem um ponto final dessa história - e sem chances de levá-la por mais uma temporada inteira -, o enredo esticou essa trama até a metade desse quarto ano, dando aos fãs o que eles finalmente estavam esperando. Foi brutal e emocionante? Certamente, mas poderia ter acontecimento muito anos.

David Morrissey definitivamente bem um show de interpretação como o vilão da trama, consequência muito mais destaque do que deveria ter tido. Mérito dele! E o mais importante é que ele conseguiu colocar suas características no personagem, distanciando-o do que temos na HQ. O erro da série foi tentar aproveitá-lo o máximo possível, mesmo quando seu prazo de validade já havia vencido. Como os fãs adoram dizer, não podemos nos apegar a personagens, porque os roteiristas podem matá-lo de uma hora para outra. Então achei uma covardia infinita estenderem o seu papel.

Mas, bem, Governador caiu e ainda restavam alguns episódios para frente para queimar. É óbvio que os roteiristas não iriam introduzir uma nova trama nos quarenta e cinco do segundo tempo. Então, depois a queda da prisão, vimos os seletos e separados grupos de sobreviventes. Por mais que alguns desses episódios tenham desenvolvido bem os seus personagens, essa reta final não deixa de soar como uma enrolação no melhor estilo Pretty Little Liars. E, considerando que esse é o penúltimo episódio dessa temporada, fica claro que o décimo sexto, intitulado A, será encarregado de apresentar a trama da nova temporada nos seus minutos finais, já que não houve nenhuma construção em torno disso.

E muitos podem rebater sobre os avisos sobre Terminus, que têm aparecido desde que os sobreviventes estiveram na estrada, mas isso não é nada. Apesar de alguns deles chegarem lá até o último episódio, a grande parte do desenvolvimento será deixada para a quinta temporada. A grande questão, no entanto, é o que Terminus representa. Serão os caçadores ou canibais? Aposto na segunda opção. A carne que a mulher estava fritando no final do episódio dá essa dica, que pode ou não ser relevante. Aliás, a mulher se parece muito com a da pintura rabiscada na casa que a Michonne e o Carl estiveram. Até mesmo os girassóis tiveram destaque na cena, refletindo diretamente em um dos quadros pendurados no corredor. Pode não ser nada relevante, mas não deixa de ser uma curiosidade.

Um dos principais mistérios dessa reta final é o que aconteceu com a Beth. Muitos já a consideram morta, outros que está aos pedaços e, uma pequena parcela, que ela está sã e salva. É muito possível que ela apareça em uma participação rápida no próximo episódio - talvez o cliffhanger para a quinta temporada. O mais certo, porém, é que devemos esperar a morte de alguém. Essa é basicamente uma regra das Season Finales. Em fóruns pela internet, vi muitas teorias em torno da morte do Daryl. Apesar do roteiro sempre surpreender em suas escolhas, não acredito que ele partirá dessa para melhor ainda.

Aliás, destaque para essa introdução não linear da história. Aconteceu pouquíssimas vezes e poderia ter se tornado uma das grandes características dessa última leva de episódios. É diferente do que a série está acostumada a apresentar e poderia manipular o espectador. Enfim, a boa notícia é que os grupos começaram a se juntar. Estou curioso para saber como o Glenn vai se separar novamente da sua amada. E olha que agora ele nem uma foto dela tem mais para se manter forte.

Enfim, galera, essa semana é só isso mesmo. Não posso esquecer, porém, de destacar as cenas no túnel, que foram muito tensas. E o segredo sobre o vírus que o Eugene deve proteger provavelmente é uma mentira dele. Primeiro que o produtor da série já cansou de dizer que não revelaria como o apocalipse zumbi começou e, segundo, ele quer fazer de tudo, menos ir para o lugar que deve. Aí tem coisa, tenho certeza. Esperto da parte dele, devo dizer. Conseguiu encontrar um jeito de ser protegido, já que ele não é exatamente "material para mundo pós-apocalíptico".

PS. Carol é meu amor eterno. Episódio quatorze foi simplesmente o melhor dessa segunda metade da temporada, e provavelmente não será superado com o próximo. Just look at the flowers, guys.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Pelo que eu entendi, o encontro entre o Glenn e o Daryl encontram o Bob é um flashback, algo que teria acontecido entre o fim da terceira temporada e o começo da quarta. Reveja a cena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Eles se apresentaram. Consertei e obrigado!

      Excluir