sábado, 8 de março de 2014

[Crítica] A Vingança de Jennifer


Direção: Meir Zarchi
Ano: 1978
País: EUA
Duração: 101 minutos
Título original: I Spit on Your Grave / Day of the Woman

Crítica:

Essa mulher cortou, fatiou, destruiu e queimou quatro homens.
Mas nenhum júri da América ousaria condená-la.

Apesar de ter sido lançado no final da década de 70, mais especificamente em 1978, somente em 1981 que este filme recebeu atenção da audiência. Lançado oficialmente com o nome Day of the Woman, o filme só se destacou depois de ter seu título alterado para I Spit on Your Grave, que traz um impacto muito maior que o original. Curiosamente, também recebeu os títulos I Hate Your Guts and The Rape and Revenge of Jennifer Hill antes se tornar um sucesso cult. Apesar de todos os relançamentos e cortes na edição, o diretor declarou que o único título que lhe agrada é o original, Day of the Woman, insistindo para que ele aparecesse como um subtítulo na arte dos DVDs.

A história desse filme gira em torno de Jennifer Hills, uma jovem que decide passar um tempo em uma cabana isolada em uma cidade pequena para escrever o seu primeiro romance. Sua estadia relaxante se torna um pesadelo depois que quatro homens invadem sua casa com as piores das intenções. Violentada, humilhada e dada como morta, a jovem irá se vingar daqueles que lhe fizeram mal. Usando das mesmas armas que a colocaram naquela situação em primeiro lugar, Jennifer irá acabar com cada um desses homens usando da maior fraqueza deles.

O enredo desse filme e do seu remake é basicamente o mesmo. Apenas alguns elementos a mais foram introduzidos no filme de 2010, o que certamente complementou a trama. Não há exatamente muito desenvolvimento em A Vingança de Jennifer. Podemos dividir o filme em três atos: (1) Introdução - protagonista chega à cidade pequena; (2) Estupro - ocupa a maior parte do filme; (3) Vingança - que é basicamente o momento que todos estavam esperando. O grande problema mesmo é esse destaque ao segundo ato, que até hoje é considerada a cena mais longa de estupro em um filme da história - aproximadamente 25 minutos.

É brutal? Claro. A cena é muito mais perturbadora que a da refilmagem. Obviamente não quero pagar de moralista, mas acredito que a grande maioria não irá assistir ao filme para ver uma jovem sendo estuprada. A grande sacada do roteiro - e o momento que todos esperam - é a vingança da protagonista. E, no caso desse filme, essa distribuição fica desequilibrada. Um foco absurdo no ato de violência à vítima, e uma vingança rápida, que ocupa a menor parte do filme. Esperava bem mais do terceiro ato, especialmente da cena na banheira - sempre tão comentada pelos fãs do gênero.

Em um filme que já nasceu polêmico, é óbvio que haveria muito cortes, especialmente se considerarmos a época em que foi lançado. Apesar de todos os relançamentos sem cortes, especula-se que algumas cenas foram perdidas - cerca de dois minutos de filmagem. Nada foi alterado na vingança de Jennifer, apenas as cenas do seu estupro. Na época, o filme foi rejeitado por causa da natureza violenta. Somente depois que o diretor cortou todas as cenas com referência à sexo anal que A Vingança de Jennifer conseguiu ser lançado. E não é para menos! Mesmo atualmente, as cenas têm um enorme impacto visual.

Por último, a grande curiosidade é que o diretor do filme teve a inspiração para criar a história depois de ter socorrido uma jovem vítima de estupro - sem a parte da vingança, é claro. Enfim, certamente um filme que irá chocar todos os espectadores. Não é algo que eu veria novamente. Causa um desconforto, o que pode até ser considerado um ponto positivo. O grande problema é que o filme se limita a isso: Um grande desconforto. O remake compensa isso justamente por dar um grande destaque à vingança da protagonista, o que certamente tira o peso das cenas inicias e introduz alguma diversão.

Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. O título que deram e ele no final - I Spit in Your Grave - é com certeza um dos melhores títulos já criados, mas Day of the Woman combina mais com a história. Só não dá pra entender pq traduziram no Brasil como A Vingança de Jennifer.

    ResponderExcluir