segunda-feira, 24 de março de 2014

[Crítica] Tá Chovendo Hambúrguer 2


Direção: Cody Cameron & Kris Pearn
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 95 minutos
Título original: Cloudy with a Chance of Meatballs 2

Crítica:

Algo grande foi deixado de sobra.

Logo quando nós pensávamos que a refeição havia terminado, os produtores preparam outra rodada. Tá Chovendo Hambúrguer definitivamente está entre um dos filmes que eu não esperava uma sequência. Se você pensar bem, não havia muito espaço para uma nova história. Apesar disso, o livro em que o primeiro filme é baseado faz parte de uma trilogia. A história dessa sequência, no entanto, não segue a trama do segundo livro. A trama dessa segunda parte é original, não tendo relação com Pickles to Pittsburgh, lançado em 2000.

A história desse filme volta a seguir Flint Lockwood, Sam Sparkles e os seus amigos em uma nova aventura, exatamente após o término do primeiro. Flint, depois de ter ganhado atenção mundial, recebe a bolsa de estudos dos seus sonhos na mesma empresa que se comprometeu a limpar a ilha das sobras de comida deixadas após o desastre da tempestade. Tendo dificuldades para se destacar novamente e tornando-se piadas entre os seus colegas de trabalho, Flint recebe a missão de voltar onde tudo começou para desligar a máquina que ele mesmo criou. A empresa em que trabalha, porém, mantém seus reais objetivos escondidos, porque a verdade pode ser bem amarga...

Havia gostado bastante do primeiro, mas não estava levando muita fé nessa sequência. Também não havia acompanhado muito da divulgação, mas certamente marquei presença nos cinemas. Não estava esperando que fosse melhor que o original, mas torcia para que fosse divertido. A grande questão é que essa segunda parte é uma das poucas que não só surpreenderam, como também é uma das poucas que superam o primeiro filme. Muitos podem discordar, mas acredito que a mobilidade da história garantiu uma trama divertida de se acompanhar.

Os roteiristas poderiam jogar seguro e criar um roteiro parecido com o primeiro, mas decidiram fazer algo completamente contrário. Se no primeiro filme os nossos heróis correm da comida, nessa sequência, eles interagem com ela. Exatamente isso! A comida passou de parte do cenário para ser tornar personagens vivos e cheios de carisma - como o morango fofo. É um novo nível de fantasia e ficção científica que eu nunca havia imaginado em um primeiro momento. Os roteiristas criam um mundo completamente novo - uma espécie de Parque dos Dinossauros particular.

Aliás, os roteiristas aproveitam para fazer diversas homenagens a outros filmes do gênero da ficção. Destaco Avatar, já que suas tramas são absurdamente parecidas. Poderia até dizer que a história dessa sequência é quase que perigosamente chupada do filme do James Cameron. Mas isso não tem importância, porque esse novo mundo é maravilhoso em todos os seus detalhes. Os gráficos são belíssimos e as criaturas criadas a partir de combinações de comidas são maravilhosas. Muita criatividade, inclusive em torno das nomeações.

Enfim, essa é uma sequência ousada que, além de respeitar o primeiro filme, o expande a limites inimagináveis. Os alimentos, apesar de continuarem te dando água na boca, ganham características e personalidades únicas. E eu continuo a deixar a sugestão de que é melhor assistir de barriga cheia, se bem que é meio difícil desejar um hambúrguer aranha. A grande questão é se a refeição irá acabar por aqui. Provavelmente não, considerando que os produtores já revelaram que estão cheios de ideias para uma terceira parte. Só não se sabe se a nova história irá seguir uma nova trama original, ou será baseada no terceiro livro da saga literária, Cloudy with a Chance of Meatballs 3: Planet of the Pies, lançado em 2013. Espero que todos estejam satisfeitos!

Trailer Dublado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário