domingo, 9 de março de 2014

[Crítica] Reign - 1x09-12: For King And Country / Sacrifice / Inquisition / Royal Blood


"Meu coração está aberto".

Review:
(Spoilers Abaixo)

Apesar da grande demora, Reign está de volta ao nosso mundo. Eu realmente espero que possa encontrar alguém para assumir as reviews semanais dessa série, já que ela é uma das minhas estreias favoritas da Fall Season passada. E apesar dos atrasos, começo essa crítica com uma notícia positiva. Tenho certeza que todos já estão sabendo agora, mas é sempre bom comentar sobre. Reign foi oficialmente renovada para um segundo ano. Essa notícia é para glorificar de pé, minha gente. Essa série estava em uma disputa acirrada com The Tomorrow People, que atualmente corre grande risco de ser cancelada. Mas vocês já sabem onde a minha lealdade está.

Apesar dessa série ser direcionada para adolescentes, não deixa de ter um fundo histórico. Antes dela estrear, eu fiz uma pesquisa sobre a Mary Stuart. Se vocês não querem saber do que pode vir a acontecer na série, basta pular esse e o próximo parágrafo. Só falarei livremente sobre algumas liberdades criativas do enredo porque apesar de soarem como spoiler, são, sobretudo, contexto histórico. Vocês foram avisados, então continuarei. A primeira coisa que todos devem saber é que o Bash nunca existiu na vida real. Desde o começo foi óbvio que ele foi inserido na trama para criar um triângulo amoroso com a personagem principal, Mary. Essa jogada é marca registrada das séries da CW, e no início me incomodou um pouco.

Comecei a série basicamente ignorando o bastardo, já que ele não teria qualquer chance de terminar com a Mary. Pessoas que investem nesse shippe devem saber que ele está destinado a afundar. Além do fato dele nunca ter existido, ainda temos o real casamento entre a Mary e o Francis - que vem a morrer não muito depois, assim como Nostradamus previra. Então no começo eu achei extremamente forçado esse personagem, principalmente porque Mary e Francis funcionava muito bem. Por isso eu tenho que aplaudir os roteiristas dessa série, que conseguiram sambar na minha cara, guiando a história de uma forma impressionante. Tudo isso sem perder o sentido e a credibilidade.

Tudo aconteceu muito rápido? Sim. Foi realmente inesperado ver toda a linha de poder francesa entrar em cheque com apenas um episódio. Mary é uma das protagonistas mais interessantes que eu já tive o prazer de acompanhar. Geralmente os personagens principais são os que mais enchem o nosso saco, o que não é o saco por aqui. Gostei de como o roteiro deu uma chance sincera para desenvolver o Bash. Ele era um bastardo, o que já indicava que ele nunca poderia ficar com a garota que gostava. Mas trazê-lo ao poder lhe dá uma oportunidade real de fazer o shippe Mash acontecer.

E o pior é que mesmo sabendo que eles estão destinados a afundar, eu não consegui evitar de me afeiçoar a este casal. Chegou a um ponto que eu não sei mais o que eu quero da vida. Completamente desnorteado. Minha vontade muita da água para o vinho com uma facilidade incrível. E manter o Francis longe durante todos esses episódios certamente contribuiu para isso. Muita ousadia do enredo em excluir um dos personagens principais da trama e ainda assim conseguir manter a história movimentada. Mas também não é para menos. Temos diversos personagens com uma forte personalidade, como a Rainha, que mesmo mesmo perto da morte, luta com todas as suas forças.

Essa rixa entre a Mary e a Rainha certamente traz os melhores conflitos para a história. Elas são inimigas, que conforme a situação juntam suas forças para acabar com uma ameaça em comum. Nesse último episódio, Royal Blood, vimos a luta das duas para salvar as crianças das mãos da Clarissa - que já havia sapateado na cara de todos depois de ser revelada a filha bastarda da Rainha. Fiquei surpreso que os roteiristas deram um final definitivo na personagem tão cedo. E no final, pensei que ela mataria os dois caras que a estavam enterrando. Até mesmo quando a câmera ficou bem perto do seu rosto, jurava que ela daria umas piscadas, mas parece que ela realmente morreu.

E o que dizer da relação entre a Lola e o Francis? Desde que o seu grande amor morreu, a Lola tem ficado no limbo. Aliás, nenhuma das amigas da Mary tem recebido destaque nos últimos tempos. Não vimos mais sobre o relacionamento da loirinha com o garoto da cozinha, e a ex-amante do rei foi obrigada a engolir o seu recalque e sumir de cena. Lola pelo menos parece a mais forte entre elas, principalmente pelas cenas que dividiu com a Rainha. E agora ela dormiu com o Francis, o que certamente será importante mais tarde, considerando que a trama já terá uma importante reviravolta no próximo episódio. Spoilers eveywhere!

Enfim, por último, quero deixar o alerta especial para você que quer assumir as reviews semanais dessa série. Basta mandar uma crítica de um episódio de Reign para o meu e-mail (nefferson_2@hotmail.com) para avaliação. Lembrando que espera-se um texto de caráter crítico. Boa sorte!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário