quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

[Crítica] Pretty Little Liars - 4x15/16: Love ShAck, Baby / Close Encounters


Ninguém consegue cuidar da própria vida.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Eu sei que estou vários episódios atrasados, mas, sinceramente, eu cheguei ao meu limite com Pretty Little Liars. Todos nós sabemos que a série enrola e não é nem perto uma das melhores atualmente. De fato, ela está lá no fundo da minha lista, na lanterninha. Recentemente, eu desapeguei de todas as séries "meia-boca" da minha watchlist, e desde já quero aposentar esta. Acompanhá-la semanalmente não está dando certo para mim. Essa maldição de não conseguir mais largá-la depois de ter sido enrolado por vários anos aparentemente foi quebrada.

Obviamente eu não tive forças para assistir os quatro episódios atrasados em sequência, então depois que assistir apenas dois, eu vim até aqui para desabafar um pouco. Minha intenção era fazer uma review para os quatro episódios. Como ainda não vi os dois seguintes, não faço ideia se a trama deu uma melhorada, mas eu chutarei que não. A série vem apresentando uma sequência ininterrupta de episódios ruins - desde o especial de Halloween, devo acrescentar. Está sendo exaustivo ter que assistir aos episódios e ainda ter que comentar sobre eles. Especialmente porque esse ano tive que assumir diversas séries novas de autores que saíram do MMA.

Bem, farei algo diferente nessa review. Ao invés de comentar sobre os episódios, dedicarei cada parágrafo para falar sobre uma liar diferente. Vamos começar pela Hanna, que nunca esteve tão safada. Em uma semana nós descobrimos que ela já deu uns pegas no Mike, irmão da Aria. Na outra, ela dá uma pegas em um novo personagem - que participou rapidamente no começo dessa temporada. Gostei de saber sobre o passado com o Mike, especialmente o flashback onde a Hanna é humilhada pela vadia mor da série, Alison. Em contrapartida, é impressionante como o roteiro é forçado. Foi só o Caleb sair de cena e os roteiristas já trouxeram um personagem para preencher o vazio da vida amorosa da Hanna. Fala sério! Será que essas garotas nunca ouviram falar em independência? Apesar dos pesares, eu gosto do novo personagem.

Já a Emily, fez a linha "nunca superei a Alison" e desenterrou sua paixão platônica que ela nutre pela safada nº 1 da série desde o primeiro episódio. Esperava que depois de quatro anos, os roteiristas tivessem algo melhor para a personagem. Mas tudo bem, eles sequer conseguem manter uma trama racial, quanto mais algo original para um dos seus personagens. O que eu não consigo entender é o fato da Alison estar tentando separar as suas velhas "amigas". A garota está sendo procurada por um assassino, mas, de alguma forma, ainda tem tempo para fazer revelações idiotas e manipular as únicas pessoas que ainda pensam nela. Prioridades - cada um tem a sua -, não é mesmo?

Spencer esteve especialmente chata nessas duas semanas. Ela tentou colocar todo mundo na linha, menos ela mesma. Primeiro que a sua subtrama com o Toby certamente nunca chegou a ser interessante para ninguém. Há bastante tempo eles dois estão investigando sobre a morte da mãe dele, mas eu esperava que isso se tornasse relevante para a trama central, eventualmente. Em Close Encounters parece que essa trama fechou por hora. Espero que, assim como vários personagens, esse plot seja esquecido e nunca mais retorne. Para completar, Spencer ainda atrapalha a vibe da Emily com o seu grande amor. Eu não me importei. Vocês não se importaram. Fim da história.

Por último eu deixei a Aria, afinal, o irmão dela foi molestado por uma de suas amigas. Mentira! Eu até gostaria de ver a continuação desse affair no presente. Não podemos esquecer que o menino Mike está grande e forte. Enfim. Voltando para a Aria, ela definitivamente caiu nas garras do Ezra. Esperava que alguma coisa acontecesse nesse núcleo, mas parece que eles voltaram para a primeira temporada. Vale destacar que até o Jake percebeu que o Ezra não é flor que se cheire, mas todos os outros parecem incapazes de deduzir o mesmo. Aliás, desde que o roteiro revelou que o Ezra é o verdadeiro vilão, ele vem cometendo diversos atos falhos. Por que ir até a casa da Hanna falar com a mãe dela se ele poderia entrar escondido? A desculpa dele poderia facilmente cair por terra se as meninas começarem a falar entre si.

Eu sei que a review ficou com um tom super negativo, mas acontece que está muito calor e eu não estou feliz. E, mesmo que vocês me recebam com pedras, devem admitir que eu tenho razão. A série tem estado mais preguiçosa do que nunca, e isso é extremamente irritante. Eles sequer estão tentando construir algo interessante para vermos? Não parece. E continuando o meu apelo, peço a ajuda de vocês para manter a série na grade no blog. Se alguém quiser assumir as críticas semanais da série, basta mandar uma review para o meu e-mail (nefferson_2@hotmail.com). Que vença o melhor mentiroso!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
2 Comentários

Comentário(s)

2 comentários:

  1. Olha, não concordo muito com sua crítica não, os episódios deram uma caída, mas esses últimos 4 estão bem melhores, com as meninas investigando e tudo mais. Sugiro q veja os outros 2... E realmente o calor está péssimo.

    ResponderExcluir
  2. Realmente eu concordo com você: PLL já foi melhor, apesar do episódio 17 ter superado minhas expectativas. Até a segunda temporada, todos os episódios prendiam a minha atenção
    A partir da terceira é que começaram a enrolação, na minha opinião

    ResponderExcluir