segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

[Crítica] Colheita Maldita: Gênese


Direção: Joel Soisson
Ano: 2011
País: EUA
Duração: 82 minutos
Título original: Children of the Corn: Genesis

Crítica:

Um novo tipo de mal será libertado.

Depois de várias sequências ruins e um remake direto para a TV, parecia inevitável a franquia receber outra franquia, até porque, uma refilmagem indica indiretamente que uma nova saga está para nascer. Em outras palavras, a franquia antiga finalmente poderia descansar em paz. Não neste caso! Mas será que é mesmo uma boa ideia ressuscitar uma franquia que chegou até o fim do poço? Eu não estava nem um pouco confiante com esta sequência, Gênese. Na minha opinião, seria apenas mais uma droga de filme como os anteriores. Será que eu estava certo?

A história gira em torno de um jovem casal que, depois de enfrentar problemas com o carro, decide buscar ajuda na casa mais próxima. Eles se deparam com um pastor esquisito, que tem uma esposa safadinha que faz de tudo para sair daquele lugar. Logo, eles percebem que tem alguma coisa errada e descobrem que tem uma criança presa num galpão. Suas vidas viram de cabeça para baixo quando coisas sobrenaturais passam a acontecer e que os habitantes daquela casa têm um objetivo maior para a criança que a jovem carrega no ventre.

Respondendo a minha pergunta no primeiro parágrafo, eu estava e não estava certo, ao mesmo tempo. Pode parecer confuso, mas eu esperava que o filme fosse muito pior, mas isso não quer dizer que ele seja bom. Muito pelo contrário, ele é completamente mediano/ruim, mas até que começa bem e se esforça o máximo possível para nos agradar. Eu sei que de boas intenções do inferno está cheio, mas até que apreciei o resultado final. Pelo menos é infinitamente melhor do que o pavoroso Hellraiser: Revelations. Muitos não sabem, mas a Dimension iria perder os direitos das franquias Colheita Maldita e Hellraiser caso não lançassem uma nova sequência. É por isso que eles fizeram tudo às pressas, sem se importar com a qualidade do material.

Esse filme começa nos anos 70 e temos uma ótima sequência, um tanto tensa, mostrando um personagem testemunhando o resultado de um massacre. Em seguida, somos levados para 2011, atualmente, e passamos a acompanhar o jovem casal. Até aí tudo bem, mas o filme começa a enrolar e o espectador só fica assistindo na esperança de que alguma coisa interessante ocorra. Os sinais de sobrenaturalidade começam a aparecer, mas nunca chegam ao seu clímax. Eu pensei que o final seria um verdadeiro estouro, com bastante ação e terror, mas acabei quebrando a cara com um último ato sem graça. Acontece que este filme está mais para um episódio de Além da Imaginação do que para uma sequência da franquia Colheita Maldita em si. Não me surpreenderia se os produtores tiverem adaptado um enredo aleatório e transformado-o em uma sequência.

Uma das coisas mais legais nessa história é que são sabemos em quem os protagonistas devem confiar. Temos três estranhos, o velho, sua esposa e a criança. Durante todo o tempo, eles ficam fazendo joguinhos mentais, culpando um ao outro. Seria legal se o roteiro não seguisse pelo caminho mais óbvio. Aliás, o vilão tem poderes telecinéticos, ele pode fazer as coisas voarem, inclusive certos policiais, em uma das poucas cenas divertidas do longa. E esperem a cena final, depois dos créditos, não salva essa produção, mas pelo menos disfarça o gosto amargo do desfecho.

Mais uma vez, eu deixo nas mãos de vocês. Poderia ser muito pior, mas também não é bom. Quem sabe na próxima sequência ou remake, não é verdade? Já disse e serei obrigado a repetir, essa franquia necessita desesperadamente de um reboot. É difícil desenvolver uma história decente quando toda a mitologia da série já foi estraçalhada. Por último, devo alertar que essa sequência ainda não foi lançada oficialmente no Brasil, mas é exibida pela TV por assinatura, com o título Colheita Maldita: Gênese.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário