domingo, 9 de fevereiro de 2014

[Crítica] Colheita Maldita 5 - Campos do Terror


Direção: Ethan Wiley
Ano: 1998
País: EUA
Duração: 83 minutos
Título original: Children of the Corn V: Fields of Terror

Crítica:

Em uma cidade deserta, o terror continua.

Depois da péssima quarta parte, quem conseguiria ficar animado com o que viria a seguir? Para piorar a situação, devido ao fracasso financeiro da última sequência, esse é o primeiro filme da franquia lançado direito em DVD (e nunca mais conseguiu voltar para as telonas). Porém, apesar de todo o meu negativismo e meu preconceito, confesso que me diverti bastante assistindo a essa nova sequência. Os produtores finalmente perceberam o que os espectadores estavam querendo e acabaram nos entregando, ou seja, preparem-se para o banho de sangue.

A história gira em torno de um grupo de jovens que vai parar no meio do nada (ui!). Quando dois deles são brutalmente assassinados, o resto do grupo fica dividido entre ir embora ou procurá-los. Isolados, eles começam a ser cercados por crianças de uma estranha fazenda vizinha. Uma das adolescentes descobre que seu irmão passou a morar no mesmo lugar e que faz parte de um culto sombrio. Logo, eles terão que se unir para acabar com uma ameaça maior, antes que todos sirvam de sacrifício para uma entidade diabólica da colheita.

Sim, meus queridos, Aquele-que-anda-por-trás-das-fileiras está de volta! E em ótima forma, devo dizer. Acho que era exatamente um filme como este que a franquia estava precisando. Geralmente temos poucos personagens para morrer, sempre velhos com filhos. Estava mais do que na hora dos adolescentes promíscuos mostrarem suas caras. Talvez o Jason estivesse tanto na ativa que não estava deixando ninguém sair de Crystal Lake para fumar um baseado no milharal. Bem, parece que ele deu uma folga.

Temos alguns momentos bem interessantes neste filme e, como estamos falando de jovens, pode crer que o sexo e a safadeza estão presentes. Tem uma personagem tão galinha, que ela transa com o namorado e ainda consegue ter um breve caso com um adolescente da seita do milharal. Não podemos dizer que esse já foi um plot já explorado pelos roteiristas. Queria que esta trama continuasse para ver no que daria, mas acabou que o destino final da personagem foi o mais sem graça possível. Seria muito mais proveitoso se o roteiro se aprofundasse nessa relação - terminando de forma trágica e sangrenta. Seria bem mais proveitoso!

Infelizmente, como na maioria das vezes, a protagonista é sem graça. O bom é que não há muito tempo para os personagens explorarem os seus dramas. Eles são logo cortados - em pedaços - da história. Digamos que a protagonista definitivamente atrai a morte. Eu não ficaria perto dela! A violência gratuita é outra coisa que merece destaque, já que tivemos algumas mortes realmente bizarras, como quando uma criatura (que mais parece o filho perdido de Alien) sai de dentro da cabeça de um personagem (oi?).

É claro que eu recomendo! Violência, promiscuidade e jovens que merecem morrer... Não poderia ficar melhor. Esse é um filme divertido, mas que nada acrescenta para a mitologia da franquia. Só vale mesmo por causa do banho de sangue, o que é sempre bom para passar o tempo. Bem, parece que a nossa jornada pelo milharal está acabando. Restam apenas mais alguns filmes para o sacrifício final. Dizem que o caminho até a reta final será doloroso, mas eu seguirei em frente com muita coragem. Espero que vocês continuem nessa jornada épica pelo milharal comigo, mas cuidado com as crianças, elas têm um péssimo hábito de matar.

PS: Primeiro filme da Eva Mendes. Essa franquia está cheia de estrelas em começo de carreira.


Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário