sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

[Crítica] The Originals - 1x11/12: Après Moi, Le Déluge / Dance Back From The Grave


A ascensão das bruxas.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Quem disse que o jogo pelo domínio da cidade só era de vampiros? Depois de dominarem as rédeas na primeira metade da temporada, o jogo sofreu uma reviravolta. Algumas críticas atrás eu perguntei o que seria das bruxas, já que eles estava completamente excluídas da trama. Parece que agora a verdadeira questão é até quando o reinado delas irá durar. E eu acredito que durará por muito tempo. Não me canso de afirmar que a qualidade dessa série é incrível, e o jogo pelo poder pode mudar de uma semana para outra. Quem ficará por cima no próximo episódio?

Desde que a origem do poder da Davina foi revelado, eu sabia que alguma hora ela iria morrer. O fator determinante para as bruxas se tornarem poderosas de novo seria o ritual da colheita concluído. Dito isso, nada como colocar um prazo bem curto para agitar ainda mais as coisas. Esse décimo primeiro episódio teve um clima todo especial, abrindo portas para situações ainda não aprofundadas na série. Além do mais, o lance dos elementos foi muito bem pensado. A chuva torrencial, que basicamente nunca acontece normalmente, foi bem aproveitada para criar uma tensão. E, no final, água e fogo se misturando em uma fotografia incrível.

O que eu mais gostei desse episódio, porém, foi o fato da Davina não retornar dos mortos. Não me entendam mal, eu realmente gosto da personagem. Acredito que ela ainda aparecerá em breve - ainda que não consiga mais imaginar sua função na trama , mas todos têm que confessar que sua morte teve um peso todo significativo no episódio e nos próprios personagens. Houve um clima pesado e triste, principalmente por parte do Marcel. O momento foi tão bem interpretado que eu não queria que a menina ressuscitasse milagrosamente, quebrando aquele momento máximo de dor e pesar da história. Mas, claro, ainda estou contando com seu retorno.

A grande questão é que o poder tirado de Davina acabou indo para outros bruxos poderosos, que irão agitar a cidade. No décimo segundo episódio, Dance Back From The Grave, teve um grande impacto nos nossos protagonistas. Eles finalmente entenderam que estão lidando com um inimigo desconhecido e poderoso. Mal eles sabem que a mente maligna por trás dessa reviravolta é a própria Celeste, ex-namorada do Elijah. Não tinha imaginado que aquela bruxa era a ex dele, ainda que tenha sentido o clima entre eles. Escolhi ignorar os sinais, porque pensei que o Elijah seguiria outro caminho depois de sua briga com a Hayley.

Espero que as bruxas permaneçam muito tempo no controle. Agora que American Horror Story: Coven acabou - e deixou um gosto amargo na boca -, quero ver mais uma rodada de bruxaria. E a produção do episódio foi muito boa. Com direito a cobra sendo jogada na fogueira e trilha sonora inspirada para os rituais. O bruxo da vez brilhou em sua própria maldade. Também foi muito legal saber um pouco mais do seu passado e como o seu encontro com o Klaus terminou. Devo dizer que os flashbacks dessa série são excelentes. Sempre conseguem desenvolver os seus personagens, tornando-se uma parte importante do enredo.

Para mim, a série está em sua melhor fase. Tenho certeza que os produtores conseguirão desenvolver muito bem a história daqui para frente. Em questões de audiência, The Originals nunca esteve tão bem. Já pode ser considerada um dos principais hits do canal CW, permanecendo acima de um ponto na demo. E já que estamos todos muito tranquilos, vamos esperar para ver o que acontecerá daqui para frente. Só quero que a Rebekah esqueça esse lance de vingança. É basicamente é a única que está destoando do resto do elenco. Para que fazer aliados se você sempre irá acabar sozinha?
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário