quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

[Crítica] Looking - 1x01: Looking for Now (Series Premiere)


Só uma olhadinha...

Review:
(Spoilers Abaixo)

Primeiro mês do ano chegando ao fim e junto com a ele a promessa do novo xodó entre o público gay. Desde que li sobre Looking e vi o trailer fiquei curioso para assisti-la, e, não vi melhor maneira de fazer meu retorno ao Meu Mundo Alternativo senão através dela. Sabem como é, o bom filho à casa torna. Sem mais delongas, vamos às primeiras impressões da série.

A premissa da série não tem nada de extraordinário e revolucionário. É a história de três amigos gays vivendo em São Francisco, e, de bônus, seus dramas amorosos e da vida diária. Antes de assistir ao piloto da série li muitos comentários negativos sobre ele, como que não tinha nem o básico para cativar o público e as diversas comparações com Girls. Nessa briga eu não entro, até por que nunca assisti Girls e estaria longe de fazer uma comparação coerente entre as duas. Muito menos me atrevo a compará-la com Queer as Folk, pois seria uma heresia, já que QaF foi a pioneira das séries gays. Limito-me a dizer que Looking tem seu próprio universo e enredo, e se souber se desenvolver dentro dele, terá grandes chances de sucesso.

É quase impossível não se identificar em algum momento com a história e personalidade dos personagens. Pode soar clichê para alguns, mas não é disso que a vida é feita? O universo gay é quase que homogêneo em todo o mundo, então tudo o que foi mostrado no piloto é quase que cena do cotidiano para alguns. (Rapidinha no parque, quem nunca?)

Patrick, o personagem principal, e interpretado pelo lindo do Jonathan Groff, é o típico cara que ainda não superou totalmente o fim da relação e procura seu grande amor através de sites de relacionamento (Scruff, Grindr e Hornet mandaram beijos). É um personagem muito fofo e um completo desastre com encontros. Já deu pra ter uma ideia de como a história dele vai se desenvolver depois que ele esbarrou com um cara no metrô. Patrick tem muito a evoluir e a aprender, e eu espero que a série aborde muito isso.

Outra história bem estereotipada é a de Augustín, amigo de Patrick prestes a morar com o namorado, mas que não dispensa uma brincadeira a três. O problema é que o namorado dele não está tão confortável assim com um relacionamento em que eles virem "aquele tipo de casal", se é que vocês me entendem. É algo bem comum pra ser sincero, e aí surge a pergunta: até onde você cede pra agradar a pessoa que ama? Particularmente eu não aprovo isso numa relação, mas há quem gosta e aprove, estou curioso para ver como a série abordará isso.


Por fim, temos o Don, o mais velho dos três amigos e o que eu mais gostei. Don chegou na crise da meia idade e se vê trabalhando como garçom enquanto sua grande paixão virou um agente imobiliário bem sucedido. Além disso, o personagem finalmente começa a perceber que não dá pra ficar transando e quebrando o coração dos novinhos pela eternidade. Se bem que eu aceitaria que ele quebrasse meu coração umas duas ou três vezes, contanto que tirasse o bigode. Me julguem.

Enfim, como eu já tinha dito no início, Looking não tem nada de revolucionário, mas é uma ótima série para juntar cazamiga e assistir. Para a primeira temporada temos oito episódios encomendados. Fiquem atentos às cenas do próximo episódio, e às minhas reviews também. Beijão e até a próxima.
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Que bom que está de volta Luiz, ainda mais fazendo a review de Looking. Assisti a série, e desde então estou acompanhando as opiniões e praticamente são as mesmas que você descrever no texto. Eu gostei muito do piloto e aposto no sucesso.

    ResponderExcluir