domingo, 26 de janeiro de 2014

[Crítica] Colheita Maldita


Direção: Fritz Kiersch
Ano: 1984
País: EUA
Duração: 92 minutos
Título original: Children of the Corn

Crítica:

E uma criança liderará a todos.

Está na hora de mais um daqueles especiais que nós tanto amamos. Agora fazer maratonas de grandes franquias de terror. Dessa vez, decidi trazer ao nosso mundo a franquia Colheita Maldita. Para aqueles que estão meio perdidos na linha temporal, a franquia que vem direto do milharal tem nove filmes ao total, incluindo a última sequência lançada alguns anos atrás, Colheita Maldita: Gênesis, e uma nova adaptação da história clássica - o remake feito direto para TV em 2009. É muito interessante ver que uma franquia antiga continua ativa mesmo depois de já ter recebido um remake. Será que teremos novos capítulos pela frente?

A história desta primeira parte segue Jovem casal, Burt e Vicky, que tem sua viagem interrompida depois de atropelar uma criança no meio da estrada. Ao perceberem que a vítima já estava morta antes do acidente, o casal parte para Gatlin, a cidade mais próxima, para avisar as autoridades. O local, contudo, parece abandonado e logo, eles são aprisionados por um grupo de crianças comandadas por um menino sinistro chamado Isaac Chroner. O garoto misteriosamente controla todas as crianças da região. Isaac conseguiu convencê-las a assassinarem todos os adultos para um ritual maldito. Na verdade, os sacrifícios são necessários, porque o sangue é utilizado para adubar uma colheita sagrada. E agora só resta ao casal lutar para fugir do mesmo destino.

Eis mais um clássico dos clássicos! Baseado em um conto de Stephen King, o filme acabou sendo um tanto diferente da história original. Sei que atualmente, qualquer mudança em uma adaptação é recebida com dezenas de pedras e palavras feias nas redes sociais. No entanto, essa adaptação parece ter sido bem recebida pelos críticos e pelo grande público. Foi um sucesso, tanto que rendeu muitos outros filmes.  As mudanças foram inteligentes, ao meu ver, até porque, o remake feito para TV desenvolve o conto de uma forma muito mais literal, não conseguindo alcançar a mesma qualidade que este filme de 84.

Fiquei decepcionado com a batalha final. Em seu desenvolvimento, o filme apresenta uma grande tensão psicológica. Não temos muitos personagens em cena para servir de vítimas, então acompanhamos o casal de protagonistas nessa luta desesperada pela sobrevivência. Porém, quando eles finalmente são introduzidos ao grande vilão do enredo, aquele-que-anda-por-trás-das-fileiras, há uma queda de qualidade. Esperava por possessão demoníaca e ataques mais sutis. O diretor recorre aos efeitos visuais, mas falha miseravelmente. Esse é um filme antigo e os poucos efeitos de computação gráfica introduzidos na história são péssimos. Não tem como manter a tensão quando há um circo acontecendo do outro lado da tela. Seria muito mais assustador se o diretor tivesse recorrido a uma neblina, mantendo o clima tensão do terceiro ato.

Mas de qualquer forma, a história em si é aterradora. A ideia de crianças assassinas já foi exaustivamente trabalhada nos cinemas, mas essa tem um apelo, digamos, demoníacos. É um grupo de crianças matando seus próprios pais para agradar um demônio que se alimenta de sangue. O conceito dessa história certamente fará qualquer espectador ter calafrios. Essa franquia é muito marcante. Não consigo mais olhar para um milharal sem pensar nesses filmes. Certamente eu não sou o único. E eu sei que os vilões do filme são crianças, mas eu esperava um confronto físico mais chocante no desfecho do filme.

Eu aceito o fato de que os sobreviventes não começaram a esquartejar as crianças, até porque, a maldade delas causa todo o estrago na história. Seja no começo, onde vemos rapidamente o início da rebelião, ou no decorrer do filme, onde as crianças se mostram mais frias do que gelo. Apesar dos elogias e certamente ter o mérito de ter iniciado o terror, esse não é o meu filme favorito da franquia. Mesmo assim, é um dos melhores e é indispensável. OBS: Fico até hoje me perguntando porque os produtores não lançaram uma prequel, mostrando o inicio desse culto infantil e o massacre dos adultos. Definitivamente seria divertido de acompanhar!



Trailer:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Tá ai um franquia que eu ainda preciso começar a assistir. Ótima crítica!

    ResponderExcluir