sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

[Crítica] Carrie, A Estranha [2013]


Direção: Kimberly Peirce
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 100 minutos
Título original: Carrie

Crítica:

Conheça o seu nome. Tema o seu poder.

Ao contrário do que a tagline afirma, nós já conhecemos Carrie muito bem. Essa já é a terceira adaptação da aclamada história de Stephen King, então acreditem quando eu digo que Carrie White dispensa apresentações. Estava bastante ansioso para assistir a esta nova versão. Diferente das pessoas que odeiam remakes, eu fico ansioso para ver as mudanças significativas do roteiro e as diferenças com as versões anteriores - caso eu as tenha assistido. Para minha decepção, é justamente a readaptação da história para os dias atuais que carrega o primeiro ponto negativo.

A história, como todos conhecemos, gira em torno de Carrie White, uma jovem tímida que sofre opressão religiosa de sua mãe. Sua vida torna-se agitada depois de um incidente na escola, onde Carrie menstruou pela primeira vez, na frente de todos. A garota passa a ser atormentada por outras jovens, o que causa uma grande repercussão na escola. Como resultado, um das garotas é expulsa do baile, marcando Carrie por ser a culpada. No final, todos os conflitos levarão a apenas um lugar: O Baile. Todos pagarão pelos seus pecados, e definitivamente conhecerão o seu nome.

Esperava muito mais dessa nova versão de Carrie. A história continua basicamente a mesma, sem qualquer atualização. Atualmente, o fluxo de informações é impressionante. Alunos têm aula de educação sexual nas escolas. Sem contar que estamos na era digital. Então é difícil de engolir que uma menina não saiba o que é menstruação e tenha um ataque de pânico por isso no vestiário. Isso era plausível décadas atrás, mas nos dias atuais é impossível não se informar. No começo, pensei que o seu incidente aconteceria na piscina, o que seria inevitável e faria muito sentido para nossa época. Infelizmente, os roteiristas não pensaram nisso, apesar de insistir em colocar celulares de alta tecnologia nas mãos de seus personagens.

Outro ponto negativo fica por conta da própria protagonista. Chloë Grace Moretz é uma ótima atriz, mas ela é bonita demais para o papel de Carrie. De fato, ela é bem mais bonita do que todas as líderes de torcida desse filme juntas. Moretz não convence no papel de pobre coitada e humilhada. Seu melhor momento - e o que a justifica no papel da protagonista - acontece no terceiro ato, onde ela tira sua máscara de sofredora e mostra uma expressão sádica. Em sua vingança final, Chloë Grace Moretz como Carrie é um fenômeno da natureza. Todo o ódio e o desejo de matar em suas expressões aliviam sua interpretação inicial.

Apesar de muitos falarem mal de efeitos visuais, estava ansioso por este remake justamente porque finalmente veríamos Carrie atacando em toda a capacidade de um CGI de qualidade. Os efeitos visuais estão excelentes, e certamente são um dos pontos altos do terceiro ato. Apesar disso, esperava muito mais do massacre no baile. As mortes foram batidas por causa da classificação etária. Com efeitos eficientes, esperava ver muitas mortes gráficas, mas o resultado foi decepcionante. Por outro lado, há algumas cenas interessantes que tiveram maior impacto por causa dos efeitos visuais, como os olhos dilatados na Carrie quando ela usava seus poderes, e o confronto final com Chris Hargensen, que foi melhor do que esperava.

Não posso deixar de falar do excelente desempenho de Julianne Moore como Margaret White. Ela é uma excelente atriz e entregou uma interpretação intensa da personagem, deixando todo o resto do elenco para trás. Infelizmente, ela não consegue salvar todo o filme. Esse foi sim uma refilmagem desnecessária! Já é a terceira vez que acompanhamos a mesma história, e o roteiro/direção nem tenta "provocar" o espectador que já sabe exatamente o que esperar. Não há nenhuma surpresa por aqui. Até mesmo o desfecho, que é diferente do original, segue o mesmo caminho. Sem contar que não tem o mesmo impacto que o filme de 1976. Poderia ter sido muito melhor!


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
9 Comentários

Comentário(s)

9 comentários:

  1. Também esperava mais do filme. Acompanhei todos os spoilers, promos e vídeos que antecipavam a refilmagem, ansioso, mas é basicamente a mesma coisa de sempre.

    E também concordo que a Chloë Grace M. é bastante bonita para o papel. Achei até ela mais bonita que a antagonista Chris Hangersen.

    Mas, apesar de tudo, eu gostei bastante das mortes do baile. Achei bem legal como eles expuseram por vários ângulos a cena clássica do balde com sangue, e em como a Carrie matou todos. A morte da Chris pra mim foi a melhor. Simplesmente fantástica, fiquei com a sensação de que ela teve tudo o que mereceu. Enfim, daria uma nota 8 para o filme. Não me surpreendi muito.

    ResponderExcluir
  2. concordo com a critica o filme passa longe de ser ruim mais minha expectativa era muito maior tambem e sobre a atriz que interpreta carrie ela é realmente gata demais pra ser tão excluida socialmente de tudo, sua beleza diferente do seu apelido não é nada estranha.





















































































































































































































































































































































































































































    ResponderExcluir
  3. e mais uma vez, Carrie (2002) é esquecida pela midia, isso é injusto

    ResponderExcluir
  4. Ótimo filme. Julianne Moore e Chloe Grace Moretz está magnificas em seus personagens, a equipe está de parabéns, destaque para direção de arte e fotografia, e os efeitos especias estão magnificos, o filme só não foi magnifico, uma obra de arte, por culpa de Kimberly Peirce que se limitou muito (ela excluiu muitas cenas interessantes) nota 8,2/10 para o filme.

    ResponderExcluir
  5. Filme muiiiiiiiito bom.

    ResponderExcluir
  6. NADA A VER A CHLOE SER BONITA DEMAIS. PODE SER A GAROTA MAIS LINDA DO MUNDO MAIS SE TIVER O TRATAMENTO QUE MÃE DELA DAVA A ELA VAI SER ESTRANHA, E PESSOAL E CARRIE A ESTRANHA E NÃO CARRIE A FEIA. E SE FORMO OLHAR POR ESSE LADO NEM SISSY ERA A ESTRANHA DESCRITA NO LIVRO. POR FIM EU ADOREI A VERSÃO DE 2013.
    JULIANNE <3
    CHLOE <3
    PORTIA <3

    ResponderExcluir
  7. Adoreiiii Carrie de 2013. Chloe estava perfeita como carrie.

    ResponderExcluir
  8. Acabei de ler o livro, ai fui ver o filme, nunca vi as versões anteriores. Gostei. Gosto bastante da Chloe.
    A história pode ter sido legal na década de 70, mas já vimos isso em tantos filmes, que nem o livro eu achei legal.

    ResponderExcluir
  9. acho q a mãe dela proibia a filha de assistir as aulas sexuais.. pelo menos no de 2002 é isso

    ResponderExcluir