sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

[Crítica] American Horror Story - Coven | 3x13: The Seven Wonders (Season Finale)

Balenciaga!

Review:
(Spoilers abaixo)

Eita, que episódio foi esse? Que final foi esse? O que foi essa temporada?

Finalmente, depois te tantos furos e de muita enrolação, chegamos ao fim da pior e mais alegórica temporada de American Horror Story. Desculpem-me, mas não é nada mais que a verdade, não é mesmo? Sou obrigado a admitir que essa temporada tinha tudo para ser a melhor, mas não foi o que aconteceu, pois tudo desandou, o roteiro não foi desenvolvido direito, atores e seus personagens foram desperdiçados, etc.

O quão foda seria se a temporada mostrasse uma verdadeira guerra, com todas as bruxas se unindo para não acabarem caçadas e mortas? Estou falando de uma guerra mesmo, não “aquilo” que foi apresentado e ok, acabou. Aí sim, no meio dessa guerra, a atual Suprema se veria perdendo os seus poderes e faria de tudo para identificar a sua sucessora e eliminá-la antes que esta possa assumir o seu lugar. O enredo é praticamente esse mesmo, mas os roteiristas erraram a mão.

De nada serviu todas as desavenças de Fiona e Marie Laveau, se no final elas se tornariam amigas e lutariam contra os caçadores de bruxas. Ok, a inimizade precisava ser mostrada, mas não era necessário enrolar tanto... Passaram a temporada inteira mandando cabeças uma para a outra, para no final, o previsível acontecer. Sei lá, a briguinha delas poderia ter rendido pelo menos os três primeiros episódios e só. Outra é Delphine LaLaurie, uma das minhas personagens favoritas, mas que eu esperava que tivesse mais importância na trama. Seu plot, apesar de interessante, soava como se fosse outra série, sem ligações com Coven. Torci para que as três esquecessem seus passados e se tornassem amigas, principalmente porque seria muito legal ver Delphine cortando a cabeça do caçador de bruxas, já que é ela quem gosta de sangue.

Enfim, não cabe a mim julgar os roteiristas, mas continuarei achando que poderia ser melhor. Este season finale, por exemplo, me fez recuperar um pouco do amor que perdi lá pelo quinto episódio. Posso falar mal, criticar a temporada inteira, mas não posso falar que não gostei desse episódio, pois estaria mentindo. Não pareceu American Horror Story, isso é fato, mas eu adorei.

O fato de Cordelia ser a nova Suprema não chega a ser surpreendente, mas fez total sentido. Depois de ser ofuscada durante boa parte da trama, sofrer, chorar e gritar, finalmente a personagem tem o seu mérito reconhecido e assume o seu merecido posto perante o clã, que finalmente encontrará um caminho no meio de tanto erro. Sarah Paulson fez tudo isso muito bem, como era de se esperar.

Um dos maiores erros da temporada em geral, foi o vai e vem dos personagens, que nunca paravam mortos. Sempre que um morria, logo era trazido de volta. Com o passar do tempo, isso foi ficando chato e repetitivo, mas pela primeira vez, podemos sentir a morte – definitiva – de um personagem, e no caso, foi a da própria autora das ressurreições, Misty Day. A partida da personagem foi chocante e emocionante, e digamos que muito cruel para uma personagem tão “fofa” como ela. Não vem ao caso, mas senti uma leve referência à “Winter Song”, música de Sara Bareilles e Ingrid Michaelson, que inclusive, foi usada nos teasers.

Uma das coisas que mais tento entender, é o motivo da banalização do poder de Misty nos últimos episódios. O seu poder era tido como um dos mais incríveis, mas logo foi visto que qualquer bruxa poderia praticá-lo, inclusive Zoe, que o realizou com um simples feitiço. Foi-se explicado que os poderes surgem quando o clã está em perigo, mas soou tão cuspido... Talvez fosse melhor se essa explicação tivesse sido explorada desde o começo da temporada... Por falar em Zoe, eu que sempre a detonei, desta vez fui pego de surpresa. Não sei o que aconteceu, mas me simpatizei por ela aos 45 do segundo tempo e de repente passei a torcer pela personagem. Ok, a personagem foi inútil perto do tamanho destaque que recebeu no primeiro episódio, não teve a chance de crescer, nem sequer teve o seu poder – por sinal, um dos mais interessantes – mais explorado; mas achei o seu final digno, junto com o de Queenie, fazendo parte do Conselho de Cordelia. Até Kyle se saiu bem nesse episódio, matando a chata da Madison e virando uma espécie de mordomo da Academia.

Myrtle, que foi um dos destaques da temporada, acabou sendo queimada viva novamente. Sério, isso foi muito desnecessário. Ela lutou tanto para ajudar Cordelia e fazer justiça, para no final se entregar assim? Mas gostei da cena do sofrimento de Cordelia com sua “mãe adotiva”.

Eis que vem o samba: Fiona resolve dar as caras. Quem leu a última review sabe da confusão que se formou na minha cabeça, pois simplesmente não consegui aceitar a sua morte nas mãos de um personagem tão avulso como o Axeman, e cheguei a mencionar um retorno, e estava certo. Na verdade, pensei que Fiona tivesse forjado uma visão assim como fez com os policiais no segundo episódio, mas que ela voltaria na season finale, matando todo mundo, e continuando firme e forte como Suprema por mais trinta anos... Acabei acertando só metade, pois ela voltou praticamente um caco, implorando pela morte, até de fato a conseguir e nos mostrar qual será o seu eterno inferno pessoal.

Com o fim, vemos que Cordelia transformou a Academia numa espécie de Hogwarts... mas espera aí, o que foi aquela entrevista? De repente ela divulga a existência das bruxas num programa de TV? Isso não iria trazer problemas futuros para o clã? Não sei, mas pelo menos lotou a escola de aluninhas.

Então, agora ficaremos só na saudade (ou não) de Coven, e na expectativa para a quarta temporada, que só sai em outubro, mas que já podemos ter algumas ideias de sua temática. Várias pistas foram dadas nos últimos episódios. Consegui captar algumas, como o theremin tocado por Myrtle, bastante usado em filmes com temática espacial; também outra pista dada por Myrtle, é o fato de ela ter mandado Zoe e Kyle para Epcot, e se pararmos para pensar, qual é o grande símbolo de Epcot? A Spaceship Earth! Justamente uma esfera prateada! Sendo assim, se considerarmos essas pistas, teremos algo relacionado ao espaço? Alienígenas novamente? Outra coisa bastante curiosa, é que recentemente apareceram rumores de que a nova personagem de Jessica Lange seria inspirada em Marlene Dietrich, e coincidentemente, durante a entrevista de Cordelia, temos uma rápida citação à Liza Minnelli... Cabaret? Que venha a quarta temporada!
Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
10 Comentários

Comentário(s)

10 comentários:

  1. Amei essa review! Realmente Coven iniciou de maneira espetacular, diferente, com um potencial absurdo. E digo mais, dava sensação de gostinho de quero mais, de um filme, de mais uma temporada... Perfeição! Lá pelo quinto episódio começou a desgringolar. O episódio de dezembro foi péssimo. Imaginava que no penúltimo capítulo o objetivo ainda seria a luta contra os caçadores de bruxa. E, no final, um mata mata. E, do jeito que as bruxas emburreceram... Pelamores... Fiona merecia ser Suprema forever!

    ResponderExcluir
  2. Eu gostaria de não ter perdido mais de 13h da minha vida vendo essa temporada medíocre. Mas, fazer o que né? Algo deu errado no meio do caminho. Só esperando pela next season, que eu espero que afaste TODOS os ditos fãs dessa série. Adeus.

    ResponderExcluir
  3. Eu nem lembrava que era season finale. Assisti na FOX Brasil. Quando lembrei que já tinha acabado fiquei muito, muito decepcionado. Senti um vazio. Como fizeram aquela 2ª temporada fantástica, e depois desencaminham toda uma história?

    ResponderExcluir
  4. Cara, acho que todo mundo esperava mais. Achei nada a ver a Fiona com o Axelman, gostei MUITO da Cordelia, palmas para Sarah Paulson aliás. Quanto a Zoe, da maneira como ela apareceu pensei 'ela vai fazer algo foda', enfim... nada foi como o esperado, mas que venha a próxima temporada!

    ResponderExcluir
  5. Adorei todo o seriado, de certa forma. Mas concordo plenamente que o autor se perdeu... Aguardando a 4ª temporada!

    ResponderExcluir
  6. Esta temporada foi ó.... uma bosta!

    ResponderExcluir
  7. Foi uma boa temporada na minha opinião só que ainda não vi as outras e não posso dizer qual é a melhor e realmente algumas coisas decepcionaram mas pelo menos tiveram a descência de fazer a Delia de Suprema ela mereceu se fosse a Madson teria sido horrível além de não fazer sentido sendo que se antes ela não era a suprema foi uma boa temporada mais támben não foi perfeita agora esperar a Quarta temporada

    ResponderExcluir
  8. Alguém pode me explicar pq Fionna fica naquela fazenda pela eternidade e aparece o Papa Legba, mesmo ela não tendo feito o acordo com ele? !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viva como ela viveu e terá o Legba comendo seu rabo pelo resto da eternidade no mínimo. Que pergunta idiota cara? Todos os personagens são psicopatas doentios e assasinos.

      Excluir
  9. eu até gostei da temporada, nada muito ótimo, mas tava legal, a unica coisa que me incomodava era esse vai e volta dos personagens, porem esse ultimo episodio foi horrivel, seria bem melhor com fiona matando todo mundo e ficando forte novamente

    ResponderExcluir