sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

[Crítica] Sobrenatural: Capítulo 2


Direção: James Wan
Ano: 2013
País: EUA
Duração: 106 minutos
Título original: Insidious: Chapter 2

Crítica:

O que você mais ama será levado.

Depois do enorme sucesso que o primeiro filme fez nas bilheterias e a boa recepção da crítica, não era difícil prever que uma sequência receberia sinal verde. Principalmente devido àquele final aberto, que certamente deixou todo muito chocado. Pois apenas alguns anos depois e cá estamos, com medo de dormirmos mais uma vez. Porém, apesar de ter achado o conceito interessante, o original não me animou tanto quanto Invocação do Mal, um dos melhores filmes de terror do ano - também dirigido por James Wan. Isso não me impediu de ficar ansioso pela segunda parte, ou, oficialmente, segundo capítulo.

A história volta a seguir a mesma família aterrorizada do primeiro filme. Depois de conseguir trazer o seu filho de volta para a nossa realidade, o retorno de Josh foi marcado por consequências mortais. Ninguém realmente queria encarar o que realmente aconteceu à medida que a polícia investigava a morte de Elise, a paranormal envolvida no caso. Porém, conforme Josh passa a dar indícios de que não está bem, sua família vai descobrindo coisas assustadores sobre o passado dos espíritos que os estavam assombrando. Agora, duas realidades irão se chocar em uma aterrorizante verdade que pode definir o futuro de todos...

Eu fiquei impressionado em ver como essa segunda parte está intimamente relacionada com a primeira. Nunca uma sequência seguiu por um caminho tão direto, especialmente com o mesmo elenco, inclusive os que morreram. Todos retornam para os seus respectivos papéis, e têm seus personagens ainda mais desenvolvidos, principalmente a paranormal, Elise, que mesmo tendo morrido no primeiro filme, continua a aparecer nesse segundo capítulo. Aliás, o filme abre com um flashback muito interessante mostrando quando a Elise ajudou o Josh quando ele ainda era criança. No primeiro foi dito que o Josh tinha o mesmo problema com os espíritos por ter o dom de "sair" do seu corpo durante o sono.

Uma das minhas reclamações ao original era justamente essa mitologia inexplorada. Temos todo esse conceito de um mundo onde as almas ficam presas e algumas pessoas têm a liberdade de andar por essa realidade - mesmo estando vivos. Não é uma trama convencional, e por este motivo eu fiquei decepcionado com o seu pobre desenvolvimento. Eu entendo que não havia muito espaço para dedicar a esse plot, então fico feliz que essa segunda parte aproveitou ao máximo a mitologia que tinha, expandindo-a de uma forma chocante. Fiquei muito satisfeito de como o roteiro foi desenvolvimento, tornando-se bem mais profundo que o do original.

Apesar disso, o maior ponto positivo consiste no background dos espíritos que atormentam os protagonistas. Se no primeiro filme nós descobrimos apenas que eles estavam atrás de "vida", neste, nós afundamos em suas mentes perturbadas. Com direito a muitos flashbacks, somos levados para dentro de suas mentes e descobrimos como eles se tornaram como são. Esse é o maior trunfo do roteiro porque a história dos vilões é fascinante. Além de combinar perfeitamente com o tom macabro do filme, o fato do roteiro dar um rosto para os vilões é muito interessante. Nós literalmente os tememos mais depois que descobrimos quem eles são e do que são capazes.

No entanto, não há nenhuma cena nessa sequência que eu tenha pulado da cadeira - como a clássica cena à mesa do primeiro filme. Mas acredito que o nível de tensão foi o suficiente. Há um interesse muito maior em desenvolver a história do que se prender a sustos fáceis. Certamente uma decisão ousada, que refletiu de forma positiva no balanço geral. Devo dizer também que eu gostei muito mais dessa sequência do que o primeiro filme. Como disse, as situações são melhores exploradas aqui. E se vocês pensam que já podem dormir tranquilos, estão muito enganados. Uma terceira parte já recebeu sinal verde, e deve focar nos investigadores paranormais, como vimos no final desse segundo capítulo.


Trailer Legendado:

Compartilhe
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...
Comentários
1 Comentários

Comentário(s)

1 comentários:

  1. Junto com invocação do mal sem duvida esses foram os destaques do terror que tive a oportunidade de ver nos cinemas, esse filme consegue se livrar daqueles velhos ¨clichê¨ de que as continuações sempre mancham o original e que são sempre desnecessárias nesse gênero, nestas sequencias a diversas ligações com o primeiro alem de desvendar muitas duvidas deixadas pelo anterior.Exelente! 8-)

    ResponderExcluir